SAP faz parceria com o Governo Federal para o programa Ciência Sem Fronteiras e oferece 50 vagas de estágio no exterior

SAP faz parceria com o Governo Federal para o programa Ciência Sem Fronteiras e oferece 50 vagas de estágio no exterior

Empresa é a primeira do setor de software a apoiar o programa do Governo Federal para o fomento à pesquisa e inovação; SAP oferece estágios em seus laboratórios na Alemanha, França, nos Estados Unidos e no Canadá  

A iniciativa concederá 50 estágios – até 2015 – para estudantes brasileiros de graduação que, durante três meses, irão estudar e conhecer de perto o que há de mais moderno em termos de inovação e tecnologia nos Centros de Pesquisa & Desenvolvimento (SAP Labs) da companhia, situados na Alemanha, França, nos Estados Unidos e no Canadá.

As oportunidades na SAP para estudantes brasileiros são voltadas, principalmente, para estudantes de Engenharia, Computação e Informática e outras tecnologias de informação e comunicação. Os estágios são para a capacitação na área de desenvolvimento de software.

Para reforçar o seu compromisso com o desenvolvimento profissional na área de tecnologia no Brasil, a SAP anuncia a adesão ao Programa Ciência Sem Fronteiras. A parceria com o Governo Federal foi apresentada por Cristiana Brito, diretora de comunicação para a região América Latina do Sul (SoLA), e Diogo Brunacci, diretor de relações governamentais da SAP Brasil, ao presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Jorge Almeida Guimarães.

Criado em 2011, o Programa Ciência Sem Fronteiras promove o intercâmbio internacional de estudantes e pesquisadores brasileiros em centros acadêmicos e de pesquisa em todo o mundo. Trata-se de uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e do Ministério da Educação, por intermédio de suas agências de fomento, o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e a Capes.

Segundo Cristiana Brito, a SAP vem investindo fortemente no incentivo à inovação no Brasil, desde 2006, quando o SAP Labs foi inaugurado para ser o centro de pesquisa, desenvolvimento e suporte da empresa para países da América Latina. “A SAP acredita no potencial do Brasil para o desenvolvimento de software. Por isso, investe no programa Ciência Sem Fronteiras para capacitar os futuros profissionais de tecnologia do país”, afirma.

Para a SAP, esta é uma maneira de incentivar o governo brasileiro em aprimorar cada vez mais a formação profissional e técnica dos jovens, por meio da inovação e ensino de qualidade. “Queremos colaborar com a capacitação dos estudantes brasileiros e oferecer a eles qualificação de ponta e uma experiência internacional enriquecedora para o seu conhecimento”, destaca Diogo Brunacci.

Podem se candidatar às bolsas de estudos alunos de graduação com nota no ENEM igual ou acima de 600 pontos, em teste realizado após 2009. Para participar, o candidato deve cumprir alguns pré-requisitos: Ser brasileiro ou naturalizado; estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no Brasil em cursos relacionados à computação e tecnologias da informação; possuir bom desempenho acadêmico; ter concluído 20% do currículo previsto para o curso de graduação.

Mais informações podem ser obtidas no site www.cienciasemfronteiras.gov.br
Sobre a SAP

Como líder do mercado mundial de aplicações de software empresarial, a SAP (NYSE: SAP) ajuda empresas de todos os tamanhos e setores do mercado a funcionar melhor. Ao abranger desde a operação à análise executiva e de desktops até dispositivos móveis, a SAP capacita pessoas e organizações a trabalhar juntas e a explorar os negócios com mais eficiência para manter-se à frente da concorrência. Os serviços e aplicativos da SAP dão a cerca de 248.500 mil clientes no mundo (incluindo aqueles provenientes da aquisição da SuccessFactors) condições para operar, decidir, adaptar e colaborar melhor e crescer com sustentabilidade. Para mais informações, acesse www.sap.com.br, a sala de imprensa http://brasil.news-sap.com/ e siga no Twitter @SAPNotíciasBR.

 

Ciência Sem Fronteiras

Lançado em dezembro de 2011, o Ciência sem Fronteiras tem como meta conceder 101 mil bolsas para estudantes brasileiros até 2015. Serão 75 mil por parte do governo federal e o restante com ajuda da iniciativa privada. O programa promove a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileiras por meio do intercâmbio e da mobilidade internacionais de estudantes, professores e pesquisadores. A oferta de bolsas prevê as modalidades graduação-sanduíche, educação profissional e tecnológica e pós-graduação — doutorado-sanduíche, doutorado pleno e pós-doutorado.

Pelo programa, estudantes de graduação e de pós-graduação podem fazer estágio no exterior para manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Além disso, o Ciência sem Fronteiras tenta atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar, por tempo determinado, no Brasil.

Publicação: 24 de setembro de 2013

AUTOR

Denise Pitta é digital Influencer e é editora do Fashion Bubbles. Estilista, formada em Moda e Artes Plásticas, atuou em diversas confecções e teve marca própria de lingeries, a Lility. Começou o blog em 2006 e está entre as primeiras blogueiras brasileiras da moda. Também desenvolve pesquisas sobre História e Identidade Brasileira na Moda e Psicologia Analítica. É apaixonada por filosofia, física quântica, psicanálise e política. Siga Denise no Instagram: @denisepitta e @fashionbubblesoficial

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
nerds7-dest
Nerds ganham loja especializada em cultura geek em São Paulo

Ser nerd está na moda. Depois de seriados dedicados a eles, como o sucesso “The Big Bang Theory”, a novidade...

Fechar