Planejamento de Produto – Grandes marcas economizam errado e perdem clientes

Planejamento de Produto   Grandes marcas economizam errado e perdem clientes

Você já passou por esse problema: calça jeans feminina com cós que não se ajusta ao corpo e forma um vão na parte de trás. Insatisfeita, você fez duas pences como na foto, certo? Nenhum consumidor merece isso.

As calças jeans de cós reto são, na verdade, um artifício barato usado por empresários com mentalidade antiga. Se o cós da calca jeans, mesmo estreito, fosse cortado em viés ou em círculo, se ajustaria ao corpo como uma luva.

Para cortar o cós em viés ou em círculo, o consumo de tecido na produção aumenta em até 10%, dependendo da largura. Por outro lado, quando se corta o cós em linha reta, pode-se aproveitar muito mais tecido, mas o consumidor acaba levando uma calça que nunca veste bem.

Planejamento de Produto   Grandes marcas economizam errado e perdem clientes Planejamento de Produto   Grandes marcas economizam errado e perdem clientes

Durante os 3 anos em que atuei como Gerente de Produto em confecção de Jeans no Brás, meu foco sempre foi usar tecidos de qualidade que proporcionassem varias lavagens – De modo que, com a compra de um tecido, eu pudesse criar várias peças com visuais finais diferentes entre si;  uso  variado de aviamentos; e nunca fui de aprovar lavagens com muitas misturas de técnicas que gritassem entre si. Vejam, por exemplo, as calças da Zara. Tanto o masculino como o feminino, possuem um visual impecável. Nem sempre o feminino veste bem, mas em matéria de tecidos e lavagens, eles estão de parabéns.

A escolha de uma lavanderia como parceira é fundamental. Quanto mais caro for o tecido, menos voce precisa investir em lavanderia para obter um bom resultado.

Mas minha grande discussão sempre foi contra a economia de tecido no cós. Para mim, uma peça deve vestir bem, ser confortavel e ter um preço justo.  De que adianta desenvolver catalogos, etiquetas, botões, aplicar strass, investir no salario de uma Gerente de Produto, de uma Estilista e de todos os funcionários que compõem uma empresa – sem contar as lavanderias e as facções – para cortar milhares de calças com cós reto para ter alguns centavos – se muito R$ 1,00 – de economia? As calças jeans do Brás, por exemplo, são vendidas para todo o Brasil. Existem empresas no Brás que fazem peças maravilhosas. Não estou generalizando. Mas, imagine uma loja, no sul do país ou lá no Mato Grosso, com uma vitrine linda, cafezinho, sofás e revistas espalhadas para o cliente comprar com conforto. Daí, a cliente vai ao provador com 4 ou 5 calcas. Prova uma, prova outra, prova a última e todas têm um vão na parte de trás do cós. Para não mostrar o que nao deve, lá vai a cliente para a costureira, fazer duas pences e pagar exatamente R$10,00 reais pelo conserto. Será que o cliente não pagaria R$10,00 a mais na calça só pra sair da loja com ela vestindo perfeitamente bem?

Supondo que só um modelo tivesse um vão atrás, justamente a calça que leva a sua marca, com sua linda etiqueta, botões de strass e com aquela lavagem linda!!! A cliente vai deixar sua peça de lado.

Se as diversas lojas que comprarem suas peças no atacado sentirem que o cliente rejeita seu produto no provador, é provavel que essas lojas deixem de comprar a sua marca.

Agora, você sabia que esse não é um problema só das confecções no Brasil? Aqui em Nova York, o problema com o cós das calças é tão sério, que mesmo marcas famosas estão gastando muito mais do que o necessário para remediar o problema. Por exemplo, a marca MUDD, voltada para um público jovem, vende as calças com elástico regulador no cós. Isso mesmo, aquele usado em calças de criança. Imagine o custo de fazer os caseados, pregar o botao interno, passar o elastico por dentro do cós… tenho certeza de que o tempo e o material gastos nessa operação custam muito mais do  que se eles cortassem o cós no viés.

Planejamento de Produto   Grandes marcas economizam errado e perdem clientes Planejamento de Produto   Grandes marcas economizam errado e perdem clientes

Por outro lado, veja as fotos do catalogo virtual da ViaFinal.com.br e da Equus.com.br, lavagens sem agressividade, caimento impecável e visual jovem, atual, com apelo de venda, com cós perfeito.

Essa falta de engenharia adequada na construção das pecas de algumas marcas gerou um negócio curioso. Uma empresa nos EUA, está vendendo uma faixa elástica que tem a função de cobrir o cós das calcas e nao deixar aparecer o “cofrinho”. Veja as fotos abaixo:

Planejamento de Produto   Grandes marcas economizam errado e perdem clientesPlanejamento de Produto   Grandes marcas economizam errado e perdem clientes

Agora veja o custo: U$ 32,00, isso mesmo. Cerca de R$58,00 Reais por duas peças ou U$ 19,95 por uma peça – cerca de R$36,00. A ideia é tão simples e tão boba que não dá para acreditar que tantas pessoas estão dando cobertura a essa “invenção” http://www.myhip-t.com/press.htm quando na minha opinião bastava as empresas fazerem calças jeans de cós mais alto, (quando o gancho em vez de 16 ou 17cm, poderia ter de 19 a 21cm) e o cós poderia ser cortado no viés ou em círculos e o problema estaria eliminado. Veja que se o cliente está comprando essa faixa, se esse produto esta fazendo tanto sucesso, significa que o consumidor não esta satisfeito com as calças jeans que ele compra, existe aí uma demanda por um produto que não está sendo atendida.

Outros tipos de economias bizarras que alguns donos de confecções usam achando que estao lucrando: barra da calça jeans com 1,5cm. Bolso de trás pequeno (mesmo no masculino. Mal dá para colocar a carteira) bolso frontal falso, gancho baixo em todas as modelagens femininas e por aí vai.

Tenho certeza absoluta de que o cliente pagaria mais por uma peça que veste bem ao invés de uma peça que precisa de consertos ou de paliativos para poder ser usada confortavelmente. Solução: escute seu cliente. Observe o que ele compra e por quê. Construa uma marca desejável. O mercado está cheio de marcas que não significam nada, apenas geram dinheiro para pagar despesas. Para construir uma marca de sucesso, comece com a escolha do tecido, lavagem apropriada, modelagem adequada com caimento de acordo com as curvas do corpo, aviamentos que não caem e nem enferrujam e, por último, apresentação visual que chame a atenção do cliente e que o leve a provar e comprar sua peça.

Por Sueli Schmitt

Visitas guiadas a New York, New Jersey e Long Island – dicas valiosas para tornar sua viagem inesquecível!

Sueli Schmitt, correspondente do Fashion Bubbles em Nova York, está com a proposta de conduzir pessoas ou pequenos grupos para comprar e conhecer a cidade de Nova Iorque de uma maneira muito especial: com uma guia que mora lá, fala português e entende tudo de moda! Saiba mais em Visitas guiadas a New York, New Jersey e Long Island – dicas valiosas para tornar sua viagem inesquecível).

Publicação: 2 de março de 2010

AUTOR

Sueli é estilista formada em Negócios da Moda pela Universidade Anhembi-Morumbi. Trabalhou como Estilista e Gerente de Produto em diversas empresas em São Paulo desenvolvendo Private Label. Atualmente mora em NY e é estilista free-lancer e Consultora de Moda para confecções de Jeans em SP, colaboradora do Jornal Brazilian Sun e do Fashion Bubbles. Desenvolve a marca própria Sueli Schmitt comercializada em feiras de novos designers em NY. Contato: Sueli1100@hotmail.com

COMENTÁRIOS

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

Leia o post anterior:
imgglamoursecrets-450x295
Secrets Collection – Com glamour e mistério o Boticário apresenta sua coleção de inverno

Foto: Lipstick Corner Na Patisserie Douce France, a coleção de inverno foi apresentada a uma seleta lista de convidadas.  É...

Fechar