Números e Negócios – ABIT e APEX-Brasil firmam convênio para fomentar a exportação da indústria da moda brasileira

Números e Negócios   ABIT e APEX Brasil firmam convênio para fomentar a exportação da indústria da moda brasileira
Alessandro Teixeira, presidente da APEX-Brasil

Apex-Brasil e ABIT renovam parceria e prevêm exportações de US$ 456 milhões em programa de exportação da indústria da moda brasileira em 2010

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) renovou no último dia 04/05 convênio com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), estendendo o Programa de Exportação da Indústria da Moda Brasileira (Texbrasil) por mais dois anos. Com investimentos previstos em US$ 44 milhões, o programa promove as exportações e a internacionalização das empresas do setor.

Entre os mercados-alvo do projeto, treze países foram selecionados pela área de Inteligência Comercial da Apex-Brasil, em parceria com a ABIT. São quatro mercados no segmento têxtil (China, Colômbia e América Central, Estados Unidos e México); quatro no setor de cama, mesa e banho (Argentina, China, Estados Unidos e México); e 11 para vestuário (Angola, Austrália, China, Colômbia e América Central, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, França, Grécia, Itália, Península Ibérica e Reino Unido).

Na solenidade da assinatura do convênio, na sede da ABIT, em São Paulo, o presidente da Apex-Brasil, Alessandro Teixeira, proferiu uma palestra sobre o cenário pós-crise e a exportação no setor têxtil e de confecção, em que abordou mercados prioritários, produtos, ferramentas de promoção e ações para atrair investidores internacionais.

Teixeira frisou que o setor têxtil e confeccionista é algumas vezes visto como tradicional e pouco dinâmico, o que acredita ser uma visão equivocada. Tradicional sim, afinal é uma das indústrias mais antigas do mundo, mas movido a profundo dinamismo. Basta citar a recente reinvenção do setor após a crise dos anos 90 e a revolução trazidas pelos novos fios e tecidos tecnológicos e bio-tecnológicos.

O Brasil possui a sexta maior indústria têxtil do mundo, sendo o segundo maior produtor de denim (matéria prima para fabricação de jeans) e o terceiro na produção de malhas. Auto-suficiente na produção de algodão, o país produz 9,8 bilhões de peças de confecção por ano, sendo referência mundial em moda praia, jeanswear e homewear. Outros segmentos também se destacam no mercado internacional, como a moda feminina, masculina, infantil, fitness e moda íntima. A indústria da moda é uma das que mais geram empregos no Brasil e o seu PIB, cerca de 50 bilhões de dólares, equivale a um terço da economia total de um país como o Chile.

O crescimento econômico neste cenário pós-crise deverá ser puxado pelos países emergentes, notadamente China (com crescimento esperado para 2010 na cada dos 105), Índia (cerca de 9%) e o Brasil (cerca de 5%). A zona do Euro e os Estados Unidos, tradicionais parceiros comerciais do Brasil, terão crescimento econômico de baixo a moderado, o que não facilitará a entrada de produtos importados.

Em vista disso, e da forte concorrência chinesa e indiana no setor, as empresas brasileiras tem que encontrar nichos e diversificar mercados, investindo em produtos diferenciados, que agreguem inovação e design. Na visão de Teixeira, uma das estratégias de diferenciação pode ser a Sustentabilidade, nos seus aspectos econômico, ecológico e humano.

Histórico da Parceria ABIT – APEX-Brasil

Números e Negócios   ABIT e APEX Brasil firmam convênio para fomentar a exportação da indústria da moda brasileira

Em 2000, a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), em parceria com a Apex-Brasil, criou o Programa Estratégico da Cadeia Têxtil Brasileira, Programa Texbrasil, com a missão de organizar as empresas para a oferta dos produtos têxteis e de confecção no mercado internacional. O trabalho foi possibilitado por meio de quatro convênios firmados ao longo desse período, sendo investidos no setor mais de R$ 181 milhões.

O último projeto, de 2009, apresentou resultados importantes diante das dificuldades relacionadas ao mercado internacional e à valorização do Real. Entre as metas alcançadas está a participação de 159 empresas nacionais em 35 edições de feiras internacionais. Nesses eventos, foram realizados cerca de 8.900 contatos, gerando um volume de negócios de quase US$ 14 milhões, com previsão de mais US$ 48 milhões para este ano.

O projeto também incentivou a vinda de 177 compradores internacionais a 24 eventos, gerando negócios na ordem de US$ 2,9 milhões e expectativa de exportações no valor de US$ 29 milhões para este ano.

A ABIT, fundada em 1957, representa atualmente 30 mil empresas que empregam mais de 1,65 milhão de trabalhadores. Juntas, essas empresas tiveram no último ano um faturamento de US$ 47 bilhões. A expectativa para este ano é que o setor atinja um faturamento de US$ 50 bilhões.

por Fashion Bubbles, com dados da Assessoria de Imprensa da Apex-Brasil

Publicação: 6 de maio de 2010

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Missao-Internacional-Empresarial-Moda-450x337
Abertas inscrições para Missão Empresarial Internacional na área de moda

Foto de Catherine Malandrino Estão abertas as inscrições para as próximas Missões Empresariais Internacionais promovidas para CP4 Cursos no Exterior,...

Fechar