Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda – Macrotendências

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   Macrotendências

Quem pensa que Veganismo se traduz apenas em uma dieta alimentar baseada no não-consumo animal está enganado. Hoje em dia, este Movimento que luta em prol da preservação do meio-ambiente e de um lifestyle mais saudável, deu um pulo direto das passeatas de rua, para ganhar espaço nas passarelas da Moda Sustentável. É uma causa importante, que vem ganhando destaque e espaço na vida das pessoas.

Adeptos de carteirinha como a queridinha hollywoodiana Natalie Portman, além de outras celebridades como Jessica Alba, Leonardo Di Caprio, Emma Watson, Gwyneth Paltrow e a designer de moda Alberta Ferrati, optaram por tornar público suas escolhas e intitularam-se embaixadores deste tema.

Repensar alternativas de um vestir e um calçar mais sustentável têm sido pauta de novas coleções e inspiração para muitos designers de plantão. Com esta forte tendência em evidência, é claro que o sapato, um dos maiores ícones da moda, não poderia ficar de fora. É por isto que muitas empresas já apostaram na versão do sapato vegan e muitas celebridades adotaram este estilo. Esta verdadeira paixão feminina acabou por ganhar então uma nova roupagem: a versão eco-friendly, como uma alternativa mais consciente para aqueles que já estão a frente da sua era.

O conceito de um sapato eco-friendly vem de sua produção consciente com o meio ambiente, não é utilizada nenhuma matéria-prima animal em sua fabricação. A preocupação do calçar mais ecológico vem desde a matéria-prima até o produto final , tudo é reciclado ou produzido com material alternativo ao couro animal.

Natalie Portman, que é vegetariana por filosofia desde criança, se abstém de usar qualquer tipo de peles ou couro animal. Inclusive Christian Dior teve de refazer alguns de seus sapatos sem o uso de couro, recriando-os com materiais alternativos para uma sessão de fotos com a atriz.

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   Macrotendências

Se Moda é atitude, Portman é a perfeita personificação desta essência. Antes de assinar um contrato para endossar produtos com a Dior, a famosa deixou bem claro que não iria usar nada que fosse extraído de animais. A atriz também foi responsável pela concepção de uma coleção de sapatos de luxo eco-friendly, vendidos em Nova York em 2008.

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   Macrotendências

Natalie Portman foi responsável pela concepção de uma coleção de sapatos de luxo eco-friendly, vendidos em Nova York em 2008 – Consumo Ético

Aqui na Europa algumas marcas do mercado calçadista já estão apostando seus negócios nesta tendência, produzindo calçados com materiais alternativos como por exemplo: a cortiça.

Estas matérias-primas alternativas já vem sido utilizadas em países como: Portugal, França, Espanha e até mesmo no Brasil.

Veja, por exemplo, alguns modelos de calçados sustentáveis produzidos em cortiça ou microfibra ecológica da marca NAE ou Neuaura, não são um arraso?

Nae

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   MacrotendênciasCalçados Nae de cortiça e microfibra ecológica. Clique nas imagens para ver fotos ampliadas. Já conhece nossa página no Instagram? Siga nossa página: @fashionbubblesoficial

Neuaura

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   Macrotendências

Calçados Vegan da Neuaura – Consumo Ético

Outra marca de sapatos “eco” é a Vert Shoes, criada por François-Ghislain Morillion e Sébastien Kopp, dois franceses que, ao viajar para encontrar novas formas de sustentabilidade, tiveram a ideia de criar um tênis sustentável.

A VERT (@vert_shoes) chegou ao Brasil em setembro de 2013, mas já era famosa na Europa com o nome VEJA por estar presente há 10 anos no mercado europeu, com mais de um milhão de pares vendidos pelo mundo. Com design parisiense, fabricação e matéria-prima 100% brasileira, os tênis da VERT possuem lona de algodão orgânico, cultivado por agricultores familiares do nordeste brasileiro, sem uso de agrotóxicos. Palmilha e sola são fabricadas com borracha nativa da Amazônia, comprada de seringueiros do Acre dentro das regras do comércio justo.

Destaque vai para a nova linha batizada de “Índigo” em parceria com a empresa Etno Botânica, responsável pelo processo de produção e tingimento com origem vegetal e tecnologia baseada em métodos sustentáveis que não agridem o meio ambiente. Os modelos terão venda no e-commerce da VERT com numerações que vão do 34 ao 43, a partir de R$219,00, segundo a assessoria de imprensa da marca.

 

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   Macrotendências

Holiday e Taua Indigo

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   Macrotendências

Sapatos da Vert Shoes

No sul do Brasil a marca gaúcha Insecta Shoes apostou todas as suas fichas neste modelo de negócio totalmente voltado para sapatos upcycling. A marca, que existe desde Janeiro de 2014, tem conquistado fãs por onde passa. Pam Magpali e Babi Mattivy transformaram roupas velhas em sapatos novos e exclusivos. Mas a preocupação da marca com o meio-ambiente não pára por aí, os sapatos da @insectashoes  contam ainda com solas ecologicamente corretas, compostas por materiais também reciclados.

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   MacrotendênciasA @insectashoes produz sapatos ecológicos e veganos, produzidos no Brasil. A marca transforma em sapatos peças de roupa vintage, além de garrafas de plástico recicladas. Os mais diversos tecidos e estampas daqueles modelitos abandonados no passado viram botas, oxfords, sandálias e slippers veganos, sem nenhum uso de matéria-prima de origem animal. Confira também outras  marcas brasileiras com propostas sustentáveis em: Vamos falar sobre consumo consciente e moda sustentável?

Confira aqui algumas empresas que mostram como um calçado eco-friendly pode ter qualidade. Veja também outras marcas internacionais de sapatos vegan.

Ficou curiosa para saber mais sobre os materiais usados na produção de um sapato?

Veja abaixo alguns  dados do Essencis sobre a decomposição dos materiais usados na fabricação de sapatos.


Curvin: usado na confecção do cabedal do sapato. É um resíduo reciclável e reaproveitável para solados de tênis, sandálias e rasteirinhas. Leva mais de 50 anos para se decompor;
Nylon: usado na confecção de tênis. Material reaproveitado para travesseiros, sofás e enchimentos em geral. Leva mais de 30 anos para se decompor;
Espuma: usada na confecção de tênis. Reaproveitável para fazer ursos de pelúcia, enchimento de travesseiros, sofás. Leva mais de dois anos para se decompor;
Lata de cola/solvente/metal: recipiente de cola para confecção de todo tipo de calçado. Reciclável quando adquirida por siderúrgicas que a derretem em altos fornos, gerando novos produtos. Leva mais de 10 anos para se decompor;
Plástico: pouco usado na fabricação, mas gerado nela. TR, PVC, Nylon e espuma vêm embalados em plásticos. Materiais recicláveis voltam para a fábrica em forma de sacos de lixo, embalagens e tubos. Leva mais de 100 anos para se decompor;
Papel: embalagens do produto final: caixas unitárias e coletivas. Reciclável. Novas caixas coletivas e unitárias e tubos para enrolar materiais. Leva mais de três anos para se decompor;
Pano: fabricação de calçados, como sandálias femininas. Não é reciclável, deve ser destinado a empresas especializadas. Leva de seis meses a um ano para se decompor;
Borracha: usada nos solados dos sapatos. É reciclável, com tempo de decomposição indeterminado;
Couro: usado na confecção de calçados. Não é reciclável e leva até 50 anos para se decompor.

Imagina que bacana você sair por aí desfilando o seu Oxford de cortiça e de consciência super limpa, sabendo que seu consumo está colaborando para uma sociedade mais ética, consciente e sustentável?

Fontes:

 

Gostou? Curta nossa página no Instagram: @fashionbubblesoficial

Por Roberta Gerace Gazzolla

Saiba mais sobre Roberta:

Para quem não me conhece, vou me apresentar então: me chamo Roberta, uma idealista, cidadã do mundo, apesar de ter estabelecido meus pezinhos na louca Berlim por um tempo, neta de italiano (sangue forte), tia da Sophie, publicitária, escritora nas horas vagas, amante das bikes, moda, viagens, cinema e todas as manifestações de cultura imagináveis.

A ideia neste espaço é mostrar um pouco da minha visão lúdica, atenta, criativa e curiosa de coisas bacanas que posso vivenciar aqui nesta Berlim frenética e dividir com vocês, que assim como eu, devem adorar as novidades do fashionbubbles.com . Além de falar de novos artistas, música, moda, eventos, cultura, vou trazer também um pouquinho da minha visão do ser humano, através de algumas crônicas em formas de diálogos internos.

Tudo isto será escrito com muito carinho, dedicação e diversão.

Espero que curtam este espacinho e fico aberta a sugestões/críticas.

liebste Grüsse aus Berlin,

Roberta Gerace Gazzolla (E-mail: [email protected]com)

Consumo Ético, os sapatos também entraram nesta moda   Macrotendências
Roberta Gerace Gazzolla correspondente do Fashion Bubbles direto de Berlim

Publicação: 24 de abril de 2016

AUTOR

Denise Pitta é digital Influencer e é editora do Fashion Bubbles. Estilista, formada em Moda e Artes Plásticas, atuou em diversas confecções e teve marca própria de lingeries, a Lility. Começou o blog em 2006 e está entre as primeiras blogueiras brasileiras da moda. Também desenvolve pesquisas sobre História e Identidade Brasileira na Moda e Psicologia Analítica. É apaixonada por filosofia, física quântica, psicanálise e política. Siga Denise no Instagram: @denisepitta e @fashionbubblesoficial

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Vamos falar sobre consumo consciente e moda sustentável?

Confira o perfil no Instagram de 5 marcas preocupadas com sustentabilidade. Uma das minhas missões como consultora de estilo é...

Fechar