O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?

Talvez eu não devesse falar de cerveja. Isso é um verdadeiro vespeiro no Brasil, mas eu não posso deixar passar esta oportunidade em branco. Porque no fundo, no fundo, apesar de começar com cerveja, este artigo é sobre paladar. Vocês verão a seguir…

Não sou exatamente uma referência em Cervejas. Sou mais conhecido por minhas escolhas e uma boa experiência no quesito vinhos. Mas, aqui e ali, tenho amigos que dedicam-se muito mais ou quase que exclusivamente às cervejas. Chegam até mesmo a fabricar as suas próprias! Uma verdadeira arte! Mesmo não sendo um profundo conhecedor, havia algo que já sabia há tempos.

As cervejas tradicionais e, por tradicionais, vamos falar das 4 grandes marcas de mercado, eram todas ruins. Claro, sempre há um ou outro amigo ou conhecido que é um grande defensor da que desce redondo ou da que é a número 1, mas, nunca, nenhum deles sobreviveu ao teste cego (no final do artigo eu ensino a fazer o teste cego). Todos confundiam suas preferidas com quaisquer outras e, com quaisquer outras, leia-se as piores e mais baratas cervejas das prateleiras, como reconhecidamente é, por exemplo, a Bavaria.

Comecei a entender um pouco mais de cervejas com estes amigos cervejeiros e, finalmente, compreendi aquele que seria o principal motivo de não gostar das cervejas ditas “tradicionais”. Nenhuma, pode, por definição ser chamada de cerveja. São no máximo, ACERVEJADOS, pois levam em sua fórmula, cereais não maltados (milho). Sim, o brasileiro há muito tempo é “engando” por definição com acervejados de milho, mas parece conviver bem com isso. 

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?A Cerveja Brasileira chega ter até 45% de milho no lugar da cevada. O milho chega a ser 30% mais barato do que a cevada. O problema é que o rótulo não é mais claro, e a legislação permite. Via Central Grãos

Que me perdoem aqueles que acham bonito tomar 12 ou mais latinhas de cerveja em uma refeição ou encontro, mas, nem água, nem refrigerante, nem vinho, nem cerveja, nada, pode ser apreciado em uma proporção de 3,5 litros por pessoa em 1 hora ou um pouco mais. Alguns vão dizer: “mas as cervejas “reais” eu não aguento beber muito. Na segunda ou terceira eu já paro”. PERFEITO! É isso mesmo!

A cerveja, como qualquer outra bebida merece ser apreciada com cuidado e ser harmonizada com aquilo que se vai comer! Como assim, qualquer bebida pode ser harmonizada? É, até o nosso tradicional cafezinho pode modificar completamente a sua experiência sensorial ao degustar uma sobremesa, por exemplo.

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?

A cerveja, como qualquer outra bebida merece ser apreciada com cuidado e ser harmonizada com aquilo que se vai comer

O mundo dos cafés é um mundo cheio de aromas e sabores. Infelizmente, uma proporção enorme de nós, brasileiros, acabamos com todos eles ao misturar açúcar ou adoçantes. Pois é, gostaria de dizer a vocês que café é uma bebida para se tomar pura. Sem açúcar… Esta aula. Esta magnífica aula, foi-me dada pelo próprio Suplicy do Café Suplicy. Ele estava em sua loja na Alameda Lorena, em 2010 e me desafiou a tomar o seu café mais simples, coado, sem açúcar. Não é que o café era naturalmente adocicado? Longe de ser doce como um sachê de açúcar, claro, mas, suficientemente doce para dispensar o próprio.

O próprio Suplicy ainda ensinou uma outra regra de ouro: quando for ao supermercado e ler “Café Forte”, leia: “Café Ruim”. E, quando ler “Café Extra Forte”, leia “Café EXTRA Ruim”. Neste caso, o que muda é a torra. Eles torram os grãos para valer, para eliminar quaisquer aromas do café deixando apenas um profundo amargor. Isto, porque, o café em sua origem era muito ruim.

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?Café é uma bebida para se tomar pura. Sem açúcar. Ao misturar açúcar ou adoçantes ao café acabamos com sua riqueza de aromas e sabores

Perguntei a ele sobre o selo de pureza da ABIC que em tese deveria garantir que o café seria bom e, ele decepcionado me explicou: “Ele garante a PUREZA. Nada mais!”, em outras palavras, significa que seu café, não terá outro grão que não seja café. Não vai ter milho, por exemplo. Milho… De novo o milho… Deveria haver um selo de pureza para cervejas. Mas, como não há, bem, a Heineken é a porta de entrada para o mundo das cervejas. Fiel à fórmula genuína, não leva cereais não-maltados, ou seja, não leva milho. Mas, é apenas a porta de entrada…

Acho que assim como nos vinhos, para a cerveja vale também a regra de que qualidade é avessa à quantidade. As proporções, apenas, são outras. O mundo da cerveja a ser explorado é enorme, mas, tenho certeza que experimentando algumas “cervejas de verdade”, rapidamente você vai encontrar uma nova favorita. Eu encontrei. A minha cerveja favorita é a Baden-Baden Witbier!

Quando descobri uma cerveja que carregaria notas de laranja e coentro senti-me logo tentado a experimentar. Ela segue uma tradicional receita belga de trigo. Não há como negar: é uma cerveja cítrica, leve o suficiente para você pedir a segunda e, marcante o suficiente para harmonizar bem com pratos de carne ou queijo e, agora, nem penso duas vezes quando me perguntam sobre cerveja.

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?

O mais curioso é que chegou até mim uma nota que diz que a Baden-Baden Witbier foi eleita a melhor cerveja do mundo no International Beer Challenge 2015 competindo com cervejas de 30 países! O júri, composto por importadores, cervejeiros, escritores, analista de sabores, entre outros profissionais, escolheu a cerveja como Supreme Champion da competição. Obviamente ela também levou o prêmio como Melhor Cerveja de Trigo.

Cervejas, Cafés ou Vinho, não importa, se quiser aprimorar seu paladar, experimente. É uma viagem sem volta, mas é muito prazeirosa! Para manter o desafio ligado ao tema da coluna, que tal você voltar nos artigos anteriores e escolher exatamente um dos rótulos analisados? Depois a gente conversa…

TESTE CEGO: Em uma bancada com 4 copos, sirva 3 marcas de cerveja, ou seja, 3 copos diferentes e 1 repetição. Com os olhos vendados e o nariz completamente tampado, tente, ainda que errando a marca, acertar minimamente qual é a repetição. Alguém capaz de acertar a repetição já pode ser considerado alguém que possui um bom paladar. Por exemplo: Sirva: SKOL, BRAHMA, SKOL, HEINEKEN Se o testador disser: HEINEKEN, SKOL, HEINEKEN, BRAHMA ele é uma pessoa com um bom paladar.

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?
Em uma bancada com 4 copos, sirva 3 marcas de cerveja, ou seja, 3 copos diferentes e 1 repetição. Se acertar a repetição já pode ser considerado alguém que possui um bom paladar

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?
A maior parte das nossas cervejas brasileiras, por definição, não podem  ser chamada de cerveja. São no máximo, ACERVEJADOS, pois levam em sua fórmula, cereais não maltados (milho)

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?
Brasil é o terceiro em consumo do mundo e já tem 6,8% da produção do mercado mundial (Crédito: Nathani Mota)

Por Charles Schweitzer (@schweitzer1977) na crônica semanal: O Vinho que bebi essa semana.

(Charles Schweitzer é Marido Pleno, Pai Sênior (gêmeas e mais um) e nasceu em 1977, ano de estreia de StarWars. Executivo de Marketing de uma multinacional francesa, está no mercado há mais de 15 anos, sempre ligado à Inteligência de Mercado e a Inovação. Já foi triatleta, mas hoje, leva o esporte mais como um hábito de saúde. Vive todas as experiências que pode, inclusive já pilotou um F1.)

 O que Cerveja, Café e Vinho têm em comum?

 

 

 

 

Salvar

DESCONTOS EXCLUSIVOS FASHION BUBBLES

Publicação: 26 de janeiro de 2016

AUTOR

Colaboradores do Fashion Bubbles

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Bolsas 2016 – Confira os modelos que vão bombar esse ano

O ano ainda está bem no comecinho – mas já sabemos quais serão as bolsas que vão bombar em 2016....

Fechar