A revolução de Hussein Chalayan: Works 1994-2009

A revolução de Hussein Chalayan: Works 1994 2009

“As criações desenvolvidas por Hussein Chalayan, entre 1994 a 2009, são o tema da nova exposição no Design Museum em Londres. Capaz de reunir conceitos abstratos, questões políticas e ainda interrogações sobre a eterna questão de reciclar na moda, esta mostra apresenta peças vanguardistas mas não menos vestíveis.

No atual mundo da moda há poucos desfiles que apresentam, para além de inovadoras peças de vestuário, um conceito vanguardista. Hussein Chalayan é um dos raros exemplos de artistas que consegue fazer uma apresentação que pode ser considerada como uma síntese de vários fatores sociais, políticos e económicos, conjugando-a com vestuário vanguardista mas, nem por isso, menos usável. «É um percursor no mundo da moda, um pequeno gênio que nos deslumbra com as suas apresentações e desfiles. Isto porque, os seus espetáculos são daquelas ocasiões cada vez mais raras em que a moda ainda consegue assombrar e causar uma sensação visceral no público», explica Sarah Mower, jornalista do site Style.com, quando questionada sobre a arte de Chalayan.”

Transformer dress

Liderando na vanguarda da moda contemporânea e sendo conhecido pela utilização de materiais tecnológicos inovadores, como roupas com chips, néons e lasers, assim como pela sua capacidade de transformar mobílias e peças inovadoras em artigos de vestuário, Hussein Chalayan ganha agora um espaço de destaque em Londres, dedicado à sua obra criada entre 1994 e 2009. Entre os trabalhos de maior destaque do designer de origem turca, encontra-se o vestido “Airborne”, construído com 15 mil mini-lâmpadas; o vestido “Before Minus Now”, confeccionado com materiais de construção de aviões e que muda de forma por controlo remoto; o vestido “Readings” produzido com 200 lasers que se movimentam com efeito pirotécnico; e ainda o vestido “Afterwords”, criado a partir de uma mobília e com o objectivo de ser usado como traje. (…)

Leia esta  matéria completa no site  Portugal Têxtil.
A revolução de Hussein Chalayan: Works 1994 2009

Sarah Mower, colunista do site Style.com descreveu o momento:

“O espetáculo de hoje foi uma daquelas ocasiões, cada vez mais raras, em que a moda ainda consegue estarrecer, provocar e causar uma sensação visceral na sua audiência.” Ela conta ainda que a trilha sonora (feita de fragmentos de música, ruídos de bombardeios, motores de avião e de helicóptero) criava um clima atual, não deixando o espetáculo descambar para um reles entretenimento.

Leia esta matéria completa no site Moda sem frescura.

A revolução de Hussein Chalayan: Works 1994 2009

“Hussein Chalayan 1994-2009” poderá ser visitada diariamente, entre 21 de Janeiro e 17 de Maio de 2009, das 10h às 17h15, incluindo feriados. O museu fica situado na 28 Shad Thames e as entradas custam £8.50 para adultos e £5 para estudantes. Os menores de 12 anos não pagam.”

A revolução de Hussein Chalayan: Works 1994 2009

Leia entrevista com Hussein Chalayan no Dazed Digital e veja mais sobre o trabalho do design no Twenty1f.

Conheça também o blog do Hussein Chalayan e o site da  marca.

Hussein Chalayan Spring Summer 2007 Collection

Hussein Chalayan video dress

Fontes:

Leia esta matéria no site Moda sem frescura.

Leia esta  matéria completa no site  Portugal Têxtil.

A revolução de Hussein Chalayan: Works 1994 2009

Publicação: 27 de janeiro de 2009

AUTOR

Denise é editora do Fashion Bubbles. Estilista, formada em Moda e Artes Plásticas, atuou em diversas empresas de moda e teve marca própria de lingeries, a Lility. Também desenvolve pesquisas sobre História e Identidade Brasileira na Moda e Psicologia Analítica. É apaixonada por filosofia, física quântica, psicanálise e política. Siga Denise no Instagram: @denisepitta e @fashionbubblesoficial

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
0malas-extraviadas
Fuja dessa moda: extravio de malas nos aeroportos

Por ano, as empresas aéreas perdem 1% dos 3 bilhões de malas que viajam. Companhias aéreas americanas perdem por dia...

Fechar