Marcas brasileiras vão ao Japão com boas expectativas de negócios

 Marcas brasileiras vão ao Japão com boas expectativas de negócios

Segunda edição do Brasil Fashion Now em Tóquio reunirá, de 11 a 13 de março, grandes marcas brasileiras de moda, calçados e acessórios.

Organizado pela Apex-Brasil, em parceria com a Embaixada do Brasil no Japão, as Associações Brasileiras de Estilistas (ABEST), da Indústria Têxtil e de Confecções (ABIT) e das Indústrias de Calçados (Abicalçados), o evento acontece no Omotesando Hills Tóquio, shopping localizado no centro do bairro mais sofisticado da capital japonesa
Pela segunda vez a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) levará o que há de melhor na moda brasileira ao Japão. Durante três dias, marcas conhecidas nacional e internacionalmente, como Miele, Franziska Hubener e Apoena, irão expor seus produtos a compradores japoneses. A expectativa é atrair mais de 2.000 pessoas durante o evento e gerar negócios imediatos na ordem de US$ 3 milhões.

“A iniciativa visa, principalmente, fortalecer a imagem do Brasil e de seus produtos no Japão, ampliando, assim, as relações comerciais e a cooperação entre os dois países”, diz o presidente da Apex-Brasil, Alessandro Teixeira. Para ele, é importante priorizar a venda de produtos com alto valor agregado aos japoneses, bem como focar em inovação e tecnologia.

Considerado um dos segmentos mais importantes para a economia do país, somente o setor têxtil, segundo dados da ABIT, faturou no ano passado, US$ 34,6 bilhões, um crescimento de 4,8% sobre 2006. Desse total, US$ 2,4 bilhões foram destinados ao mercado internacional. É o segundo maior empregador da indústria de transformação e o sexto maior produtor têxtil mundial.

A indústria têxtil investiu mais de US$ 10 bilhões em máquinas, equipamentos, instalações, treinamento e pesquisa nos últimos 10 anos. E o Brasil possui hoje 70 escolas de moda e design, além de 12 universidades e faculdades formando profissionais de nível superior, que desenvolvem avançadas pesquisas tecnológicas.

O mesmo dinamismo é observado no setor calçadista brasileiro. Segundo a Abicalçados, o Japão é um mercado considerado potencial pelo setor, devido ao perfil dos consumidores daquele país, que exigem design e alto valor agregado. São nestes nichos que várias empresas de calçados do Brasil estão apostando.

Em 2007, o Japão ficou em 29º lugar no ranking dos compradores de calçados brasileiros. No período, foram adquiridos 620,7 mil pares, gerando um faturamento de US$ 8,2 milhões, 7,8% a mais em relação a 2006. O preço médio do produto ficou em US$ 13,33 – considerado excelente pelos exportadores brasileiros.

“O Japão é um importante comprador de produtos brasileiros, especialmente itens de qualidade, sofisticados e exclusivos”, destaca Teixeira. O presidente da Apex-Brasil ressaltou ainda que o nível de exigência no Japão é muito alto, mas que o empresário brasileiro está qualificado. “Temos um trabalho de longo prazo a ser feito e o produto brasileiro tem total condição de entrar neste mercado”, disse Teixeira.
FONTE: Apex Brasil
Foto: Divulgação
Matéria do site Guia Jeans Wear.

Publicação: 18 de fevereiro de 2008

AUTOR

Denise Pitta é digital Influencer e é editora do Fashion Bubbles. Estilista, formada em Moda e Artes Plásticas, atuou em diversas confecções e teve marca própria de lingeries, a Lility. Começou o blog em 2006 e está entre as primeiras blogueiras brasileiras da moda. Também desenvolve pesquisas sobre História e Identidade Brasileira na Moda e Psicologia Analítica. É apaixonada por filosofia, física quântica, psicanálise e política. Siga Denise no Instagram: @denisepitta e @fashionbubblesoficial

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
IMG_0002
Fashion Bubbles versão mobile

Estas são algumas telas da versão mobile do Fashion Bubles. São screenshots do iPhone, mas a versão mobile está disponível...

Fechar