O mercado calçadista italiano e o Brasil

O mercado calçadista italiano e o Brasil

Foto do site Cesare Paciotti – Coleção Outono Inverno 2009/2010

Considerando o Brasil como mercado estratégico, o Instituto Italiano para o Comércio Exterior promove a participação de 21 empresas de calçados, através da Vitrine “Made in Italy”, na Francal 2009, em São Paulo.

A Itália opera com cerca de 6.450 empresas no setor calçadista, das quais 900 são exportadoras. Do total produzido 78% é destinado às exportações, principalmente no segmento de calçados de alto padrão e de luxo, produtos de alto valor agregado. O país é o primeiro produtor de calçados da União Européia e oitavo no mundo, tendo como mercados tradicionais Estados Unidos, Japão e Espanha.

Formar parcerias para o fornecimento de calçados no mercado brasileiro tem sido uma das metas da indústria calçadista italiana. Para atingir seus objetivos, o setor italiano de calçados vem investindo na participação em eventos internacionais em países considerados estratégicos, como o Brasil.

O mercado calçadista italiano e o Brasil   O mercado calçadista italiano e o Brasil

Para  participar do crescimento do mercado brasileiro, os calçadistas italianos mais uma vez se apresentam na Francal , de 14 a 17 de julho, em São Paulo. Nesta edição, 21 empresas apresentam suas coleções 2010 com o selo “Made in Italy”. O Pavilhão Italiano, vem liderado pela ANCI – Associação Nacional das Indústrias Italianas de Calçados, numa promoção do ICE – Instituto Italiano para o Comércio Exterior. O grupo de empresas pretende reforçar a presença no Brasil dos calçados “Made in Italy”, que se destacam pelo design, qualidade dos componentes e acabamento.

“O Pavilhão Italiano é um ponto de encontro para contatos e perspectivas de negócios. A expectativa é que o desempenho de edições anteriores seja mantido e que novas negociações e parcerias entre os dois países aconteçam,” afirma Giovanni Sacchi, diretor do ICE no Brasil.

O mercado calçadista italiano e o Brasil

Brasil-Itália em números

Hoje a Itália é o quarto maior fornecedor de calçados para o Brasil, com 75 mil pares de calçados exportados, totalizando 8,5 milhões de dólares em 2008. No primeiro trimestre de 2009, o Brasil importou cerca de 7,5 mil pares e mais de 900 mil dólares em calçados provenientes da Itália, o que corresponde a 4,5% do total importado neste período. Em relação a 2008, o primeiro trimestre de 2009 apresentou uma retração de 29,3% neste setor.

O mercado calçadista italiano e o Brasil

A Itália é também o quarto maior mercado importador dos calçados brasileiros. De 2006 a 2008, foram embarcados para a Itália mais de 17 milhões de calçados, no valor de 288 milhões de dólares, depois de Estados Unidos, Reino Unido e Argentina (tabela). Somente em 2008, o Brasil exportou para a Itália 149 milhões de dólares e 7,5 milhões de pares de calçados.

Vitrine “Made in Italy” na Francal – Empresas

Alberto Gozzi, Aldo Bruè, Ballin, Bruno Magli, Cesare Martinoli-Caimar, Donald J Pliner, Fabiano Ricci, Falc (Falcotto e Voile Blanche), Font, Franco Ballin, Gardenia, Gianmarco Lorenzi, Giovanni Fabiani, Kallistè, Marino Fabiani, Nouchka, Orietta Mancini, Pakerson, Rossimoda, Speroni e Twice.

Entidades


ICE – INSTITUTO  ITALIANO PARA O COMÉRCIO EXTERIOR

O mercado calçadista italiano e o Brasil

Instituição do Governo Italiano ligada ao Ministério do Desenvolvimento Econômico que, com uma rede de 117 escritórios espalhados por 87 países e outros 17 na Itália, promove os produtos, as tecnologias e os serviços italianos no mundo, dando particular atenção aos interesses e às necessidades das pequenas e médias empresas. Também trabalha para estimular o investimento direto italiano no exterior, bem como para atrair investimentos estrangeiros à Itália.

Confira site aqui.

ANCI – Associação Nacional das Indústrias Italianas de Calçados

Entidade com cerca de mil associados, que representam 70% do faturamento de toda a produção italiana de calçados. Em sua maioria, trata-se de empresas de pequena e média dimensão, cada qual especializada em um elo específico da cadeia produtiva. A finalidade da A.N.C.I. é estudar, patrocinar e promover iniciativas no campo econômico, técnico e científico no interesse da indústria de calçados, representando-a em todos os níveis institucionais. Por meio de sua empresa de serviços, a A.N.C.I. Servizi S.r.l., organiza o MICAM Shoevent, importante exposição mundial do calçado.

Confira site aqui.

SERVIÇO:

Pavilhão Italiano – Rua A/ Passarela 1
FRANCAL 2009 – Feira Internacional de Calçados, Acessórios de Moda, Máquinas e Componentes
Data: 14 a 17 de julho
Horário: das 10h às 20h (dia 17, das 10h às 17h)
Local: Anhembi – São Paulo

Regina Di Marco
Deptº de Comunicação
ICE – Instituto Italiano para o Comércio Exterior
www.ice-sanpaolo.com.br
( 11) 2950-4820    rdimarco@uol.com.br

O mercado calçadista italiano e o Brasil

Foto do site Cesare Paciotti – Coleção Outono Inverno 2009/2010

O mercado calçadista italiano e o Brasil

Foto do site Cesare Paciotti – Coleção Outono Inverno 2009/2010

O mercado calçadista italiano e o Brasil

Foto do site Cesare Paciotti – Coleção Outono Inverno 2009/2010

O mercado calçadista italiano e o Brasil

Foto do blog Meus Sonhos de Consumo – Calçado Italiano Santoni

Por Queila Ferraz

Publicação: 6 de julho de 2009

AUTOR

Queila Ferraz, Coordenadora Geral do Curso de Design de Moda da UNIP, foi professora da Universidade Anhembi Morumbi e dos cursos de pós-graduação de Moda do Senac. É historiadora de moda, especialista em processos tecnológicos para confecção e consultora de implantação para modelos industriais para a área de vestuário.

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Daniel-Ueda1
Renner: Estratégia para atrair e fidelizar um público diversificado, produzindo estilo em grande escala

Fotógrafo: Guilherme Licurgo O mercado de varejo têxtil, não só no Brasil, mas também no mundo, é extremamente competitivo e ...

Fechar