Samba no pé – Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011

Coisa de brasileiro: a ressaca do ano novo ainda nem passou e já estamos pensando no carnaval. Enquanto o feriadão não chega, já podemos ir acostumando nossos ouvidos e aprendendo as letras dos sambas-enredo que vão bombar no carnaval 2011. Veja também quais serão as musas que vão brilhar na avenida.

Vai Vai

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Camila Silva comanda a bateria da Vai Vai. Foto: Estadão

A música venceu

Compositores: Zeca do Cavaco, Afonsinho, Ronaldinho FDQ, Fábio Henrique

Feliz da vida, lá vem o Bixiga

Exemplo de comunidade

A Música Venceu

O dom é luz que vem de Deus

Da emoção Vai-Vai resplandeceu

Dos céus, em um cortejo divinal

Os deuses da inspiração

Lançam talento a um mortal

O ser abençoado, que hoje brilha neste carnaval

As sinfonias de Bach regeram seu destino

Orgulho brasileiro

Jovem pianista genial

Em “preto e branco” sucesso internacional

Na sua fé, resistiu

E a dor da adversidade, suplantou

Com muita garra e amor

(Com muito amor…)

E assim, na sua força de superação

Buscou a verdadeira vocação

Um novo incidente o quis derrubar

Mas com maestria se pos a lutar

Por seu ideal

Luz da Ribalta que jamais se apagará

E ao som de “Bravos e Aplausos”

A Saracura agora vem cantar

Rosas de Ouro

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Com 11 anos de desfiles, Ellen Roche será rainha da  bateria da Rosas de Ouro. Fot0: Brazil Carnival

Abre-te Sesamo, a senha da sorte

Compositores: Armênio Poesia, Aquiles da Vila, Chanel, Mauricio Paiva, Marquinhos Boldrini, Wagner Rodrigues e União

Rosas de ouro, pode apostar!

Canta forte meu povo

Diz aí o que vai dar…

Eu tenho a sorte de ser feliz

Abençoado pelo criador

Minha estrela vai brilhar

Essa avenida é o meu lugar

Sou roseira, vou te levar

Hoje a sorte vai me acompanhar!

Abre-te sésamo

Um tesouro vai se revelar

É de ouro a rosa à florescer

Pro nosso sonho se realizar

O destino estava escrito

Em nossa imaginação

A vida não passa de um jogo

Eu quero ser campeão!

Vou proteger meu caminhar, eu vou!

Minha sorte onde andará? Chegou!

Nessa conquista, eu tenho fé

Na minha rosa, meu amor “deu bem-me-quer”

Ah cigana…

Segredos vão se desvendar

Os caminhos, em nossas mãos vão se encontrar

É divino, o futuro que virá!

Quem dera o bilhete premiado

Sentir a emoção do resultado

Vou acreditar, entrei no jogo pra ganhar!

Gaviões da Fiel

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Tatiane Minerato, madrinha da bateria da Gaviões da Fiel. Foto: Estadão

Do mar, das pérolas e das areias do deserto à cidade do futuro. Dubai, o sonho do Rei Maktoum

Composição: Luciano Costa, Araken, Flávio Rocha, Fadico, Tité e Wellington Gonçalves

Corre sangue gavião na veia

Faz meu coração pulsar

Hoje dubai é alvinegra

E a fiel vai te exaltar

A lua brilhou lá no céu do oriente

Fez da lágrima semente

Tesouro, no azul do mar

História de um reino encantado

Nessa viagem vem comigo desvendar

Um rei iluminado

Abre os caminhos do amanhã

Semeia em solo sagrado

O desejo de um novo eldorado

Dos povos herdaram culturas

Formando a nação

De carona, na folia, vem ver!

A cidade do futuro, vai passar

Embala meu sonho prá realidade

O combustível da modernidade

Com a bênção do criador

O homem emoldurou a natureza

O progresso despontou

O mundo veio ver tantas belezas

Sou mercador da alegria, investi na magia

No portal da felicidade

Em cena um festival de emoção

Cultura, do ouro a riqueza

No esporte encontrei minha paixão

O sonho não vai acabar

Meus filhos, vão colher

E o meu maior tesouro, é você

Corre sangue gavião na veia

Faz meu coração pulsar

Hoje dubai é alvinegra

E a fiel vai te exaltar

Nenê da Vila Matilde

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Ângela Bismarchi na bateria da Nenê da Vila Matilde. Foto: Contigo

Salis Sapientiae: Uma História do Mundo!

Compositores: Tonn Queiroz / Anderson Vaz / Fabiano Sorriso Santaninha / J. Velloso / Cláudio Russo / Marquinhos

Vem provar do meu tempero, minha Vila tem sabor

Vem ver como é que é, quem tem samba no pé

Minha Águia, meu amor!

Voando nesta poesia

Nenê vem contar “Uma História do Mundo!”

Com graça, estilo, elegância

No balanço do samba, a riqueza do Sal

Descrito no livro sagrado

Foi a punição, o castigo ao pecado

Na antiguidade, a chama do fogo fez o homem despertar

Era o início da procura ao paladar

Ao Faraó, a eternidade

Na China, o valor comercial

Soldado de Roma recebeu salário

Com o Sal do Olimpo se fez ritual

É sabedoria no batismo do cristão

Feito aliança, celebrado em comunhão

Na tela Da Vinci pintou…

O saleiro tombado revela o traidor

Soberania, uma obra do destino

Foi concedido o direito à exploração

Daí então o mineral se extraiu

Da pátria amada, idolatrada, mãe gentil

Sal de cada dia, fonte de energia essencial à nação

Mas atenção! O Sal à vida faz o bem e o mal

Em nosso corpo tem função vital

Seu exagero prejudica o coração

Superação, Comunidade Matildense em união

Suou, sangrou e até chorou

Agora em festa, a Zona Leste que voltou

Vem provar do meu tempero, minha Vila tem sabor

Vem ver como é que é, quem tem samba no pé

Minha Águia, meu amor!

X-9 Paulistana

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Adriana Santos, madrinha da bateria da X-9. Foto: Br Notícias

De Eterna Criança a Embaixador da Esperança… Renato Aragão, Didi Trapalhão!

Compositores: Rifai, Pê, Xavi, Cris, J. Vicente, Alemão do Cavaco.

Ô da poltrona, levanta aí

Entra na dança, vem se divertir

Como é doce ser criança

Com a X-9 e a turma do Didi

Sou retirante nordestino

Desde menino lutei por ideais

Irreverente, deixei meu Ceará

E na bagagem a missão de alegrar

Super-herói, engenheiro do sorriso

É possível sonhar, sorrir, cantar

Pois brincar é preciso

Entre em cena e sente toda a magia

Ao vestir a fantasia de um eterno trapalhão

Muito prazer, eu sou Renato Aragão

Na palma da mão! Olé, Olá

Brincadeiras, gargalhadas pelo ar

Cavaleiros da alegria, de tantas emoções

Companheiros trapalhões

Criança, quanta ternura no olhar!

Tem o dom de encontrar a felicidade

Tão pura, essa pequena semente

Tem os seus direitos pra viver o amanhã

É nossa obrigação

Dar saúde, educação, paz e amor

Eis a grande questão

Faz meu coração defender a infância

E para sempre orgulhar quem me fez coroar

Embaixador da esperança

Ô da poltrona, levanta aí

Entra na dança, vem se divertir

Como é doce ser criança

Com a X-9 e a turma do Didi

Mocidade Alegre

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Marília Silva é a rainha mirim da Mocidade Alegre. Foto: Diário de S.Paulo

Carrossel das Ilusões

Composição: Douglas, Edmilson, Marcio Bueno, Igor Leal, Rodriguinho e Victor Alves

Quem é da Morada é mais feliz

Tem amor no coração

No samba eu sou a campeã de emoções

Delirante é o Carrossel das Ilusões

Óh! Meu Pavilhão

Orgulho e fascinação

A conduzir nossa família

Nessa viagem de encanto e sedução

Gostoso é ser criança

Guardar na lembrança

O universo infantil

Terra encantada, é doce a ilusão

Onde aventuras ganham vida

Dando asas a imaginação

Tem magia no ar… Incrível!

Quem vai desvendar?

Abracadabra… procure entender

Fantástico é iludir você!

Iluminado

É o artista em toda forma de expressão

Na tela do cinema, efeitos visuais

Transmitem sensações tridimensionais

É arte ou será ilusão?

Em cena o mistério iludindo o olhar

E assim…

Segue a humanidade a procurar

Um mundo ideal, seu “Shangrilá”

Na vida é preciso delirar

Alegre desfila a paixão

No “Paraíso” da minha ilusão

Sou Mocidade… Força, Raça e União!

Quem é da Morada é mais feliz

Tem amor no coração

No samba eu sou a campeã de emoções

Delirante é o Carrossel das Ilusões

Mancha Verde

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Na Mancha Verde a rainha da bateria é Viviane Araújo. Foto: Luzilândia

Uma Idéia de Gênio!

Composição: Thiago de Xangô, Rafa do Cavaco, Imperial, Juninho Berin, Chumbinho e Tião

Verdadeiro orgulho de um povo

Derramo sobre a noite a luz do dia

Desperto o universo com um sopro de amor

Sou eu o criador de toda a vida

O homem fiz surgir

Evoluir em novidades geniais

Eureka!! encontrei a explicação

Com o poder de mudar “imprimi” meu caminhar

“orientei” caminhos, “contei cada segundo”

O renascimento foi inspiração

Para o maior gênio do mundo

Vem que eu faço se “mover”

E trago o mundo até você

Vem voar, sonhar

“brincar de deus”, poder curar

Na energia que faz clarear!!

“descrevi” um grande amor

“modelei”, fiz encantar

Se pintei também a dor

Mil notas musicias eu “projetei” no ar

Arte ou loucura o que será?

Ser surreal… poder inventar

Um mundo sem ódio e rancor

Onde o maior valor seja se expressar

“larguem minha fantasia” eu quero sambar

Na felicidade de um novo amanhã

Um grito ecoou: é campeã!!!

É verde o sangue que corre na veia

Mancha, enterna guerreira

Uma ideia genial

Brilhando nesse carnaval!

Tom Maior

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Adriana Bombom é a madrinha de bateria da Tom Maior. Foto: G1

Terra mãe dos paulistas!

Meu canto vai ecoar…  Amor

Sou tom maior de coração (refrão)

Bate forte no meu peito, são bernardo

Nas cores do meu pavilhão

Em nome do pai

Cruzou a mata o colonizador

Na trilha do grande guerreiro

Destemido caçador

De um grande amor

Dessa união, a terra-mãe nasceu

Solo explorado pelos jesuítas

No caminho do mar

Da imigração, a formação desse povo vencedor

Que nunca trabalhou em vão

Nesse lindo pedaço da nação

Uma catedral, era a natureza

Chora represa, a fonte da vida (bis)

Vamos pôr a mão na consciência

Pro futuro, preservar é a saída

É você, a cidade que embala as crianças

É você, pra cultura um “eco” de esperança

Ah! Quanta saudade

Do astro da vera cruz

Dá água na boca esse tempero

A força nordestina te conduz

Do carro tu és a capital

Berço moderno da luta social

Brilha… Lá no alto uma estrela

Brilhou-lá iluminando o nosso país

Quem lutou por um ideal

Sem medo de ser feliz

Vila Isabel

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Sabrina Sato é a rainha da bateria da Vila Isabel. Foto: Julio Cesar

Mitos e Histórias Entrelaçados Pelos Fios de Cabelo

Modestia à parte, amigo, sou da Vila

Quem é bamba nem sequer vacila

Envolvido entre cabelos, me sinto arrepiar

Feitiço refletindo no olhar

Respeite a coroa em meu pavilhão

A desfilar na avenida

Carrega os fios de Isabel, da liberdade

É minha vida, é a Vila!

O brilho, a raiz, a sedução

O universo em sua formação

Nas longas madeixas de Shiva

Dos ritos aos astros

Os mitos que enlaçam

Antigas tradições

Festejando novas gerações

Sansão, forte, se apaixonou

O corte enfim revelou Dalila

Trança a paixão, o nobre fiel

Às lágrimas viu Rapunzel mais linda

A força e o amor cobriram o corpo

Vencendo as rédeas da exploração

Perucas no Egito, poder divinal

No luxo da França, adornam o Rei Sol

Aqui, entrelaçado em ouro

Vi florir a alforria, sonhos colorir

Em tantas formas buscar perfeição

Mangueira

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Na Mangueira, a rainha da bateria é Renata Santos. Foto: UOL

O Filho Fiel, Sempre Mangueira

Composição: Aílton, Cesinha Maluco, Alemão Xavier, Te e Baiano

Quis o Criador me abençoar

Fazer de mim um menestrel

Traço o meu passo no compasso

Do surdo de primeira

Sou mangueira!

Trilhei ruas e vielas

Morro de alegria, emoção

Procurando harmonia, encontrei a poesia

E me entreguei à boêmia

No buraco quente, olaria e chalé

Com meus parceiros de fé

Trago violão

No Zicartola, opinião

Se te encantei com meu talentos

Acabei te vendendo uma canção

Passei… “Aquela dor” venceu espinhos

“Amor perfeito” em nosso ninho

Que foi desfeito ao luar

Prazer… “Me chamam” Nelson Cavaquinho

Tatuei em meu caminho

Seletas obras musicais

Sonhei que “Folhas secas” cobriam meu chão

Pra delírio dessa multidão

Impossível não emocionar

Chorei… Ao voltar para minha raiz

Ao teu lado eu sou mais feliz

Pra sempre vou te amar!

Mangueira é nação e comunidade!

“Minha festa”, teu samba, ninguém vai calar!

Sou teu filho fiel, Estação Primeira

Por tua bandeira eu hei de lutar!

Beija Flor

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Raissa Oliveira, rainha da Beija Flor. Foto: Brazil Carnival

A Simplicidade de um Rei

Autores: Samir Trindade, Serginho Aguiar, JR. Beija-Flor, Sidney de Pilares, Jorginho Moreira, Théo M. Netto, Mourão e Cleber do Sindicato

A saudade

Vem pra reviver o tempo que passou

Ah! Essa lembrança que ficou

Momentos que não esqueci

Eu cheio de fantasias na luz do Rei menino

Lá no seu Cachoeiro

E lá vou eu… De calhambeque a onda me levar

Na jovem guarda o rock a embalar… Vivendo a paixão

Amigos de fé guardei no coração

Quando o amor invade a alma… É magia

É inspiração pra nossa canção… Poesia

O beijo na flor é só pra dizer

Como é grande o meu amor por você!

Nas curvas dessa estrada a vida em canções

Chora viola! Nas veredas dos sertões

Lindo é ver a natureza

Por sua beleza clamou em seus versos

No mar navegam emoções

Sonhar faz bem aos corações

Na fé com o meu Rei seguindo

Outra vez estou aqui vivendo esse momento lindo

De todas as Marias vêm as bênçãos lá do céu

Do samba faço oração, poema, emoção!

Meu Beija-Flor chegou a hora

De botar pra fora a felicidade

Da alegria de falar do Rei

E mostrar pro mundo essa simplicidade

Portela

Samba no pé   Os enredos e as rainhas do Carnaval 2011
Sheron Menezes comanda a bateria da Portela. Foto: Grande FM

Rio, Azul Da Cor Do Mar

Autores: Wanderley Monteiro – Gilsinho – Luiz Carlos Máximo – Junior Escafura – Naldo

Brilhou no céu

A luz da Águia, a estrela-guia

Do coração navegador

Que na travessia enfrentou

Todo o medo que havia

Era a mitologia do mar

A lenda deu lugar para a certeza

Que pra viver é preciso navegar

As galés do Oriente…já vêm!

Da Fenícia e do Egito… também!

Gregos e romanos partem para conquistar

e o Farol de Alexandria fez a noite clarear

Os mistérios vão desvendar

Um novo caminho encontrar

Lá na Índia, especiarias

Leva-e-traz mercadorias

A ambição do europeu se encantou

Com o Novo Mundo de riqueza natural, sem igual

Os navios negreiros

Deixam seus lamentos pelo ar

Nas águas de Yemanjá

Nem pirata aventureiro, nem o rei podem mandar

Oi leva mar, oi leva

Leva a jangada numa nova direção

O Porto centenário abriu seus braços

Na terra de São Sebastião

Portela vai buscar no horizonte

A eterna fonte de inspiração

Um oceano de amor que virou arte

E deságua na imaginação

Lindo como o mar azul

Meu grande amor, minha Portela

A força do seu pavilhão vai me levar

A navegar

Foto de abertura: Blog do Pátio

Publicação: 6 de janeiro de 2011

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Moda Praia – Coleção inverno 2011 da Cia.Marítima

O inverno 2011 da Cia.Marítima vem cheio de novidades em tecidos, formas, cores e estampas. Uma coleção com muito estilo...

Fechar