Moda Como Sistema Modelizante – Semiótica da Cultura

 Moda Como Sistema Modelizante   Semiótica da Cultura

Sistema de signos cuja dinâmica reproduz uma gramaticalidade muito próxima da linguagem natural, sobretudo ao se constituir como um conjunto combinatório: peças do vestuário e de adereços; cores e tecidos; corte, costura, design.

Moda é texto principalmente porque se constitui a partir do não-texto corporal, a nudez. Considerando-se os grafismos corporais de culturas nativas, a roupa reproduz uma dupla modelização: o design em relação ao corpo e os grafismos dos tecidos em relação às pinturas. Na arte do construtivismo russo, esse grafismo foi fonte, tanto para as criações de Liubov Sergeevna Popova (1889-1924), como para os trajes cênicos de corte industrial criados por Varvara Stiepanova (1894-1958).
À luz da semiótica da cultura, a moda é um sistema regido por uma lei imanente de mudança: assim que se converte em norma, rompe com suas próprias regulações.

Tal vulnerabilidade faz da moda um sistema de variáveis no interior de invariantes. Em termos de probabilidade, moda é a variável aleatória. E é enquanto tal que ela se constitui como discurso social, político, econômico e estético modelizador de comportamentos. Daí a fashion design ser o sinônimo por excelência da variável aleatória. Na antiga arte dos ícones, a roupa é ornamento monumental. Apesar de ser o componente menos significativo da figuração, o vestuário recebia um tratamento especial e tornava-se uma representação a parte, uma representação dentro da representação, como se pode ver nos ícones de Andrei Rubliov.

Moda Como Sistema Modelizante   Semiótica da Cultura

Fontes das Imagens:

1-4. Stephanie Barron & Maurice Tuchman. (orgs.) The Avant-Garde in Russia: 1910-1930. Cabridge, MA: Mit Press, 1980:224-225.
5. Design para Vestido, 1924 – gonache e manequim sobre papel (36,5 x 25,5 cm) in Peter Noever. Rodchenko – Stepanova: The Future is Our Only Goal. Munich: Prestel, 1991:193.
6. Performance “Torelkin’s Death”, 1922 – Cenários e Figurinos por Stepanova. in Stephanie Barron & Maurice Tuchman. (orgs.) The Avant-Garde in Russia: 1910-1930. Cabridge, MA: Mit Press, 1980:248.
7. Desenho Textil, 1924 – gonache sobre papel. in Peter Noever. Rodchenko – Stepanova: The Future is Our Only Goal. Munich: Prestel, 1991:193.
8-9. Rene Latour. Iconos. Barcelona: Ultramar, 1997:105 e 139.

Matéria do site da PucSP.

Publicação: 18 de setembro de 2007

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Fotos de vitrines de New York (Agosto 2007)

Clique nas fotos, para comentários exclusivos. Leia também: Direto de NY - Um passeio pelo Soho - Lounge Luxo Não...

Fechar