American Apparel

American Apparel E agora para uma nota mais modesta a respeito dos costumes doutros cantos. Pois há que, nos EUA, existe uma loja de roupas chamada The Gap. Ou só Gap. Vestir-se lá era o que havia. Jovem, descolado, barato – dos jeans às camisas de botão às calças cáqui. E aconteceu de a Gap entrar em decadência. Moda, é do hábito, passa.

A nova onda é a American Apparel.

Que já está entrado nalguns anos toma susto: moletons de capuz, calças combinando; cabelos revoltos, uma faixa elástica os prendendo; imagine uma moça fazendo ginástica com malha duma cor que cubra as pernas, um maiô por cima.

A American Apparel, nova onda do momento nos EUA, tudo que há de cool, traz-nos, pobres, à decada Ronald Reagan. Sinal dos tempos, há de ser.

Ela traz também à tona um novo e curioso personagem. É seu dono, o canadense radicado em Los Angeles Dov Charney.

A primeira vez que chamou atenção foi num perfil assinado pela repórter Claudine Ko, na revista Jane. Enquanto conversava com a moça – jovem e interessante – Charney sentiu vontade, e de presto à vontade. Perguntou se ela se incomodava, ouviu que não havia problema. Então tirou as calças e masturbou-se. Ao fim, retornou o diálogo de onde tinha interrompido. Nada ofendida, a repórter contou tudo na revista.

Charney, que está sendo processado por assédio sexual, por vezes dá vibradores de presente a funcionárias de quem gosta. Num tempo em que chefes temem qualquer mal entendido, Charney não deixa de dizer imediatamente que está interessado numa determinada funcionária. Já teve caso com algumas. E contrata as mais bonitas.

Há, no entanto, um lado seu que atrai os norte-americanos: também é do tempo que as coisas sejam terceirizadas – e no exterior. Na Índia, na China, Indonésia, seja lá onde for. Tudo da American Apparel é feito nos EUA, nos subúrbios de Los Angeles. E os preços concorrem bem.

Está no mercado e crescendo, conforme a Gap desce.

Fonte: nominimo Weblog, Pedro Dória.

American Apparel 
Anúncio de recrutamento da American Apparel

Publicação: 19 de março de 2007

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
lility-certo
Lility na Seja seu Patrão

É impressionante a força da mídia e seu poder de validação na sociedade. Isso foi o que eu senti após...

Fechar