Têxtil registra em março maior déficit desde novembro de 1997

Têxtil registra em março maior déficit desde novembro de 1997O déficit da balança comercial do setor têxtil e de confecção brasileiro atingiu US$ 91 milhões em março, o pior resultado mensal desde novembro de 1997. Esse valor é 840% superior ao saldo negativo registrado em igual mês do ano passado, que era de US$ 9,7 milhões. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), esse resultado é reflexo dos fatores macroeconômicos adversos, sobretudo, a valorização do real frente ao dólar.

Depois de uma ligeira recuperação em fevereiro, quando as vendas externas de artigos têxteis e confeccionados subiram 6% na comparação com janeiro, em março as exportações voltaram a cair. Em valores, foram exportados US$ 190,7 milhões, uma queda de 1,95% em relação a março de 2006. No acumulado dos três primeiros meses do ano a baixa é de 0,70% sobre igual período de 2006, com embarques de US$ 525 milhões em mercadorias (matéria-prima e produtos manufaturados).
Incentivadas com a baixa do dólar, as importações, ao contrário, vêm aumentando. No mês passado, o crescimento foi de 38% sobre março de 2007. As compras externas de roupas aumentaram 12,8% em valores em comparação com igual período em 2006. No acumulado de janeiro a março, o aumento é de 21%.

Têxtil registra em março maior déficit desde novembro de 1997Com base no comportamento da balança comercial nesses três primeiros meses do ano e, caso permaneça o atual cenário, a ABIT projeta que em dezembro o saldo comercial atingirá US$ 900 milhões negativos, implicando a perda de mais de 200 mil postos de trabalho no Brasil. Estamos perdendo empregos aqui e gerando empregos e investimentos na Ásia”, lamenta Pimentel.

Além dos fatores macroeconômicos desfavoráveis, como a alta carga tributária e juros elevados, a indústria têxtil enfrenta ainda a concorrência desleal dos produtos importados, com indícios de subfaturamento, falsa classificação fiscal e descaminho, apesar dos esforços da Receita Federal para intensificar a fiscalização. Em março, por exemplo, o preço médio do vestuário importado ficou a US$ 8,74 o quilo, valor bem abaixo do praticado em outros países, como na Argentina, onde o preço médio do quilo do vestuário, em 2006, foi de US$ 17,86; ou nos Estados Unidos, cujo quilo é US$ 17,37%. Em fevereiro, 62,2% do volume total de roupa importada registraram o preço médio foi de US$ 4,67 kg. “É fisicamente impossível produzir um quilo de vestuário a este preço”, afirma Pimentel.

Outros indícios de irregularidades detectados pela entidade em fevereiro foram a compra de 230 mil pares de luvas de lã a US$ 0,07 o par e a entrada de 57 mil biquínis custando US$ 0,38 a unidade.

Mobilização Nacional

No dia 18 de abril a ABIT irá realizar uma Mobilização no Congresso Nacional para entregar aos parlamentares uma proposta para implantação do Super Simples para todo o setor. O objetivo é simplificar os impostos para que a indústria têxtil e de confecção tenha mais competitividade, possa realizar mais investimentos e gerar mais empregos. Durante o ato será apresentada uma radiografia do setor, com informações sobre a sua potencialidade e os danos causados pela concorrência desleal. Na oportunidade, a entidade irá sugerir a implementação de medidas que intensifiquem ainda mais a fiscalização de mercadorias importadas e a realização de acordos comerciais com os principais países compradores de têxteis e de vestuário.

Fonte: ABIT – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e da Confecção.

Matéria indicada pelo site Carreira Fashion.

Publicação: 18 de abril de 2007

COMENTÁRIOS

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

Leia o post anterior:
3077
2º Fashion Marketing movimenta indústria nacional de moda

  A consultora de moda Gloria Kalil (FOTO) confirmou a segunda edição de seu seminário internacional de marketing de moda...

Fechar