“Dossiê Reality” – Observatório de Sinais faz pesquisa sobre as perspectivas dos reality shows

27

Observatório de Sinais faz pesquisa inédita sobre as perspectivas dos reality shows para a “década do consumo”

Foto de Open4Group

Enquanto a Inglaterra anuncia o fim do Big Brother, o que vemos no Brasil é a força dos reality shows tomando conta da televisão, incluindo os canais pagos. Cada vez mais, os shows são pensados como franquias, as convergências entre os meios se aceleram e o mercado publicitário  investe pesadamente nos programas, transformando-os em um dos segmentos mais lucrativos para as emissoras. Ao mesmo tempo, eles são  parte importantíssima do Zeitgeist, propenso a vigilâncias, exibicionismos, manipulações de toda ordem e revisão de valores.

Por isso, finda a segunda temporada de A Fazenda (com a terceira já anunciada) e com o BBB10 em andamento, o Observatório de Sinais – que já  possuía em seu banco de dados uma análise completa do BBB9 e de outros programas do gênero -, está agora ampliando esse estudo com o  “Dossiê Reality”, uma pesquisa proprietária completa sobre o universo da reality TV na atualidade, no Brasil e em outros mercados, e suas perspectivas para esta nova década. Para isso, dede o final de 2009, as três áreas principais do escritório – tendências, comportamento e mercado – estão imersas na análise dos programas exibidos pelas TVs aberta e paga, incluindo o pay-per-view (observado 24 horas por dia e gravado nos períodos de ausência) e toda a repercussão dos mesmos na internet. Temos antenas especiais na Europa e nos EUA realizando a mesma tarefa, enquanto nossa equipe aqui no Brasil utiliza todas as ferramentas, como o Twitter, a observação participante em fóruns de discussão, o monitoramento da mídia em geral etc., para traçar o quadro mais amplo possível e entender a fundo esse fenômeno.

Você também pode gostar!

Para quem e com quais objetivos? Ora, apesar do sucesso, nem tudo funciona para o público brasileiro só por ser reality show. Quais são as situações que agradam? E aquelas que desagradam? O que cativa de verdade o telespectador? Como ele percebe e avalia as atuações dos diversos players (participantes, apresentador, emissora, patrocinadores…) que um reality aberto, como o BBB, põe em cena? O que provoca resposta, e o que ao contrário não diz nada, para o telespectador? Quem ganha e quem perde com a manipulação generalizada e normalizada? Que valores os reality shows acionam? De que modo eles hoje se inserem no “espírito do tempo”? Como essas variáveis afetam a imagem das marcas que patrocinam os programas? E quanto à imagem das emissoras? Quais estratégias de branding dão mais retorno, do ponto de vista do consumidor, e quais são mais aconselháveis? Quais são os melhores e os piores shows para anunciar? Como a convergência de mídias e de conteúdos vai redesenhar o mercado de reality shows? Quais são as tendências que devem orientar esse segmento nos próximos anos?


Foto de Audiência da TV

Nosso objetivo com o “Dossiê Reality” é responder a essas e outras questões para identificar as estruturas, os códigos e os padrões sociocomportamentais acionados nesses programas, produzindo informação estratégica para orientar os mercados concernentes (mídias, entretenimento, publicidade, produtos, branding etc.). Está claro que para as mídias, as marcas e os produtos de modo geral os realities se transformaram em uma plataforma hiperestratégica. Porém, é preciso considerar essa tendência prospectivamente, para avaliar os riscos e as melhores oportunidades na “década do consumo” brasileira, otimizando ao mesmo tempo os investimentos e a sintonia com os diversos públicos envolvidos.

Para completar a pesquisa, uma vez realizada a análise do corpus que está sendo observado, os cadastrados pelo site do ODES poderão colaborar  respondendo a um questionário por e-mail, além de uma parte importante de entrevistas presenciais e por telefone. Então, fiquem atentos a suas caixas de mensagens e ao ODESblog para novidades sobre o “Dossiê Reality”. Para informações e reservas, por favor nos contatem  pelo e-mail [email protected]

www.observatoriodesinais.com.br
http://blog.observatoriodesinais.com.br

você pode gostar também