História da Festa Junina: origens da importante festa popular no Brasil

História da Festa Junina: origens da importante festa popular no Brasil

A Festa Junina é uma celebração brasileira e portuguesa que tem origem na Europa. Conhecida em Portugal como Festa dos Santos Populares, conheça a História da Festa Junina e as particularidades do festejo no Brasil.

 

Qual a História da Festa Junina?

 

Festa Junina em Art Naif de Lourdes de Deus. Fonte: Jornal Gnn.

 

Acima de tudo, a sua história se relaciona diretamente à festa pagã do solstício de verão na Europa, celebrada nos finais de junho segundo o calendário juliano (pré-gregoriano).

Na Idade Média, a celebração foi cristianizada e incorporada pela Igreja Católica. Desde então, os cristãos passaram a celebrar a data no nascimento de São João Batista, no dia 24 de junho. Nesse sentido, a data é também conhecida por “Festa de São João”.

Outros países católicos, protestantes e ortodoxos também celebram a Festa de São João. Denre eles, a França, Portugal, a Irlanda, os países nórdicos e do Leste europeu.

Dessa maneira, as fogueiras de São João e a celebração de casamentos reais ou encenados – como o casamento fictício no baile da quadrilha nordestina -, tão populares no Brasil, são também ainda hoje praticados em algumas das festas de São João na Europa.

 

Festival Nacional de Quadrilhas Juninas. Crédito: TV Globo / Ricardo Lima. Fonte: Contagem MG.

 

Sonho de Papel (Carlos Braga e Alberto Ribeiro)

“O balão vai subindo, vem caindo a garoa.
O céu é tão lindo e a noite é tão boa.
São João, São João!
Acende a fogueira no meu coração.”

 

  • Em seguida, aproveite e nos siga no Google News para para saber tudo sobre Moda, Beleza, Famosos, Décor e muito mais. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

 

Uma herança portuguesa, com certeza

 

São João no Porto, Portugal. Fonte: Feel Porto.

 

Em Portugal, as festas de junho são conhecidas pelo nome de Santos Populares.  A comemoração se dá de maneira disntinta nas diferentes regiões do país. Por exemplo, Santo Antônio é celebrado em Lisboa, São Pedro no Seixal, e São João no Porto e em Braga.

Do mesmo modo, as festas juninas no Brasil também festejam distintos e importantes santos católicos: no dia 13 de junho, Santo Antônio; São João, no 24 de junho; no dia 29 de junho, São Pedro e São Paulo; e, por fim, no 30 de Junho, São Marçal.

No que diz respeito à história do nome “Festa Junina”, há duas interpretações. Primeiramente, junina por ser celebrada ao longo do mês de junho. Por outro lado, teria sido primeiramente chamada de joanina como referência à São João.

Afinal, a festa junina foi trazida para o Brasil pelos portugueses, de tradição católica, no período colonial. Com o tempo, ela também foi incorporada aos costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.

 

Influências 

 

 

Bandeirinhas de São João. Fonte: Mais PB.

 

Entretanto, ainda que os portugueses já estivessem mais estabelecidos no Brasil desde meados do século XVI, foi em 1808, com a transferência da família real para o Rio de Janeiro, que a festa se tornou mais difundida.

Além disso, nessa época havia uma grande influência de outros elementos culturais, para além dos portugueses. Por exemplo, da França veio a dança que inspirou a quadrilha junina no Brasil, conhecida como “quadrille“.

Do mesmo modo, a tradição de soltar fogos de artifício tem origem na China e da Península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.

Com o passar do tempo, todos estes elementos culturais se misturaram aos aspectos mais regionais do Brasil – tanto os indígenas, como afro-brasileiros e de imigrantes europeus. Como resultado, a festa tomou características particulares em cada uma das regiões.

 

Decoração de festa junina. Crédito: Tua Casa. Fonte: Pinterest.

 

História da Festa Junina: principais características

 

Festa de São João, Anita Malfatti. Fonte: Denise Ludwig Blog.

 

Antiguidade – Na Europa, o mês de junho marca o início do verão. Ou seja, nessa época de caráter festivo, as populações festejavam as colheitas e a fertilidade.

Culto ao Fogo – Apesar de chamar muito a atenção, a tradição das fogueiras era comum em toda a Europa. No início da colheita, o ritual incluía danças ao redor do fogo e saltos sobre as chamas. Acima de tudo, o fogo representa o sol, ilumina, aquece, purifica, assa e coze os alimentos.

Mês de junho – Antes de mais nada, nessa época se juntam três grandes celebrações cristãs: o dia de Santo Antônio (13/06), de São João (24/06) e de São Pedro (29/06). Assim, elas marcam os dias que antecedem e seguem a data de 21 de junho, o solstício de junho, quando começa o verão no hemisfério norte e o inverno no hemisfério sul.

 

Santos Juninos. Fonte: Diocese São João del-Rei.

 

 

Festas religiosas no Brasil

São João de Di Cavalcanti. Fonte: Grafitti Artes Facebook.

 

A relação do Brasil com Portugal nos passou três festas fundamentais no mundo católico: a Páscoa, o dia de São João e o Natal. A primeira móvel, as duas últimas fixas.

Festas de inverno (mais rurais): Festas Juninas, Festas do Divino.
Festas de verão (mais urbanas): Festas Natalinas (Natal e Reis), Carnaval.

Entretanto, além das Festas Juninas, relacionadas ao culto religioso, com o tempo também surgiram outras festas populares ligadas ao campo: a da uva, da maçã, do milho, da rosa, do pinhão, etc.

 

História da Festa Junina no Nordeste

 

São João na Roça (Luiz Gonzaga & Zé Dantas)

“A fogueira tá queimando
Em homenagem a são joão
O forró já começou
Vamos gente, rapapé neste salão
Dança joaquim com isabé
Luiz com iaiá
Dança janjão com raqué
E eu com sinhá
Traz a cachaça, mané
Eu quero vê, quero vê páia voar”

 

Abertura do São João 2011 no Pelourinho. Crédito: Mateus Pereira / Secom. Fonte: Wikimedia commons.

 

A imagem tradicional da festa de São João no Brasil é típica da Região Nordeste. Por ser uma região árida, todos os anos o Nordeste agradece a São João e São Pedro pelas chuvas caídas na lavoura. Em razão da época ser propícia à colheita do milho, o alimento tomou destaque dentro dessa tradição brasileira.

Entre os pratos típicos feitos com milho está, por exemplo, a canjica, o bolo de milho, o curau e a pamonha.

Além de alegrar o povo da região, as festas também representam um importante momento econômico. Afinal, sendo uma festa tão popular, muitos turistas visitam as cidades nordestinas para acompanhar os festejos.

Desse modo, nesse época, os hotéis, comércios e clubes aumentam o seu lucro, gerando empregos na região.

 

Doces de Festa Junina. Fonte: Associação dos Magistrados da Bahia.

 

História da Festa Junina, um patrimônio nacional

 

São João em Lençóis. Crédito: Gary Nedelisky. Fonte: Guia Turístico Chapada Diamantina.

 

Entre as cidades nordestinas onde as comemorações da festa junina são mais tradicionais estão, por exemplo, Caruaru em Pernambuco; Campina Grande na Paraíba; Mossoró no Rio Grande do Norte; Maceió em Alagoas; Aracaju em Sergipe; Juazeiro do Norte no Ceará.

Além disso, outros pequenos municípios também promovem uma Festa de São João muito tradicional, como Cruz das Almas, Ibicuí, Jequié e Euclides da Cunha na Bahia. Aliás, as duas primeiras disputam o título de Maior São João do Mundo. Apesar disso, é Caruaru que se consolidou no Guinness Book, o Livro dos Recordes,  na categoria festa country (regional) ao ar livre.

Embora a maioria dos visitantes sejam brasileiros, os turistas europeus, asiáticos e norte-americanos são cada vez mais comuns.

Infelizmente, nesse meio tempo, a celebração da Festa Junina teve que ser cancelada e adiada por causa da pandemia. Acima de tudo, a situação trará um grande prejuízo  para todas essas localidades. Assim, por agora, nos resta continuar a ter os devidos cuidados e celebrar de maneira íntima com a família.

 

Concurso de quadrilhas Forró & Folia, de 2015. Crédito: G1 Globo. Fonte: Pinterest.

 

Afinal, como celebrar a Festa Junina?

 

 

Festa Junina da Turma da Mônica. Fonte: Blog Arquivo Turma da Mônica.

 

Em resumo, a história da Festa Junina se consolidou com uma das principais referências da cultura brasileira contemporânea. Dessa forma, podemos encontrar referências à celebração das mais diversas formas: em livros, quadrinhos (como a Turma da Mônica), novelas, etc.

Para recriar esse ambiente existem alguns elementos básicos:

1. O local onde a festa ocorre se chama de arraial, em geral um largo espaço ao ar livre, cercado ou não, onde encontramos barracas de comidas e jogos; contudo, em alternativa, galpões ou outros espaços fechados também se adptam para a comemoração.

2. Acima de tudo, a decoração inclui bandeirinhas de papel colorido, balões, tecidos estampados e palha de coqueiro.

3. Entre muitas atividades, nos “arraiás” acontecem, por exemplo, as quadrilhas, o forró, leilões, bingos e os casamentos caipiras. Entretanto, os tradicionais balões e a fogueira não são recomendados pelos perigos e riscos que apresentam, cuidado!

Por fim, vale ressaltar que, em tempos de pandemia, há diversos tutoriais e ideias fantásticas disponíveis para reproduzir uma linda festa em casa.

Então, aproveite e acompanhe algumas delas aqui no Fashion Bubbles!

 

Decoração de Festa Junina. Crédito: Amor e Maternidade, por Mayara Figueredo. Fonte: Pinterest.

 

 

Em seguida, leia mais sobre estilo e trajes típicos:

 

 


       

bragacultura brasileiraFestaFesta de São JoãoFesta JuninaFestasFestas CatólicasFestas de São Joãofestas popularesFestas religiosasgregorianolook caipiraortodoxosPortoportugalprotestantesSantos PopularesTrajes Típicosvestido caipira