Moda anos 80 e a identidade brasileira na Moda no início do século XX

Moda Anos 80 e a Identidade Brasileira na Moda

Em um período de transição da Ditadura Militar à democracia, a década de 80 trouxe um cenário nacional de crise econômica e inflação alta. Apesar dessa situação, a moda dos anos 80 recebeu muito investimento, tendo se tornado mais diversa e popular.

 

Qual era a Moda dos Anos 80?

 

Moda fitness dos anos 80. Desde então, dando continuidade à tendência do final dos anos 70 ao vestuário esportivo e estimulados por uma loucura pelo fitness, as mulheres adotavam cada vez mais roupas de ginástica em seu dia-a-dia. Fonte: olook.com.br

 

Dando continuidade à tendência do final dos anos 70 ao vestuário esportivo e estimulados por uma loucura pelo fitness, as mulheres adotavam cada vez mais roupas de ginástica em seu dia-a-dia. Esse novo gosto foi, por exemplo, registrado pela personagem de Jennifer Beals no filme “Flashdance”, de 1983.

No início dos anos 80, o estilo romântico continuava a estar presente. O seu exemplo máximo foi o vestido de casamento da princesa Diana. Entre as principais características da época estavam as mangas bufantes, as ombreiras, os acessórios sobredimensionados, como cintos e laços.

 

Diana e Charles no dia do seu casamento em 1981. Acima de tudo, as principais características da época estavam as mangas bufantes, as ombreiras, os acessórios sobredimensionados, como cintos e laços. Fonte: fashion-era.com

 

Nesse meio tempo, Vivienne Westwood surgia com o seu visual singular, que buscava na rebeldia do punk a sua principal inspiração por meio de materiais como o metal, o couro e o jeans.

Além disso, essa foi uma época de empoderamento feminino, representado pelo uso de ombreiras imponentes, penteados chamativos, cores fortes e muita atitude.

Enquanto isso, o mercado da moda se diversificava no Brasil, e as telenovelas e programas de televisão ditavam aquilo que se via nas ruas.

 

 

A Moda nos Anos 80

Madonna em “Like a Virgin” em 1984. A moda punk veio nos anos 80 como reação ao movimento hippie dos anos 70, e em parte contra os valores materialistas dos tempos que corriam. Fonte: IMDB

 

Desde então, o estilo passou a ser muito vivo, as roupas se tornaram mais baratas, e as opções e os acessórios mais variadas. A moda punk veio nos anos 80 como reação ao movimento hippie dos anos 70, e em parte contra os valores materialistas dos tempos que corriam.

Para além de Westwood, os principais estilistas da época foram, por exemplo, Christian Lacroix, Gianni Versace, Jean Paul Gaultier e Karl Lagerfeld.

Entre os ícones da moda dos anos 80 estavam, por exemplo, Madonna e a Princesa Diana, e no Brasil Xuxa, Luiza Brunet, e Monique Evans.

 

Capa do primeiro álbum da coleção Xou da Xuxa da cantora e apresentadora Xuxa, de 1987. A artista foi uma das principais referência dos anos 80 no Brasil. Crédito: Som Livre. Fonte: Wikimedia commons

 

  • Logo depois, que tal ver mais sobre a Princesa Diana? Ícone de estilo do comfy wear à elegância real na moda anos 80 e 90.

 

Os Anos 80 no Brasil

 

No início da década teve lugar a primeira FENATEC – Feira Nacional da Tecelagem.  O evento foi realizado no Hotel Hilton, em São Paulo, em fevereiro de 1980.

Contando com 26 expositores, entre fabricantes de fios, tecelagens, malharias e estamparias, a feira trouxe o lançamento de fios e tecidos de tear e de malharia para primavera-verão 1980/81. Assim, antecipava em 12 meses as tendências que estavam por vir.

 

O empresário da moda Humberto Saad, fundador da marca Dijon, e a modelo Luiza Brunet nos anos 80. O jeans então ganhava epsaço dentro do mercado nacional. Fonte: oexplorador.com.br

 

Por sua vez, a proliferação das escolas de moda no Brasil foi o fato mais importante para a moda nacional durante esse período. A primeira delas foi inaugurada em 85, coincidindo com o fim do regime militar.

Posteriormente, o setor se diversificou e aumento tanto que hoje em dia o Brasil é o país com maior número de escolas de moda no mundo! Tal crescimento contribuiu não apenas para a profissionalização do setor, como também para a consolidação da moda como expressão da identidade brasileira.

 

  • Veja também Anos 80: a moda, os ícones e os principais movimentos da década.

 

As Novelas

 

Christiane Torloni na novela “A Gata Comeu”, de 1985. Enquanto isso, o mercado da moda se diversificava no Brasil, e as telenovelas e programas de televisão ditavam aquilo que se via nas ruas. Fonte: muzeez.com.br

 

Antes de mais nada, a popularização e reflexo das novelas da Rede Globo no vestuário de massa foi um dos principais pontos dos anos 80 na moda do Brasil.

Entre as novelas mais famosas da época estavam, por exemplo, Guerra dos Sexos, Corpo a Corpo, Sinhá Moça, Roque Santeiro, Vale Tudo, Top Model, Ti TiTi, Elas por Elas, Brega e Chique.

 

Malu Mader na novela Fera Radical da Rede Globo, em 1988. Fonte:. Fonte: tecnoblog.net

 

Segundo Durand (1988), esse seria “[…] o grande desfile de modas do povo brasileiro […] pois apenas um pequeno grupo de estilistas e produtores de moda tem acesso, no país, a revistas e desfiles estrangeiros […].”

Desse modo, “[…] o figurinista de novela está ajudando a reforçar as tendências de moda desencadeadas no espaço das butiques e confecções da zona sul carioca, e que resultam na adaptação da moda estrangeira, entremeada com criações próprias” (Durand, 1988 p. 100).

 

Arte e Cultura no Brasil

 

Capa da banda Blitz, nos anos 80. Entre as principais influências para as tendência do período podemos destacar os grupos de música e os artistas então em alta no país. Fonte: baamboozle.com

 

Ainda que tenham sido anos complicados e de muita mudança para o país, a moda dos anos 80 no Brasil viveu um grande momento. Ainda que o estilo não fôsse tão elegante como o das décadas anteriores, o setor havia se diversificado e crescido muito.

Entre as principais influências para as tendência do período podemos destacar os grupos de música e os artistas então em alta no país. Afinal, já não se dependia de Hollywood para buscar inspiração!

 

Cazuza e Frejat a frente do Barão Vermelho no Rock in Rio de 1985. Nesse meio tempo, o rock nacional entrou mesmo em destaque, sendo coroado com o primeiro Rock in Rio, celebrado em 1985. Fonte: universoretro.com.br

 

Por exemplo, entre as bandas mais populares estavam o Barão Vermelho, o Kid Abelha, o Blitz e Lulu Santos, entre muitos outros. Ou seja, o rock nacional estava mesmo em destaque, sendo coroado com o primeiro Rock in Rio, celebrado em 1985.

Além disso, os programas de televisão marcavam época com programas como o Balão Mágico e o Xou da Xuxa. Nesse meio tempo, surgiram outras personalidades como Mara Maravilha, Eliana e Angélica.

 

Período de crise nacional

 

Passeata “Diretas Já”. Fonte: universoretro.com.br

 

Para Joffily, outro marco importante para o setor da moda nos anos 80 foi a popularização das lojas de departamentos. Afinal, o rápido e súbito declínio do “milagre econômico” privou as confecções do seu público mais amplo.

Para os brasileiros, veio o fim da ditadura militar em 1985, cujo último governante foi João Batista Figueiredo. Nesse mesmo ano, Tancredo Neves foi eleito como  presidente da Republica pelo Colégio Eleitoral após a bem sucedida campanha das “Diretas Já”.

Contudo, ele faleceu sem assumir o cargo, deixando o país como legado para José Sarney.

 

As lojas de departamento

 

Vera Fischer em uma publicidade de 1985. Fonte: propagandashistoricas.com.br

 

A partir de então, a inflação tomou conta da economia nacional. Como resultado, a indústria, o comércio e o povo viveram momentos de tensão e angústia, pois os preços aumentavam virtualmente de minuto a minuto.

Durante as feiras têxteis da Alcântara Machado os compradores – confeccionistas e lojistas – eram forçados a fechar negócios no ato, pois meia hora mais tarde a mercadoria já estava mais cara.

Nesse meio tempo, tentando conter a inflação, o governo promovia “pacotes” e mais “pacotes” econômicos a fim de congelar os preços – sem muito sucesso.

Assim, surgiram as lojas de departamento. Com uma produção de peças em escala mega industrial, esse novo empreendimento passou a oferecer ao público opções de produtos mais baratos. Entretanto, o fez sem abandonar a noção de estilo que havia conquistado a classe média no período anterior.

 

A moda e a transformação dos anos 80

 

Criações de Ney Galvão nos anos 80. Antes de mais nada, o estilista foi um dos que mais investiram em valorizar uma identidade brasileira na moda dos anos 80. Fonte: oresumodamoda.blogspot.com

 

No que diz respeito à moda, o estilista Ney Galvão estava entre os nomes que mais investiram em valorizar uma identidade brasileira na moda dos anos 80.

Por meio de grandes promoções e desfiles, os anos 80 trouxeram à moda nacional o ressurgimento da indústria têxtil. Além disso, com a diversificação do setor, começaram a se formar vários grupos regionais de moda, como o paulista, o carioca, o mineiro e o cearense.

Desde então, as grifes nacionais começaram a estar em alta. O jeans seguia sendo o filão da moda, principalmente por meio de marcas brasileiras como, por exemplo, a Ellus, Zoomp e Fórum.

 

Ellus campanha de 1985, lodo depois das Diretas Já. O jeans seguia sendo o filão da moda, principalmente por meio de marcas brasileiras como, por exemplo, a Ellus, Zoomp e Fórum. Fonte: propagandashistoricas.com.br

 

Nesse meio tempo, em Fortaleza surgiu o nome do paraense Lino Villaventura. Por meio de sua fidelidade ao universo subjetivo, o estilista se tornou uma referência nacional.

Ainda nos anos 80, jovens estilistas paulistas criaram a cooperativa da moda. Acima de tudo, essa se transformou num verdadeiro laboratório de exercício de estilo, tendo-se destacado nomes como os de Conrado Segretto, Jum Nakao e Walter Rodrigues (Braga, 2003).

Como descrito pelo Ateliê Armond, os grupos regionais se dividiam como descrito abaixo:

 

1978: Grupo Moda Rio

Belui (Luis de Freitas, Beth Brício, Teresa Gureg, Jo & Co (José Augusto Bicalho), Moda Rica (Marco Rica), Blu-Blu (Marília Valls), La Bagagerie (Sônia Mureb), Suka (Suely Sampaio), Movie (Ana Gasparini).

 

1980: Núcleo Paulista de Moda

Alcides, Aquarela (Ana e Jorge Kauffman), Armazém (Alba Noschese), Cia Ltda, Decan Deux, (Décio Xavier), G (Glória Coelho), Huis Clos (Clô Orozco), Le Truc, Rose Benedetti, Tricotage e Zoomp.

 

1982: Grupo Mineiro de Moda

Patachou (Tereza Santos), Comédia, Art-Man, Art-I-Manha, Bárbarela Bela, Straccio, Eliana Queiroz, Allegra, Frizon, Pitti e Renato Loureiro.

 

1986: Grupo São Paulo

As marcas paulistas Armazém, Fórum (Tufi Duek), Zoomp, Tráfico, Nesa César, T. Machione e Giovanna Baby.

 

  • Por fim,  veja dicas para uma Festa Anos 80 – ideias de looks e fantasias inspiradas na extravagância da década.

 

 

Por Denise Pitta.

Editado e atualizado por Mariana Boscariol.

 

*Este é um trecho do relatório final da pesquisa Moda e Identidade Brasileira, feito por Denise Pitta de Almeida em 2003 à Faculdade de Moda da UNIP.

 

 

Anos 80Consolidação da Moda BrasileiraDesfilesHistória da ModaIdentidade Brasileira na Modalojas de departamentosmoda anos 80Moda BrasilModa BrasilerianovelaNovelaspaulistaRede GloboRoupa dos anos 80