Óculos & Negócios – Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercado

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercado
A Mido, maior feira de negócios do setor ótica, optometria e oftalmologia realizada em Milão,  de 28/02 até 02/03, começa temporada 2015 comemorando recorde de alta no mercado internacional, pois, em 2014, as exportações cresceram mais 11,8%, o que resulta em um número superior a € 3,1 bilhões.

A recuperação internacional ganhou impulso durante o verão e no início do outono, com destaque para duas potências: os Estados Unidos e a China, que combinados, foram responsáveis por dois quintos do aumento global no PIB. O que não aconteceu com a zona do Euro que permanece à beira de uma recessão agravada pela deflação. A indústria de óculos italiana espelha a situação global. As exportações atingiram um recorde de alta, compensando as dificuldades crônicas do mercado doméstico.

Ovacionando a tradição e a técnica do design italiano, a MIDO 2015 propõe novo visual em uma mistura de criatividade e eficiência para o evento, que este ano, vem com mais vitalidade e um line-up crescente de produtos através do aumento significativo dos expositores, + 10%, com 150 novas empresas, afirmou Cirillo Marcolin, presidente da Mido e Anfao. “Esta grande afluência nos orgulha e nos diz que estamos indo na direção certa. Com a força do sucesso dos produtos Made in Italy”.

Veja também: MIDO 2015 – Confira Moda e Tendências em Óculos. Inspire-se a ousar!

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercadoColetiva de imprensa da MIDO 2015 Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercadoMIDO 2015 – Nos estandes da feira, entre as tendências mais vistas, destacamos  muitos óculos trabalhados com materiais naturais  e de aspectos rústicos

Entre as novidades para 2015 , está o novo layout, desenvolvido para facilitar a visitação, tornando a MIDO um passeio mais simples e multi-sensorial. A feira também está perto do metrô facilitando seu acesso, como explicou Giovanni Vitaloni, que é o vice-presidente de Mido e Anfao.

Outro destaque da coletiva de impressa foi a escritora Vanessa Brown, professora de design e Cultura Visual na Nottingham Trent University e autora do livro “Cool Shades: The History and Meaning of Sunglasses” (Sombras Descoladas: A História e o Significado dos Óculos Escuros), que será lançado em janeiro de 2015, falando sobre o apelo duradouro dos óculos de sol na cultura visual, tanto historicamente, quanto hoje.

Onipresente na moda, publicidade, cinema e gráfico design, óculos de sol são o significante final de ‘cool’ em cultura de massa; um atributo poderoso que permeia muito moda e pop imaginário cultural que recebeu pouca atenção acadêmica até agora.

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercado
MiDO 2015   – Armações em coloridos vibrantes e lentes espelhadas coloridas também tinham presença constante em muitas marcas

PREVISÕES PARA 2015

Com base nas últimas previsões dos principais institutos econômicos de 2015 parece cada vez mais provável que seja um divisor de águas, quando a recessão longa e profunda que começou em 2008 deve terminar acompanhado por um crescimento do PIB e de emprego.

Esta transição crucial é o resultado de três fatores:

  • Em primeiro lugar, uma combinação muito favorável de elementos externos: a queda acentuada dos preços do petróleo, o euro caindo, um captador no comércio mundial, e mais baixas taxas de juro de longo prazo
  • Em segundo lugar, as políticas pró-crescimento que irá estimular o emprego e os investimentos, também por causa da flexibilidade concedida por Bruxelas.
  • O terceiro fator é que os indicadores econômicos que estão apontando para uma situação de demanda doméstica estável e produção, oferecendo um bom novo ponto de partida. Sem considerar EXPO que todo mundo espera fazer grande contribuição.

Por outro lado, o óleo, a taxa de câmbio e taxas de juros muito mais baixas vai ajudar toda a área da zona Euro, que é o principal mercado para a produção italiana.

Os Estados Unidos são o principal motor de novo, a China está experimentando uma desaceleração e a Índia está ganhando força, o que será mais propício para um retomo da atividade internacional, apesar das dificuldades enfrentadas pela Rússia e Brasil.

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercadoÓculos arredondados estão entre as principais tendências

As primeiras indicações tangíveis de um ponto de virada pode ser visto nas estatísticas publicadas pelo Centro de Estudos Confindustria: o aumento  da confiança do consumidor, especialmente por causa dos dados positivos sobre os orçamentos familiares, os gastos com bens duráveis e condições econômicas futuras sugerem que a demanda doméstica poderia contribuir significativamente para um novo surto de atividade ao longo dos próximos meses.

No entanto, a produção industrial será impulsionada pela demanda doméstica e no exterior, que está cotado para ganhar impulso. Além disso, ao longo dos próximos meses, vamos estar vendo os resultados completos dos efeitos expansionistas provocada pela queda dos preços do petróleo e da depreciação dos Euros.

Todos esses fatores podem definitivamente ter um efeito positivo na indústria de óculos também. Exportações salvou a indústria e certamente vai continuar a desempenhar um papel fundamental no futuro próximo.

O cenário global em mudança é que estabelece novas regras de concorrência em toda a linha e com diferentes economias também se movendo em ritmos diferentes, já não é suficiente para “ser um bom vendedor”, mas se concentrar em “o que é vendido”. Os produtos tornam-se fundamentais, com inovação, qualidade, originalidade e valor acrescentado fazer mais diferença.

Assim, para as empresas de óculos de pequeno e médio porte, a chave para a recuperação também está na necessidade de concentrar-se na especialização, em nichos de mercado que têm um alto valor agregado, produtos Made in Italy que são reconhecidos em todo o mundo, e de qualidade certificada.

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercadoOutro destaque fica por conta de armações estampadas e muito coloridas, flores, listras e mix de estampas estão entre os destaques da MIDO 2015

Empresas de grande porte também são afetados por essas mudanças radicais desde a sua forte alcance internacional pode ser tanto já não é suficiente ou aplicável a certos produtos, principalmente high-end e produtos de luxo.

Na Itália, no entanto, são necessárias medidas governamentais adequadas para apoiar e conduzir este processo, como os governos de outros países já o fizeram (o primeiro entre estes os Estados Unidos): a redução na carga fiscal, menos burocracia, reduções fiscais dos lucros reinvestidos em I & D, menores custos de energia e proteger a produção italiana são todos must-haves.

Em seguida, vêm as reformas estruturais. Aqueles que foram aprovados ou estão prestes a ser implementado, e aqueles que estão se movendo através do parlamento, e uma área onde esperamos que o governo italiano para, finalmente, fazer alguns esforços significativos. Irlanda e Espanha, que relataram fortes aumentos do PIB, são exemplos dos impactos positivos das reformas, mesmo através do retorno de investidores estrangeiros.

Alguns números e tendências apresentados na coletiva de imprensa

Em 2014 a produção de óculos italiana totalizou € 3.171 milhões, 9,4% a mais que em 2013. Este aumento foi impulsionado e apoiado pelas exportações do setor.

O número total de empresas manteve-se praticamente inalterada, aqueles que fecharam foram substituídas por recém-chegados no mercado, mostrando que as coisas estão se movendo novamente. Em 2014, havia 868 empresas (-0,1% a menos que em 2013).

Uma importante razão para ser otimista é que as empresas estão contratando novamente: sem considerar os trabalhadores com contratos a termo certo (quase 1000), havia 16.195 pessoas que trabalham no sector, no final de 2014, + 2,3% em relação a 2013.

Notável aqui é o “reshoring back” ou “retorno à Itália” de alguns grupos e empresas, que agora voltaram a ter toda, ou parte da sua produção na Itália, incluindo empresas de óculos. Uma das razões é que os consumidores estão cada vez mais sofisticados, buscando produtos italianos que eles identificam como artigos de luxo, e como tal estão dispostos a gastar, só se eles são feitos na Itália.

Outras razões incluem: o crescimento dos custos na China e em outros países considerados antes como alternativa de produtos de baixo custo; a necessidade de estar fisicamente perto de um mercado e ter uma produção mais flexível; o desejo de melhorar o posicionamento da marca, e a crescente sensibilidade do consumidor para as questões sociais e ambientais.

Esta tendência está em andamento entre os grandes grupos de luxo, tanto os italianos como os estrangeiros (que estão vindo para produzir na Itália) porque “Made in Italy” é um diferencial e os custos mais elevados são compensados pelos benefícios da imagem do produto e da qualidade.

Registros europeus mostram ainda que o mercado de ótica gerou  €15 bilhões volume de negócios em 2014. O painel GfK’s Optics rastreia dados de vendas de óculos de sol, armações, lentes de óculos, lentes de contato e produtos para cuidados de lentes de contato.

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercado
MIDO 2015 – Lentes coloridas

Os resultados deste estudo mostram que a tendência geral, foi positiva em dados como: Alemanha e França, que em conjunto representam 70 por cento do mercado em termos de valor, lideram o crescimento, que respectivamente, foi de  3,0 por cento e 0,6 por cento, respectivamente, contra 2.013. Itália mostra tendência negativa contra 2013 (-0,5 por cento), enquanto a Espanha se mantêm estáveis em -0.2 por cento.

O mercado de lentes de contato (incluindo produtos de higiene), que representam 10 por cento do total do mercado Optics, tem impulsionado as performances de Cian Opti- na Europa: 2,6 por cento. Frames, que representam 22 por cento do volume de negócios total, mostram um crescimento de 2,4 por cento, recuperando-se após a -1.4 por cento registrados entre janeiro e dezembro de 2013. O segmento de lentes de óculos, que representam 58% do mercado total de ótica, registra um crescimento positivo.

EXPORTAÇÕES E BALANÇA COMERCIAL

As exportações de armações, óculos e lentes, que representam mais de 90% da produção no setor, aumentaram de 11,8% em relação a 2013, totalizando € 3.110 milhões (um recorde).

A tendência foi o resultado de aumentos semelhantes em ambos os principais segmentos da indústria: armações e óculos de sol.

Em 2014, as exportações de óculos de sol tiveram um incremento de 11,7% fixando-se em aprox. € 2069 milhões. Em vez disso, as exportações de quadros cresceu + 12%, tocando a marca de 974.000.000 €.

Exportações mensais em 2014 foram semelhantes à figura global, com um aumento acentuado a partir do Verão, e levando a um aumento de dois dígitos em óculos de sol e quadros exportações.

Outro testemunho da vitalidade econômica de eyewear nos mercados internacionais foram as importações, que aumentaram 13% ano-a-ano no valor de pouco mais de € 1.000 milhões de euros.

A balança comercial de óculos italiana continuou a ser bem no preto (€ 2.109 milhões da balança comercial em 2014), com aumento de mais de 11 pontos percentuais em comparação de 2013.

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercado
O grande barato é customizar, é se individuar e  encontrar seu estilo único, nessa busca vale mergulhar pelos mais criativos caminhosMIDO 2015

EXPORTAÇÕES por áreas geográficas como PAÍS

2014 foi um ano recorde para as exportações de óculos italianos.

Os Estados Unidos e Europa registraram um pico de atividade económica, pelo segundo ano consecutivo.

Para a Europa, especialmente, onde apenas alguns países tinha postado bons resultados em 2013, os números de exportação foram bons, com alguns resultados importantes (em Espanha, Portugal e Grécia também).

Os números das exportações de óculos italianos para mercados emergentes manteve-se positiva, tanto nos países em que já tem um ponto de apoio, bem como nos de “mais recentes”.

Se óculos de sol e quadros exportações são consideradas como um todo, uma análise detalhada das áreas geográficas mostra que:

 o principal mercado para as exportações de óculos de 2014 manteve-se a Europa, com uma quota de 50% de todas as exportações de óculos italianos e um aumento de 12,7% ano-a-ano (+ 13% para os óculos de sol, + 12,3% para os quadros).

 A participação das exportações para o continente americano em 2014 foi ligeiramente inferior a 30%, com as exportações de óculos de sol-a prescrição de óculos aumentou 9,6% em relação a 2013, e América do Norte postando o melhor resultado (+ 12,7%).

 Ásia absorveu 17,7% dos óculos de sol e quadros exportações italianas em 2014 (+ 15% em relação ao ano anterior), que foi um desempenho brilhante e pode ser atribuída principalmente para a Ásia Oriental (+ 16%).

 Sunglass prescrição de óculos exportações aumentaram para África, também em 2014 (+ 14,7% em relação a 2013).

 A Ásia continuou sendo o principal fornecedor é responsável por quase 69% do total das importações. Se os países que a Itália exporta para são considerados:

 nos Estados Unidos (que sempre foi o principal mercado de exportação para a indústria de óculos com uma quota de 23% em 2014) o total das exportações de óculos de sol e armações situou-se em + 13,3% em relação a 2013. Os óculos de sol (+ 15,1%) manteve-se o condutor principal, apesar do bom aumento nas exportações de frame (+ 8,6%).

 A indústria de óculos italiana fez bem na Europa, com uma recuperação sustentada em alguns países e uma validação dos resultados anteriores e algumas boas notícias em outros. Os países onde foram confirmados os resultados anteriores eram basicamente França, Alemanha e Reino Unido, com os dois últimos definitivamente um passo à frente, especialmente para óculos de sol. As exportações italianas de óculos de sol e armações para a Alemanha foi de + 28,3% ano-a-ano, dividido em + 27,6% para óculos de sol e + 29,1% para os quadros. Exportações óculos italianos para o Reino Unido aumentou em + 23,7% em relação a 2013, com uma + 36,1% para óculos de sol e + 5,7% para os quadros. Dos três, a França era responsável por um desempenho um pouco sem brilho em 6,7% para os óculos de sol e óculos, com + 8,9% para os óculos escuros e um + 3,8% para os quadros.

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercadoOs óculos estão coloridos e estampados nos mais diversos materiais

Houve uma recuperação sustentada das exportações para a Grécia, Espanha e Portugal, que finalmente começou a crescer significativamente: Grécia (+ 15,1% total contra 2013, com + 15,2% para óculos de sol e + 14,7% para os quadros), Portugal (+ 13,1% para óculos de sol e armações com + 4,3% para os quadros e + 20,1% para óculos de sol) e Espanha (+ 8,2% em relação a 2013, e + 8,1% para óculos de sol e + 8,4% para os quadros).

Não foi uma boa notícia do norte da Europa, uma área interessante, como um todo, com bons números de exportação de óculos italiana. Suécia (+ 16,9% para óculos de sol além de quadros (com + 18,3% e + 15,3% para óculos de sol e armações, respectivamente), Noruega (+ 16,5% para óculos de sol além de quadros com + 13,6% para óculos de sol e + 22,1% para os quadros), e Finlândia (+ 28% para os óculos de sol além de quadros, com + 30,2% para óculos de sol e + 26,8% para os quadros) combinados foram responsáveis por quase 2% do valor das exportações.

 Como de costume, a tendência das exportações de óculos para os países recém-industrializados devem ser considerados separadamente. Aqui, o cenário global está em constante evolução, o centro do mundo mudou, já não é, ou não só, o Ocidente desenvolvido. Antes era os países do BRIC: Brasil, Rússia, Índia e China, agora é STIM, África do Sul, Turquia, Indonésia e Malásia. Mas também há Vietnã, Mianmar, Filipinas e Chile. Em seguida, será a vez de toda a África. Um novo mundo industrial e um novo mundo de consumidores. Uma grande oportunidade para as indústrias ocidentais, que deve ser capaz de compreender esses mercados e suas necessidades. Eyewear parece ser um mestre nisso, ele sempre teve uma enorme capacidade de saber como explorar as oportunidades que surgem nos mercados internacionais. Em 2014 essa tendência foi visto novamente. Em termos de quotas de mercado os números ainda não foram muito significativos, é claro, por isso é muito fácil de encontrar resultados (positivos e negativos), que estão muito acima dos valores de dois dígitos, mas o potencial é enorme para as exportações de óculos italianos. Abaixo, em ordem de importância, é a parcela atual de mudanças percentuais nas exportações de óculos (variando de 2,8% a 0,5%) para esses países em 2014:

– China + 178% (+ 172,7% óculos de sol e + 196,2% das armações)

– Brasil + 11,7% (+ 2,2% + óculos de sol e 41,7% frames)

– Coreia do Sul + 20,6% (+ 22,8% óculos de sol e armações -8,5%)

– Turquia + 16,2% (+ 12,9% e + óculos de sol 49,7% das armações)

– Emirados Árabes Unidos + 14% (+ 6,3% + óculos de sol e armações 47,8%)

– Japan + 27,6% (+ 34,3% e + óculos de sol 12,6% das armações)

– Israel + 10,1% (+ 8,4% + óculos de sol e 16,2% frames)

– Arábia Saudita + 25,8% (+ 19,3% de óculos de sol e armações + 41,3%)

– África do Sul + 17,5% (+ 20,9% óculos de sol e armações + 6%)

– Polónia + 28,3% (+ 32,3% e + óculos de sol 25,6% quadros)

– Índia + 16,5% (+ 14% de óculos de sol e + 23,1% frames).

Na Rússia, por outro lado, as dificuldades geopolíticas continuam sendo um obstáculo para as exportações de óculos (-16,8% ano-a-ano para a indústria).

QUOTAS DE MERCADO DAS EXPORTAÇÕES ITALIANAS

Se as exportações mundiais de óculos de sol e armações são considerados, os quais foram estimados em cerca de € 13,900 milhões em 2014, a quota de mercado da Itália está em cerca de 23%, depois da China. É claro que, se a parte da high-end é considerado, as exportações italianas certamente ocupam o primeiro lugar, com uma participação de quase 70%.

Quando os dois segmentos são analisados separadamente, o valor da quota de mercado das exportações de óculos de sol italianas em 2014 era cerca de 30% e 20% para os quadros.

Os volumes de exportação

No geral, as exportações da indústria de óculos italiana totalizaram cerca de 94 milhões de pares de óculos, aumento de 2% em relação a 2013.

Dos 94 milhões de pares de óculos exportados, 61 milhões eram óculos de sol (aprox. 66%) e 33 milhões eram quadros de prescrição (34%).

MERCADO INTERNO

Não havia sinais claros de um pico no mercado nacional em 2014, em termos de valor de um ponto percentual adicional foi perdido.

Tanto o sell-in dados coletados por ANFAO, e os dados de sell-out recolhidos pela GfK mostram que a situação foi definitivamente um difícil um embora ainda melhor do que em outros setores.

A tendência geral permaneceu negativo (-3% para o valor de sell-in de ambos os óculos de sol e armações). Parecia haver uma picape para lentes oftálmicas, também devido ao fato de que eles são um dispositivo médico e compras de lentes não podem ser adiadas para sempre.

Um motivo de preocupação é a forma como estes resultados foram divididos dentro do setor de comércio, onde cadeias de lojas tiveram um pico de atividade (como resultado de produtos de marca própria e de alto impacto de campanhas promocionais) e havia uma rede de piora para as lojas independentes que representam sempre mais de 50% da área de distribuição de italiano. Isso mostra que o setor de distribuição também deve pensar cuidadosamente sobre como tirar proveito das mudanças e tentar reagir à recessão, concentrando-se na diferenciação, qualidade e serviço oferecido ao consumidor final.

Veja também: MIDO 2015 – Confira Moda e Tendências em Óculos. Inspire-se a ousar!

Informações: MIDO

O Fashion Bubbles, em nome de Denise Pitta, editora do site, foi convidada para cobrir a MIDO pelo ICE – Departamento para a Promoção e Internacionalização das Empresas Italianas da Embaixada da Itália. Ficam nossos agradecimentos a Paola Rosseto por todo o carinho e atenção.

Óculos & Negócios   Mido 2015 apresenta em coletiva de imprensa, números e tendências do mercadoPor Denise Pitta

Publicação: 27 de fevereiro de 2015

AUTOR

Denise Pitta é digital Influencer e é editora do Fashion Bubbles. Estilista, formada em Moda e Artes Plásticas, atuou em diversas confecções e teve marca própria de lingeries, a Lility. Começou o blog em 2006 e está entre as primeiras blogueiras brasileiras da moda. Também desenvolve pesquisas sobre História e Identidade Brasileira na Moda e Psicologia Analítica. É apaixonada por filosofia, física quântica, psicanálise e política. Siga Denise no Instagram: @denisepitta e @fashionbubblesoficial

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Swag Hair, o corte de cabelo de 2015

Depois de uma temporada longa - quase eterna - do reinado do corte de cabelo chanel e suas variações, a.k.a....

Fechar