Estamparia Corrida – Parte 3/3

Estamparia Corrida   Parte 3/3

Imagem Santa Mistura

Por Alexandre Gijon

Leia também Processos e Técnicas de Estamparia – Parte 1/3 e Tipos de tinta e efeitos para Silk-Screen (Parte 2/3).

É um tipo de estamparia que é aplicada diretamente no tecido. É o processo usado para criar o “Tecido Estampado” que pode ser feito através de diferentes técnicas:

Estamparia Corrida   Parte 3/3

Imagem Santa Mistura

  • Estampa Corrida de Quadro

É um processo de estamparia de rolo de tecido. São desenhos que se repetem formando um rapport cobrem toda a extensão do tecido sem tingimento. Assim são feitos os tecidos estampados.

O rapport é padrão mínimo da estrutura do desenho que se repetirar por toda a extensão do tecido, sua arte é criada para que não seja percebida a emenda entre uma batida e a outra, e também de forma que o desenho se complemente. Saiba como fazer um raport no photoshop no blog Santa Mistura.

Estamparia Corrida   Parte 3/3

O processo de estamparia corrida em quadro é um processo lento e caro. São feitas telas de nylon como as telas de silk-screen, porém com a medida de 1,50 x 0,80m e a tinta é aplicada manualmente ou por máquinas através dos quadros (telas).

Estamparia Corrida   Parte 3/3Estamparia Corrida   Parte 3/3

Imagens do site Bastida

É utilizada uma tinta especial que busca obter o menor toque possível para não comprometer o caimento do tecido.

Existe um limite de até oito cores.

  • Estamparia Corrida de Cilindro

Processo semelhante ao processo de quadro. Porém, neste são utilizados cilindros metálicos perfurados com os desenho da estampa.

Estamparia Corrida   Parte 3/3Estamparia Corrida   Parte 3/3

Imagens do site Bastida

Para cada cor é feito um cilindro. A tinta é colocada dentro do cilindro e uma maquina gira os cilindros aplicando a tinta ao tecido como numa gráfica. É o processo mais moderno de estamparia corrida. Seu custo de preparo é pouco mais alto que o de quadro, porém o tempo de produção é muito mais rápido.
Também existe o limite de oito cores.

” Para se gravar um cilindro, o processo pode ser digital usando gravadoras a laser, cêra ou manual utilizando fotolitos.

A estamparia de cilindros geralmente é utilizada quando a quantidade de tecido a ser estampada é muito grande e com pouco prazo para sua execução.” (Leia mais no site Bastida)


  • Estamparia Corrida de Sublimação

É um processo que funciona com cilindros metálicos perfurados, a diferença do processo de estampa de cilindro comum é que os cilindros são alimentados com tinta sublimática e a máquina aplica a tinta a um rolo de papel que na mesma hora vai aplicando por processo de prensa térmica no tecido.

A tinta sublimática é uma tinta que reage diretamente com a fibra dos tecidos de poliéster e poliamida e funciona como uma espécie de tingimento localizado.

Limita-se ao uso de até oito cores e apenas aos tecidos de poliéster e poliamida.

  • Estamparia Digital

Saiba mais sobre a Estamparia Digital.

Processo de estamparia onde uma maquina semelhante a uma impressora gigante imprime diretamente no tecido um desenho digital. Do computador para o tecido.

Estamparia Corrida   Parte 3/3
Esse processo dispensa a fabricação de quadros e cilindros, além de possibilitar a produção em pequena escala, sendo possível estampar um único metro se necessário, contra os 600 metros mínimos pedidos para os outros processos de estamparia corrida.

Graças à alta resolução dessas “impressoras” de tecido é possível imprimir até fotos através da estamparia digital. Este processo eliminou alguns custos, porém seu valor é três vezes maior que os convencionais porque a tinta usada é extremamente cara.

“Sua aparência após estampado é a de quadricromia. Suas cores são formadas pelos pixels em jatos de tinta e podem ser estampados praticamente todos os tipos de desenhos que se desejar, os de qualquer padronagem que conhecemos em estamparia e inclusive ou principalmente os formados por fotos e/ou ilustrações com todas as cores possíveis.

Por todas as possibilidades é o processo mais lento e porisso usado para desenhos difíceis, com inúmeras cores, desenhos fotográficos, exclusivos ou de pouca quantidade.

Sua qualidade é excelente e seu toque é somente o do tecido, como os do processo transfer.” ( Leia mais sobre estamparia no site Bastida)

Criação de Desenho para Estampa Corrida

Saiba ótimas dicas sobre estampas no blog Santa Mistura e aqui. Conheça também o Pequeno Manual de Estamparia.

Leia também Processos e Técnicas de Estamparia – Parte 1/3 e Tipos de tinta e efeitos para Silk-Screen (Parte 2/3).

Por Alexandre Gijon

(Alexandre Gijon é formado pela escola Panamericana de Artes, no curso de Design Têxtil. Trabalhou desenvolvendo tecidos de camisaria para tecelagens, além de atuar com estilistas renomados, como Reinaldo Lourenço. Atualmente trabalha desenvolvendo a parte de estamparia corrida digital e também atua como free-lancer para tecelagens e malharias no desenvolvimento de estampas para a coleção, além de fazer trabalhos exclusivos para clientes. alexandregijon@gmail.com )

Publicação: 11 de julho de 2008

AUTOR

Queila Ferraz, Coordenadora Geral do Curso de Design de Moda da UNIP, foi professora da Universidade Anhembi Morumbi e dos cursos de pós-graduação de Moda do Senac. É historiadora de moda, especialista em processos tecnológicos para confecção e consultora de implantação para modelos industriais para a área de vestuário.

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
image00122
O Xadrez Tartã – Origem e História

D&G O tecido xadrez (check) foi criado por proprietários de terras na escócia, durante o século XIX, como alternativa para...

Fechar