Um preso neozelandês lança marca de roupa na internet

65

Escrevi há mais de dez anos que a Internet subverteria os conceitos de tempo e espaço, que além de grandezas físicas, são grandezas culturais. Ninguém discute mais como a Internet revolucionou o conceito de tempo: afinal vivemos todos muito mais acelerados! Mas as mudanças no conceito de espaço físico ainda são mais difíceis de demonstrar.

Uma matéria do UOL Estilo reporta que “um antigo campeão neozelandês de fisiculturismo, preso por tráfico de drogas, lançou a partir de sua cela um negócio de venda de roupa pela internet.

Justin Rys, que começou a cumprir recentemente uma pena de dez anos e meio de prisão por importação de drogas em fevereiro, faz propaganda de casacos com capuz, entre outros itens, no portal “Big Kiwi”, sob a marca “A roupa do condenado”.

O logotipo da marca mostra um homem com uma musculatura considerável que escapa da prisão rompendo as barras de ferro.

Você também pode gostar!

As autoridades penitenciárias da Nova Zelândia informaram que a lei não proíbe que os presos mantenham uma atividade comercial, desde que não contrate outros presos.

Em seu portal web, Justin conta também que não tem acesso a pesos em sua cela e que, por isso, faz exercícios levantando outros detentos.”

A grande lição é não adianta mais trancafiar alguém numa cela, isto é, limitar seu espaço físico, se esta pessoa tem acesso ao espaço virtual, onde sua liberdade é ilimitada!

Fonte: UOL Estilo.

O site: Big Kiwi.

você pode gostar também