Domingo de Ramos: entenda qual o significado do dia que marca o início da Semana Santa

Conheça mais sobre a história e o simbolismo do Domingo de Ramos, data que antecede a celebração da Páscoa.

- Continue depois da Publicidade -

Sendo um dos momentos mais importantes dentro da liturgia cristã, o Domingo de Ramos dá início à Semana Santa, que culmina com a celebração da Páscoa no domingo seguinte.

Afinal, a data é extremamente simbólica e segue sendo celebrada em vários países do mundo, em um festejo que exalta o seu principal símbolo: as folhas de palmeira, erguidas tanto dentro da igreja como na procissão de rua.

Em seguida, conheça com mais detalhes o quê se celebra no Domingo de Ramos e qual a sua importância dentro do cristianismo.

 

Pintura da entrada de Jesus em Jerusalém, de 1320.
Pintura da entrada de Jesus em Jerusalém, de 1320. Crédito: Pietro Lorenzetti. Fonte: Wikimedia commons.

 

 

- Continue depois da Publicidade -

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor

 

O Domingo de Ramos é uma data comemorativa móvel dentro do calendário cristão. O que isso significa? Que a festividade não tem uma data fixa para acontecer, sempre dependendo de quando será fixado o domingo de Páscoa.

- Continue depois da Publicidade -

Foi no século XVI que a Igreja estipulou que a Páscoa cairia no primeiro domingo após a primeira Lua cheia do Equinócio da Primavera, entre os dias 21 de março e 25 de abril.

Assim, para ser celebrado, o Domingo de Ramos está sempre a depender de quando naquele ano cairá o domingo de Páscoa.

 

O quê se celebra?

 

- Continue depois da Publicidade -

«Regozija-te muito, filha de Sião; exulta, filha de Jerusalém; eis que vem a ti o teu rei. Ele é justo, e trás a salvação; ele é pobre e vem montado sobre um jumento, sobre um potrinho, filho de uma jumenta.» (Zacarias 9:9)

 

Entrada de Jesus em Jerusalém de Giotto di Bondone, século XIV.
Entrada de Jesus em Jerusalém de Giotto di Bondone, século XIV. Fonte: Wikimedia commons.

 

A festa do Domingo de Ramos  comemora a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, então aclamado pelo povo como “o Messias”, o “rei de Israel”. O episódio  é mencionado nos quatro evangelhos canônicos (Marcos 11:1, Mateus 21:1-11, Lucas 19:28-44 e João 12:12-19).

Nos relatos evangélicos, a sua entrada na cidade teria se dado uma semana antes de sua ressurreição, celebrada na Páscoa.

De acordo com os evangelhos, Jesus teria chegado a Jerusalém montado em um jumento, ele um símbolo da sua humildade. Além disso, o animal também era visto como pacífico, ao contrário do cavalo, usado em combates e guerras.

Em reação à sua entrada, o povo teria lançado mantos sobre o seu caminho, assim como pequenos ramos de palmeira.

A sua chegada à cidade marca o início do período conhecido como Semana Santa ou Paixão, que terminará com a crucificação e ressurreição de Jesus.

De acordo com os evangelhos, Jesus viajou à Jerusalém para celebrar a “Pessach, a Páscoa judaica. E, segundo Lucas 19:41, Jesus se emocionou logo ao se aproximar da cidade como que pressentindo todo o sofrimento que viria.

 

Pintura russa da entrada de Jesus em Jerusalém no Domingo de Ramos, século XV.
Pintura russa da entrada de Jesus em Jerusalém no Domingo de Ramos, século XV. Fonte: Wikimedia commons.

 

Significado 

 

Com a ênfase na sua celebração, a Igreja reforça que Jesus Cristo foi posteriormente crucificado sob o pedido e conivência da mesma população que no  Domingo de Ramos o havia aclamado como rei.

Dessa maneira, o dia serve para iniciar a reflexão sobre os acontecimentos da Semana Santa, sendo uma mensagem clara de amor e compaixão.

 

A Semana Santa

 

Você também pode gostar!
A prisão de Jesus, de Duccio Maesta, 1308.
A prisão de Jesus, de Duccio Maesta, 1308. Fonte: Wikimedia commons.

 

Domingo de Ramos: segundo o evangelho, nesse dia Jesus entrou em Jerusalém montado em um jumento para celebrar a Páscoa Judaica. A população então o clamou como o Messias, o rei de Israel.

Segunda-Feira Santa: dia em que se recorda a prisão de Jesus Cristo.

Terça-Feira Santa: dia em que se celebram as Sete dores da Virgem Maria.

Quarta-Feira Santa: o quarto dia da Semana Santa marca a procissão do encontro de Nosso Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores.

Quinta-Feira Santa: o primeiro dia do Tríduo Pascal, nele se relembra os três gestos de Jesus na Última Ceia: a Instituição da Eucaristia, o Lava-pés e a instituição do sacerdócio. Nesta ocasião Judas Iscariotes sai e entrega Jesus por trinta moedas de prata, fazendo com que ele fosse preso, interrogado e, na sexta-feira pela manhã, açoitado e condenado.

Sexta-Feira Santa / Sexta-Feira da Paixão: dia no qual Jesus é morto. Por conta da sua morte os cristão celebram a Solene Ação Litúrgica, a Paixão de Cristo e a Adoração da Cruz.

Sábado Santo ou Sábado de Aleluia: é o dia da espera, da vigília mais importante para os cristãos, que aguardam junto ao sepulcro a ressurreição de Jesus.

Domingo de Páscoa: o dia da ressurreição de Jesus Cristo. A Páscoa é então seguida por cinquenta dias de vigília até o Domingo de Pentecostes.

 

A celebração do Domingo de Ramos 

 

Domingo de Ramos em Zaragoza, Espanha, em 2007.
Domingo de Ramos em Zaragoza, Espanha, em 2007. Crédito: fernand0. Fonte: Flickr.

 

Assim, em respeito a uma das celebrações mais importante do cristianismo, em países ao redor do mundo onde o catolicismo segue tendo uma presença significativa ainda se verifica a festa popular do Domingo de Ramos.

Dentro e fora da igreja, o festejo segue incluindo as folhas de palmeiras – que em lugares onde a planta não é comum são substituídas por ramos de outras árvores.

 

Domingo de Ramos no Timor-Leste, 2019.
Domingo de Ramos no Timor-Leste, 2019. Crédito: J. F. Guterres. Fonte: Wikimedia commons.

 

No Brasil

 

Nesse sentido, sendo um país com uma importante tradição católica, o Domingo de Ramos é uma festa muito celebrada em várias partes do território brasileiro.

 

Procissão do Domingo de Ramos pelo Centro Histórico de Pirenópolis, em 2015.
Procissão de Ramos pelo Centro Histórico de Pirenópolis, em 2015. Crédito: Irmandade do Santíssimo Pirenópolis. Fonte: Wikimedia commons.

 

Entre as cidades que tradicionalmente celebram a festa estão, por exemplo, as mineiras Ouro Preto, Pirenópolis e São João Del Rei, onde a procissão é acompanhada de uma banda com música.

Em tempos de pandemia, infelizmente os adeptos têm que adiar o festejo tradicional na rua. Entretanto, a atual limitação não tira o sentido e a importância do dia para os cristãos, que hoje iniciam a semana de reflexão sobre a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo.

 

Por Mariana Boscariol.

 

Em seguida, leia também:

 

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes