A grande falácia – Questionamentos sobre a mentira em nossa sociedade

A grande falácia   Questionamentos sobre a mentira em nossa sociedade

É mentira! Vivemos em uma grande e infindável mentira. Olhe a sua volta, tudo é envolto em máscaras das desilusões infinitas. Todo mundo mente e todo o resto tem ciência disso. Mentimos para os outros e muito mais para nós mesmos. Aceitamo-las como absolutas e inquebrantáveis verdades. Verdade? Não, não, tudo menos isso, pelo amor de Deus, faço o que quiser, mas não me venha com verdades. A mentira é conveniente, a mentira é institucionalizada e… desejada por todos nós!

O tema desse artigo surgiu há cerca de uma semana quando analisando o meu cotidiano, olhei em volta e…

Na televisão mostra e se fala aquilo que não se cumpre ou inexiste. Políticos esbravejam o asco de inverdades que parecem ser congênitas. Telejornais distorcem em tênues graus frescas notícias de acordo com a conveniência de suas corporações. Filmes e novelas encenam o que jamais aconteceria na vida “real” (eu sei que em parte é a função deles, mas há tanta gente que acredita fielmente naquilo). É o ator que pela manhã está em passeata contra as drogas e à noite, na balada, cheirando cocaína; o corredor que chora no pódio pela sua medalha de ouro e derrama as mesmas e ardidas lágrimas no dia seguinte por ter sido descoberto dopado; o apresentador que faz juras de amor à esposa enquanto todo o planeta e, o que é pior, até o próprio cônjuge, sabe que ele tem uma amante, ou várias…

Mente aquele que diz que nunca mentiu!*

A grande falácia   Questionamentos sobre a mentira em nossa sociedade A grande falácia   Questionamentos sobre a mentira em nossa sociedade

Imagem do É tempo de renascer e do EFM DIZ…

Nas livrarias lê-se a mentira travestida de seriedade. Opúsculos tendenciosos, livretos de como manter os cabelos, assinado por um autor careca, periódicos que nos mostram corpos manipulados pela tecnologia, levando mulheres à loucura por sonhar com algo que só é possível nas penumbras de salas dos computadores. Revistas que cospem a felicidade de famosos, mas que não retratam a realidade nem de lá, nem de cá, intelectuais de botequim, “obras” que não dizem nada…

Nas ruas só se escutam reclamações, fofocas, insatisfações e críticas por parte dos transeuntes o que, sempre me dá a impressão que não há ninguém jamais satisfeito ou feliz, ou seja, em outras palavras, mentiras e mais mentiras. Foram raríssimos os momentos nos quais escutei algo de interessante, construtivo ou verdadeiro…

Nas academias onde ministro aulas, depara-se constantemente com a patética tentativa de se parecer com aquilo que não se é, com corpos pulsando em músculos gerados pela química da insegurança, profissionais das mais diversas disciplinas utilizando hipocritamente o adágio de que faça o que digo, mas não faça o que faço, com o descomunal desespero de fugir do envelhecimento natural do corpo físico…

Enganar a si próprio é como apagar incêndio com querosene, só aumenta o estrago*.

Acordamos e mentimos que hoje será diferente do que ontem, mas… como poderia ser se as ações continuam as mesmas do dia anterior? Nos alimentamos com pressa, presumindo que um dia, ela, a pressa, vai desaparecer sem nenhuma iniciativa mutante de nossa parte. Chegamos ao trabalho e mentimos descaradamente ao abraçar sorridentes pessoas das quais não gostamos; estipulamos prazos que sabemos que não iremos cumprir; gritamos internamente que este será o último ano na empresa, pois merecemos ser valorizados e não foi pra isso que fizemos aquela faculdade, que diga-se de passagem, nem queríamos cursar mesmo; fingimos gostar da promoção do companheiro.

A grande falácia   Questionamentos sobre a mentira em nossa sociedade

Via Paraíso das B…

Em seguida, saímos para almoçar com colegas de trabalho que nem mesmo conhecemos e nem fazemos questão de que isso aconteça, sentamos à mesa já dizendo: ai meu regime, mas amanhã eu juro que começo pois não posso deixar passar esse prato, afinal ninguém é de ferro e sem radicalismo né?   Terminamos o expediente e vamos ao nosso lazer: cursos, esportes, Yôga… e lá “enrolamos”, encontramos velhos conhecidos que convidamos para um jantar que ambos sabem que nunca irá acontecer, chegamos em casa e mentimos a pessoa amada ou vamos para festas nas quais fazemos de tudo e mais um pouco para mentir, seja através de álcool, drogas ilegalizadas ou qualquer outra coisa que esconda a verdadeira realidade por trás dos fatos.

Por isso que é “fácil” compreender quando médicos especializados em alimentação e nutrição “babam” aos quatro ventos que é impossível o corpo humano viver saudavelmente sem a ingestão de carnes. Afinal, aprendemos a mentir desde a gestação, é só mais uma mentirazinha inócua. No entanto, nada pode ser considerado assim, pois como todos sabemos, qualquer minúscula ação, por mais inocente e sem sentido que possa parecer, terá sua reação correspondente.

Mentirinhas alimentares: olhamos para o outro lado quando alguém nos diz que aquele pedaço de bife no prato sentiu muita dor ao ser aniquilado. A falácia das imagens de bichanos felizes nas embalagens de carnes de porco, boi, frango e peixe. “O puxar a sardinha”, com perdão do trocadilho, na publicação de científicas pesquisas sobre a inviabilidade do vegetarianismo. As falsas justificativas de quem se alimenta dos músculos de outro animal. A modinha estabelecida pela mídia das celebridades de somente comer carne branca. O esbravejar não sincero de que um dia pararemos de comer bichos.

Pode ser que como no filme o Mentiroso com Jim Carrey, no qual ele recebe uma maldição de ter que somente falar a verdade, o mundo a princípio, entraria em um pequeno colapso, sobretudo no que concerne aos relacionamentos com outras pessoas, mas talvez, com o tempo descobríssemos que isso tudo a nossa volta é uma grande mentira, que a vida é a maior delas e quem sabe neste instante perceberíamos que não precisaríamos mais mentir.

A grande falácia   Questionamentos sobre a mentira em nossa sociedade

Via Moda, Tendência, Arte

*Aforismos retirados do recém-lançado livro de Fábio Euksuzian, A Ancestral Arte da Poesia.

Fábio Euksuzian

Autor dos livros A Ancestral Arte da Poesia, Yôga em Dupla e o CD Relaxe e Desperte!

www.fabioeuk.org

Publicação: 9 de fevereiro de 2011

AUTOR

Fábio é Diretor da Uni-Yôga Vila Olímpia e Presidente da Associação dos Profissionais de Yôga da Vila Olímpi. Autor dos livros A Ancestral Arte da Poesia, Yôga em Dupla e Contos de Shiva, além do CD Relaxe e Desperte! a - www.universoyoga.org.br - (11) 3845-5933 - fabio.euk@metododerose.org

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
sponge
Espinhas? A causa podem ser as esponjas de maquiagem…

Podem haver muitas causas para  espinhas mas uma das mais comuns são as "suas" próprias esponjas de maquiagem, meninas. Aquelas...

Fechar