Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

O Cruzeiro foi a principal revista ilustrada brasileira do século XX. Começou a ser publicada em 10 de novembro de 1928 pelos Diários Associados de Assis Chateaubriand.

Foi importante na introdução de novos meios gráficos e visuais na imprensa brasileira, citando entre suas inovações o fotojornalismo e a inauguração das duplas repórter-fotógrafo, a mais famosa sendo formada por David Nasser e Jean Manzon que, nos anos 40 e 50, fizeram reportagens de grande repercussão.

O site Memória Viva, especializado em biografias de pessoas famosas da recente História do Brasil, inaugurou uma nova fase de existência com o lançamento da edição on line da revista O Cruzeiro.

Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

Não são reproduções de páginas de O Cruzeiro. É uma versão on line mesmo. Com atualização semanal, o internauta poderá ver a capa da revista, entrar no sumário, escolher a matéria e ler na íntegra as matérias originais, além de ver as fotos tratadas, nos moldes que em que se vê no site de uma revista atual.

A primeira edição, de 1928, e a última, de 1975, estão disponíveis. As 10 primeiras capas e curiosidades sobre a revista são outros atrativos que também podem ser encontrados. Em relação a O Cruzeiro, o Memória Viva possui hoje um acervo digitalizado de aproximadamente 100 edições, além de todos os exemplares dos três primeiros anos (1928 – 1930) e outras 70 revistas a partir de 1940.

Seguem-se algumas edições digitalizadas. Para ler o conteúdo, clique nos links.

Anos 1970

Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

15 de setembro de 1970
* Papai Paulo Sérgio
* O que diz Lígia Diniz
* Pedro Januário no ocaso do cangaço – ‘Só falta matar um’
* Martha La Paz – Nasce uma nova estrela para o Cinema Nacional
* O lado humano de Wilson Simonal
* Carlos Estevão
* Gosto de Brasil, por Rachel de Queiroz

Anos 1960

Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

12 de dezembro de 1964
* O feitiço contra o feiticeiro: Zé Arigó na prisão
* Castelo não sairá da Lei
* Adhemar em ‘O Cruzeiro’: ‘Não toquem em São Paulo!’
* Carlos Estevão
* As eleições americanas (II), por Rachel de Queiroz

Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

18 de julho de 1964

* Lacerda tem presidência garantida
* O samba de Garrincha
* Sexta-feira 13: Dia fatídico
* David Nasser é o espadachim da palavra
* Carlos Estevão
* Regeneração, por Rachel de Queiroz

Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

4 de junho de 1960
* Cannes foi só ‘Doce Vida’
* De Cabral a JK – Bananal volta ao Brasil
* O Brasil condena as vítimas
* Em busca da Miss Brasil 1960
* O Amigo da Onça
* O Pif-Paf
* Objeto Voador Não Identificado, por Rachel de Queiroz

Revista Cruzeiro e o resgate da memória brasileira do século XX

4 de julho de 1964
* O adeus do Peixe-vivo: a dramática saída de JK
* David Nasser: O Cambronne brasileiro
* Reforma agora. Eleições em 65
* O começo do fim: Sexta-feira 13
* Brasil: Beleza 64 – As candidatas ao Miss Brasil
* Carlos Estevão
* Não há repouso para o guerreiro, por Rachel de Queiroz

Para ver mais capas originais e matérias correspondendes às edições de O Cruzeiro, entre no site do Memória Viva.

Fonte: Memória Viva

Leia mais sobre a revista O Cruzeiro no Wikipédia.

Publicação: 15 de setembro de 2008

AUTOR

Leonize Maurílio é formada em moda pela UNIP (Universidade Paulista) desde 2004, atua como compradora de confecção e desenvolve coleções como estilista free-lancer. E.mail: leonize_maurilio@yahoo.com.br

COMENTÁRIOS

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

Leia o post anterior:
163875483_ac9afc9e6d1
O Simbolismo das Marcas

Já sabemos que as marcas são responsáveis, hoje, por demarcar coisas e pessoas. A própria origem do conceito está relacionada...

Fechar