Rosa pink: da Barbie ao Genderless – O impacto da cor no mundo da moda

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Uma cor vibrante, enérgica e cheia de personalidade. O rosa pink, que por muitos anos ficou associado à feminilidade, ganhou novas roupagens e se transformou na cor mais democrática e comentada do momento. Para compreender melhor a importância dessa reviravolta,  analisamos as passarelas e um pouco da história por trás da ressignificação do tom.

A evolução da cor nas passarelas

Não é de hoje que a tonalidade vem ganhando destaque nas semanas de moda ao redor do globo. De acordo com o WGSN, a partir de 2011 já surgiam os primeiros sinais de que o rosa pink estava deixando de ser uma cor “infantil” para se transformar em um tom moderno e com grande apelo fashion. Uma das marcas pioneiras nesse sentido foi a Céline, que apresentou um workwear vibrante e cheio de atitude em sua coleção Resort 2012, contribuindo para associar o rosa à imagem de uma mulher ousada e poderosa.

 

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Céline Resort 2012

Com esse empurrão inicial, muitas consumidoras deixaram de torcer o nariz para a cor.  Assim, o rosa perdeu a cara de Barbie e parou de ser associado à delicadeza infantil, conquistando um posto de destaque em muitas coleções que vieram a seguir.

Em 2016, tivemos o Rose Quartz eleito como uma das cores do ano pela Pantone, logo ao lado do azul Serenity. Por si só a escolha já se revelava bastante política: a Pantone previa o zeitgeist do momento, a ascenção do gênero neutro e a quebra das noções entre o “feminino” e o “masculino”. Essa escolha abriu caminho para que inúmeras variações de tom aparecessem nas ruas e nas passarelas.

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

O Rose Quartz foi um dos responsáveis pela onda de cor-de-rosa nas passarelas

Para 2017, o destaque fica com o rosa pink (Pantone Pink Narrow), que foi recorrente nas Semanas de Moda de Londres e Nova Iorque. Em Milão, Alessandro Michelle apresentou a coleção de Primavera 2017 da Gucci em um ambiente completamente pink, dos carpetes aos pufes, passando pela iluminação nebulosa do cenário. Era a confirmação de uma tendência: o rosa veio mesmo para ficar. Mais moderno do que nunca, ele foi transformado em uma cor enérgica, que emana atitude e muita personalidade.

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

A passarela toda pink da Gucci

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Kenzo Fall 2017 e Vetements Spring 2017

 Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Oscar de La Renta Spring 2017 e Delpozo Spring 2017

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Michael Kors Spring 2017 e Hermés Spring 2017

Nos últimos anos, a ressignificação do rosa continuou ganhando cada vez mais importância, impulsionada pelas discussões acerca de gênero provenientes do movimento genderless e do próprio feminismo. Foi esse desejo de ruptura com os estereótipos que impulsionou o rosa no mundo da decoração e do design, carregando-o à passos largos até invadir de vez o guarda roupa masculino.

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Kenzo Spring 2016 e Kenzo Fall 2017

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Gucci Homme Fall 2017 e Gucci Spring 2017

A grife japonesa Sacai abraçou de vez essa nova fase do rosa em sua coleção Verão 2017, apresentando looks masculinos com todas as variações possíveis do tom. Pensada para os hipsters atuais, a linha de streetwear se inspirou no clássico Laranja Mecânica e nos uniformes de operários modernos para trazer uma nova visão da masculinidade, que não se baseia nos estereótipos tradicionais de gênero.

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Sacai Spring Summer 2017

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Sacai Spring Summer 2017

Para Jane Monnington Boddy, Diretora de Cor da WGSN, a geração Z e a sua celebração da individualidade estão deixando a noção dos estereótipos masculinos e femininos para trás. Esses jovens estão cada vez menos apegados aos papéis de gênero tradicional e abraçam de coração a ideia de um gênero fluido, que transite entre diversas esferas sem necessariamente pertencer a alguma delas. Dentro dessa perspectiva, o rosa pink aparece como uma cor provocante, que nega o gênero, traduz confiança e imprime uma dose de diversão por onde passa.

Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda Rosa pink: da Barbie ao Genderless   O impacto da cor no mundo da moda

Rosa pink nas ruas de NY e Milão

 

 

 

Salvar

Salvar

DESCONTOS EXCLUSIVOS FASHION BUBBLES

Publicação: 22 de fevereiro de 2017

AUTOR

Francieli Hess é formada em Design de Moda pela UDESC e já estudou Cultura e Progettazione della Moda em Florença. Trabalha como estilista freelancer em Florianópolis e é apaixonada por criação, história, branding e comunicação. Instagram: @fvhess

COMENTÁRIOS

Leia o post anterior:
Festas Juninas – Como fazer flores em papel seda e pompons para decoração das festas de São João

O São João está chegando e que tal usar na decoração da sua festa junina, uma opção super charmosa, colorida...

Fechar