Antonio Sobral exibe produção pop no dconcept escritório de arte

- Continue depois da Publicidade -

Em sua primeira individual no Brasil, artista articula repertórios diversos, evidenciando os contra-sensos da comunicação. Abertura no dia 24 de fevereiro, quarta, a partir das 18 horas.

Sem Título, 2009 (guache e nanquim s papel, 75 x 55 cm)

O dconcept escritório de arte inaugura no dia 24 de fevereiro, quarta-feira, a mostra Perestroika, primeira individual do artista Antonio Sobral no Brasil. Nela, são apresentadas seis obras sobre papel onde o artista desenvolve sua poética de contra-sensos da comunicação a partir de imagens da cultura ocidental. A mostra fica em cartaz de 25 de fevereiro a 26 de março.

Sobral é parte da geração de jovens criadores que não se furta a cruzar referências eruditas com a cultura de massas, a música e a política em sua produção. O arranjo de seu repertório visual, suas técnicas e materiais são eloqüentes: existe aí uma inquietação criadora que não percebe fronteiras entre a alta cultura livresca, a lojinha de R$ 1,99, as conversas de bar, seja no Rio de Janeiro, São Paulo, Paris ou Berlim, onde fixou residência.

- Continue depois da Publicidade -

Sem Título, bem como as demais obras desta série, tem como ponto de partida uma imagem conhecida da história da arte ou da política, porém sua apropriação é senão mote para a composição de uma ironia que questiona os paradigmas visuais do espectador. Nessa obra, o homem ensangüentado de um detalhe d’O Juízo Final de Fra Angelico (1387-1455) se vê rodeado de versos de Jesus Cristo, canção dos anos 1970 da dupla Erasmo e Roberto Carlos, escritos à moda de um lambe-lambe de show.

Da mesma forma, porém com uma clara nuance política, a obra Perestroika associa a aclamada política de reconstrução econômica da URSS na Era Gorbachev (1985-1991) a uma figura grotesca que devora gente. A coerência da obra, ou seu caráter absurdo, reside na articulação das referências do público, que pode entrever na besta o Leviatã do Livro de Jó, a representação do Estado hobbesiana ou, por que não?, o comunista devorador de criancinhas. A escolha é livre.

- Continue depois da Publicidade -

Quem, o cavalo punk, por sua vez, é deliciosamente pop. A figura kitsch do perfil da cabeça de um cavalo, dessas de livros de montaria, ganha uma crina branca radical, um penteado moicano que lembra um spray de tinta. É pintura que se comunica diretamente, como a publicidade, porém arranjada de forma a criar uma poética de contra-sensos.

Antonio Sobral estudou cinema em Paris e há alguns anos dedica-se à pintura. Participou de oficinas livres de arte na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro, e foi assistente de Adriana Varejão e do pintor americano James Brown, em Paris. Participou de exposições coletivas em São Paulo, Paris e Berlim.

- Continue depois da Publicidade -

Você também pode gostar!

Serviço:

Exposição: Perestroika, individual de Antonio Sobral
Abertura: 24 de fevereiro, quarta-feira, das 18 às 22 horas
Período expositivo: de 25 de fevereiro a 26 de março de 2010

dconcept escritório de arte
Alameda Lorena, 1.257, G1 (Vila Flávio de Carvalho)

Jardim Paulista, São Paulo
Horários: de segunda a sexta-feira, das 14 às 19 horas

Tel. (11) 3085 5006

Entrada franca

www.dconcept.net

Informações para a imprensa:

Décio Hernandez Di Giorgi
Adelante Comunicação Cultural

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes