SPFW mostra a interação entre arquitetura e natureza

73

São 15 anos de existência e 30 edições. Para celebrar a data especial, a São Paulo Fashion Week surge remodelada num harmonioso diálogo com a natureza.

Dois estúdios foram responsáveis pelo projeto, o Estúdio Árvore e o coletivo 2087. “O Paulo (Borges) tinha o desejo de interagir com o parque e com a arquitetura do prédio”, explica Flavio M1R, do 2087, em entrevista ao FFW. “Queríamos trazer o verde para dentro do evento”, completou Rogerio Hideki, do Árvore.

A essência do projeto é a interação, principalmente entre a arquitetura e a natureza. A entrada, feita pelo parque, ostenta um logo feito de linhas coloridas. Mais adiante há um outro logo de luz fria que conduz às pessoas para dentro do prédio onde há uma passarela de 100 metros rodeada por um espelho d’água.

Samambaias suspensas, que serão doadas ao parque ao final da SPFW, trazem mais verde para dentro do prédio.

As paredes de papelão, feitas pelo Estúdio Árvore, agora aparecem com mais texturas, em tons de kraft e branco. “No final, usamos materiais simples e leves, como papelão, água, madeira e plantas, mas foi essa mistura de texturas que deu a liga e deixou tudo lindo”, disse Rogerio Hideki ao FFW.

Foto FFW

Foto FFW

Você também pode gostar!

Foto FFW

Números sobre a montagem:

  • Cerca de 11 caminhões-pipa foram necessários para fazer o espelho d´água
  • 1.500 samambaias foram usadas para criar o jardim suspenso
  • 100 mil cavilhas foram usadas na construção das estruturas “parasitas”, que dão quase 100 km de comprimento
  • Sete mil caixas de papelão foram produzidas para a ambientação
  • 1 km de linha foi usada para o logo de cinco metros
  • Três dias foram necessários só para colocar as samambaias
  • 100 metros de comprimentos por 4 metros de largura é o que mede a passarela de entrada

Fonte: FFW

você pode gostar também