Presente virtual de Sérgio para Carlos

62

Este poema do Ferreira Gullar é um presente meu para o cara mais animado da festa do último sábado. Quem será?  Quem será?

Um cara que sabe se divertir, que sabe ouvir, que sabe refletir em profundidade e, acima de tudo, ser uma pessoa humilde, cativante e autêntico.

Seu nome? Carlos Silva.

Quem me ajudou a escolher esta poesia, foi uma pessoa que, igualmente, o admira: a Queila.

Sérgio Lage

Você também pode gostar!

TRADUZIR-SE  de Ferreira Gullar

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.
Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.


Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
_ que é uma questão
de vida ou morte _
será arte?

Por Sérgio Lage

você pode gostar também