Coleção 132 5. Issey Miyake tráz roupas ecólogicas em forma de origami

O estilista japonês Issey Miyake parece estar sempre a frente quando o assunto é moda com tecnologia. Desde 2007, Miyake fundou o Reality Lab, um grupo de pesquisa e de desenvolvimento que tem como objetivo explorar novas maneiras mais eficientes, ecológicas e acessíveis para produzir roupas. Para ele, estilistas devem considerar os problemas atuais que […]

- Continue depois da Publicidade -

1325 nominated feb2012 Coleção 132 5. Issey Miyake tráz roupas ecólogicas em forma de origami

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

O estilista japonês Issey Miyake parece estar sempre a frente quando o assunto é moda com tecnologia. Desde 2007, Miyake fundou o Reality Lab, um grupo de pesquisa e de desenvolvimento que tem como objetivo explorar novas maneiras mais eficientes, ecológicas e acessíveis para produzir roupas. Para ele, estilistas devem considerar os problemas atuais que nos afetam antes de desenvolver qualquer tipo de produto.

No final de 2010, o grupo do Reality Lab desenvolveu o projeto 132 5. ISSEY MIYAKE, uma coleção de roupas geométricas dobráveis que lembram um origami. O título do projeto já explica todo o seu conceito: um pedaço de tecido, uma forma tridimensional reduzido e um quinto elemento. Este quinto elemento é na verdade a quinta dimensão que surge a partir  do momento que a roupa é vestida, pois assim, hipoteticamente, a roupa cria vida. A ideia parece um tanto louca explicando desta maneira, mas na verdade é bem simples em um português mais claro. Baseando na tecnologia dos famosos plissados de Issey Miyake, aquela mesma que revolucionou a moda em 1989, a equipe do Reality Lab com o apoio do professor e cientista Jun Mitani desenvolveu um algoritmo (sequencia finita de instruções bem definidas para ser executada mecanicamente) que, ao invés de cortar e costurar tecidos, cria formas geométricas únicas em 3D, que podem ser dobradas em formas 2D para, então, serem termicamente pressionadas tornando-se camisas, saias, calças, vestidos ou bolsas dobráveis.

A inovação do projeto não está apenas no processo computadorizado, como também no material utilizado. A coleção é produzida apenas com tecidos ecológicos feitos de garrafas PET ou da combinação de outras fibras recicladas. Segundo Miyake, a ideia da coleção é regenerar e recriar maneiras de fazer roupas que dão alegria e satisfação aos usuários.

O grande desafio da coleção é adaptar estas formas geométricas ao formato do corpo de uma maneira confortável e usável. O formato, porém, pode parecer um pouco esquisito para muitos, mesmo seguindo o clássico estilo geométrico e minimalista japonês. Esquisito ou não, a ideia é extremamente criativa e inovadora. Tanto é que se olharmos em muitas coleções apresentadas para o outono 2012, veremos que estes formatos já estão sendo readaptados e recriados. Além de sua estética artística, a coleção tem um lado bem prático: as peças são literalmente fáceis de dobrar e não precisa passar.

O sucesso da linha 132 5. ISSEY MIYAKE tem sido tão grande, que ela já foi exposta em diversos museus pelo mundo. Este ano, a linha 132 5. foi nomeado ao prêmio de designer do ano pelo Museu do Design de Londres (Design Museum). O vencedor será anunciado dia 24 de abril.

A coleção 132 5. não está disponível apenas em museus. Mesmo não sendo muito acessível ao bolso da grande maioria,  os fashionistas adoradores de Miyake podem encontrar a coleção 132 5. nas lojas Issey Miyake do Japão, ou de Paris, Nova Iorque, Londres e Zurique.

Assista aqui o video oficial da marca que mostra como funcionam as roupas origamis da linha 132 5. Issey Miyake

Imagens: Issey Miyake, Afternoon Frock, Yasuyaksu, Change Observer

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes