Tudo sobre a vacina contra a Covid-19. Esclareça as principais dúvidas

Tudo sobre a vacina contra a Covid-19. Esclareça as principais dúvidas

Ainda caminhando no Brasil a passos lentos, as vacinas contra a Covid-19 têm deixado dúvidas na população. Além disso, algumas fake news mantêm as população um tanto confusa…

Entre as principais dúvidas sobre as vacinas, estão, por exemplo:

  • As vacinas causam muitos efeitos colaterais?
  • Os imunizantes podem contaminar as pessoas?
  • As vacinas são, realmente, eficazes?

Assim, para esclarecer isso e tudo sobre as vacinas contra a Covid-19, o Fashion Bubbles foi pesquisar!

E, com base no material explicativo do renomado complexo hospitalar e de saúde Sírio Libanês, esclareça todas as dúvidas em relação à imunização!

Por fim, você ainda fica sabendo sobre as principais fake news sobre as vacinas contra a Covid-19.

 

 

Tudo sobre a vacina contra a Covid-19: principais dúvidas

 

 

Por que a vacinação é tão importante?

 

Há dois motivos principais que explicam a importância de que todos se vacinem com a Covid-19. Veja:

1 º: Ao ser contaminado pelo novo coronavírus, a pessoa imunizada corre poucos riscos de apresentar sintomas graves da doença. Assim, protege a sua saúde e a sua vida.

2 º: Ao nos vacinarmos, evitamos a disseminação da doença. Ou seja, quanto maior o número de pessoas vacinadas, menor será a circulação do vírus e menor será a taxa geral de contaminação.

 

 

 

 

  • Aproveite e nos siga no Google News para poder acompanhar o melhor da Moda, Beleza, Decoração, Famosos, BBB 21 e muito mais  direto em seu smartphone. Para seguir É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

 

As vacinas contra a Covid-19 podem provocar a doença?

 

Não! As vacinas contêm vírus inativos ou adenovírus da doença. Assim, não há risco nenhum de ser contaminado por meio dos imunizantes.

 

Quais são as vacinas contra a Covid-19 aplicadas, atualmente, no Brasil?

 

Até esta data, temos duas vacinas que vêm sendo aplicadas na população, de acordo com o calendário de vacinação do Programa Nacional de Imunizações. São elas:

 

Coronavac

 

  • Responsável / Laboratório: Instituto Butantan (resultado de uma parceria com a Sinovac ).
  • Tipo: vírus inativo.
  • Doses e intervalos entre as aplicações: 2 doses, com intervalos que vão de 14 a 28 dias.
  • Possíveis efeitos colaterais: dor no braço, dor no corpo, náuseas, dor de cabeça.

 

Oxford

 

  • Responsável / Laboratório: Fiocruz (resultado de uma parceria com o laboratório / Astrazeneca).
  • Tipo: vetor vírus (adenovírus).
  • Doses e intervalos entre as aplicações: 2 doses, com intervalos entre 4 a 12 semanas.
  • Possíveis efeitos colaterais: dor do local, dores no corpo, náuseas.

 

Além disso, estuda-se a possibilidade do uso de outros imunizantes, já aplicados com sucesso em outros países. Por exemplo: Sputnik V (Rússia); vacina da Johnson & Johnson; da Pfizer –  BioNTech e da Moderna.

 

 

 

Quais os efeitos colaterais das vacinas contra a Covid-19?

 

 

De acordo com o Sírio Libanês, as duas vacinas apresentam efeitos colaterais semelhantes.

Em geral, são sintomas leves. Por exemplo: dor no local da aplicação, leve dor de cabeça e náuseas.

No entanto, tais efeitos colaterais duram de 1 ou 3 dias – sendo que algumas pessoas não relatam nenhum efeito pós-aplicação.

 

 

Posso escolher qual vacina vou tomar?

 

 

Não. As duas vacinas usadas, atualmente, foram aprovadas pela ANVISA. Portanto, tanto a Coronavac como a vacina da Oxford é eficaz. Assim, não há necessidade de escolher a vacina.

Além disso, as doses são distribuídas pelo Programa Nacional de Imunizações.

 

É necessário que as 2 doses da vacina contra a Covid-19 sejam do mesmo laboratório / fabricante?

 

 

Sim. Isso porque até o momento não há estudos que comprovem a eficácia de vacinas, caso aplicadas de forma “misturada”.

Vale ressaltar que o tipo da vacina usada a 1 ª aplicação vem especificado no comprovante da vacinação da Covid-19. Assim, é muito importante guardar o comprovante.

 

 

E se eu demorar mais do que o indicado para tomar a 2 ª dose da vacina?

 

 

Sempre  se recomenda seguir o intervalo máximo indicado para cada tipo de vacina contra a Covid-19.

No entanto, caso o prazo seja perdido, ainda é essencial receber a 2 ª dose.

 

 

Já tive Covid-19, posso ou devo tomar a vacina?

 

 

Sim, é essencial que todos se imunizem. Isso porque não há estudos em longo prazo de que vítimas da Covid-19 ficam, realmente, imunizados.

Além disso, já há casos de reinfecção pela doença.

No entanto, quem foi contaminado pelo novo coronavírus deve aguardar 4 semanas – a contar do resultado positivo do exame – para se imunizar.

 

 

Pessoas com alguns tipos de doenças podem tomar a vacina?

 

 

Sim, até o momento, todas as pessoas podem e devem se imunizar –  de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Em especial, grupos considerados de risco. Por exemplo: portadores de HIV, asmáticos, diabéticos, pessoas com câncer, entre outros públicos.

 

 

Quem tem febre pode se vacinar?

 

 

Caso a pessoa esteja com febre no dia da vacinação, não poderá ser vacinada na ocasião.

Além disso, é recomendado que a pessoa consulte um médico para saber o motivo da febre.  Mas, ao passar o quadro febril, a pessoa pode ser normalmente vacinada contra a Covid-19.

 

 

E quem está com sintomas de gripe? Pode tomar a vacina?

 

 

Não. Neste caso, a pessoa terá de retornar ao fim dos sintomas para receber a imunização.

 

 

Pessoas que tomaram vacinas para outras doenças podem tomar a vacina contra a Covid-19?

 

 

Sim, porém, é recomendado realizar um intervalo de 14 dias entre as vacinas.

 

 

Quem tem alergia ao ovo pode receber a vacina?

 

 

Sim, pode.

A alergia ao ovo só interfere em outras vacinas, como a da gripe. Isso porque estes imunizantes podem ter componentes retirados do ovo – o que não se aplica no caso das vacinas contra a Covid-19.

 

 

E as grávidas? Podem ser vacinadas?

 

 

Sim, as mulheres gestantes podem ser vacinadas. No caso, de acordo com a Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia e a Sociedade Brasileira de Infectologia.

Obs: o mesmo vale para as lactantes, ou seja, mulheres que estão amamentando devem se vacinar também.

 

 

 

 

Pretendo engravidar. Posso tomar a vacina?

 

 

A princípio, não há problemas. No entanto, vale consultar um especialista para planejar quanto tempo depois da vacinação é mais recomendado engravidar.

 

 

Depois de tomar a vacina, em quanto tempo estarei protegido da doença?

 

 

15 dias após a aplicação da 2 ª dose da vacina, considera-se que a pessoa esteja imunizada contra a Covid-19.

 

 

Então, se eu receber as duas doses da vacina, não preciso mais seguir os protocolos de prevenção?

 

 

Mesmo tomando a vacina contra a Covid-19 a pessoa pode contrair a doença – ainda que deva apresentar sintomas leves.

Assim, mesmo recebendo as duas doses do imunizante, a pessoa pode contrair e transmitir a doença.

Portanto, todos os protocolos de prevenção a Covid-19 devem ser seguidos. No caso, até que o cenário da pandemia esteja totalmente sob controle – algo que ainda não tem previsão.

 

Depois da imunização, não precisaremos nos vacinar de novo contra a Covid-19?

 

 

Ainda não há como saber se uma imunização é suficiente para a vida toda. De qualquer forma, é imprescindível comparecer aos postos de vacinação para receber a imunização atual.

 

 

 

As 6 principais fake news sobre a vacina contra a Covid-19

 

 

 

 

1 – As vacinas contêm chips que monitoram as pessoas.

Fake news que foi disseminada meses atrás. Não há nenhuma possibilidade de as vacinas “chiparem” quem recebe as doses.

 

2 – As vacinas podem modificar o DNA das pessoas.

Impossível. Os materiais usados na vacina contra a Covid-19, além de outras doenças, são todos inativos. Assim, não há como promover modificações no DNA.

 

3 – A vacina pode provocar autismo.

Fake! O autismo é um transtorno psiquiátrico, cuja evolução se dá ainda na infância. Portanto, não há nenhuma relação desta condição de saúde com a vacina contra a Covid-19.

 

4 – A Coronavac não é segura.

Uma fake news que tomou grandes proporções. A vacina Coronavac é, atualmente, a mais usada no mundo todo.

Além disso, o imunizante passou com aprovação nas 3  fases de testes clínicos. Também, o laboratório Sinovac tem reconhecimento internacional.

O laboratório, inclusive, já produziu imunizantes para doenças semelhantes à Covid-19. Por exemplo, para as infeções pulmonares Sars Cov – 1 e Mers Covi.

 

 

 

5 – Vacina feita com fetos abortados.

Nenhum material da vacina contra a Covid-19 está sendo produzida com células de fetos. Além disso, nenhum outro imunizante…

 

6 – A aprovação das vacinas foi muito rápida.

Nem tanto. A vacinação começou no final de dezembro e começo de janeiro de 2021. Assim, não foi, realmente, tão rápida a aprovação.

De qualquer forma, as vacinas usadas no Brasil, atualmente (e outras, em outros países), passaram por todas as fases exigidas pelos órgãos competentes.

 

 

 

 

Fonte: Com informações do Agência Brasil, Secretaria de Saúde do estado de São Paulo e Sírio Libanês

 

 

COVID-19fake news sobre covidPandemia Covid-19tudo sobre a coronavactudo sobre a pandemiatudo sobre a vacina contra covidtudo sobre a vacinação contra a covidvacina contra covidVacinação