Olimpíadas 2021: veja os vídeos de todos os medalhistas brasileiros

Perdeu alguma conquista de medalha dos atletas brasileiros nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020? Confira os melhores momentos das Olimpíadas 2021!

- Continue depois da Publicidade -

Quem quis acompanhar as Olimpíadas 2021 encontrou um grande obstáculo: o fuso. Em Tóquio, são 12 horas a mais do que no horário de Brasília. Assim, algumas competições aconteceram no início da noite ou logo no começo da manhã. No entanto, boa parte dos eventos foi de madrugada mesmo.

Então, pode ser que você tenha perdido as conquistas de medalhas pelos atletas brasileiros. Por isso, o Fashion Bubbles selecionou os vídeos das performances que renderam ouro, prata e bronze para o país. Afinal, com um total de 21 medalhas e a 12ª posição no quadro de medalhas, essa é a melhor campanha do Brasil nos Jogos Olímpicos até hoje. Continue lendo!

 

 

Medalhas de ouro do Brasil nas Olimpíadas 2021

 

 

1. Ítalo Ferreira

 

 

A bateria final do surfe shortboard masculino começou mal para o brasileiro. Assim que pegou a primeira onda, Ítalo Ferreira quebrou a prancha. Mas a substituição foi rápida e logo o surfista estava de volta à água para fazer manobras que impressionaram os juízes. O resultado, então, foi de 6,60 pontos para o japonês Kanoa Igarashi contra 15,14 para o atleta do Brasil.

 

 

- Continue depois da Publicidade -

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ge (@ge.globo)

 

 

- Continue depois da Publicidade -

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

 

 

- Continue depois da Publicidade -

2. Rebeca Andrade

 

 

Na final do salto da ginástica artística feminina, as atletas precisam mostrar duas acrobacias diferentes. A ginasta brasileira foi a terceira a se apresentar e, logo depois, teve que assistir as outras competidoras. Seu sorriso aumentava a cada nova nota, todas mais baixas do que a sua.

Isso porque a média de Rebeca ficou em 15,083. A prata ficou com a americana Mykayla Skinner, com nota 14,916. Já o bronze foi da sul-coreana Seojeong Yeo, com 14,733.

Em seguida, você assiste o segundo dos dois saltos que garantiram o ouro à ginasta. A medalha é inédita para o Brasil e, por isso, ficou para a história.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

 

 

3. Kahena Kunze e Martine Grael

 

 

Em Tóquio, a dupla de velejadoras brasileiras conquistou o bicampeonato olímpico na classe 49er FX. Isso porque repetiram o mesmo feito dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Seguras e tranquilas, elas seguiram um caminho diferente das outras competidoras. Isso a fim de buscar uma melhor posição do vento e aproveitar uma corrente marítima. Assim, cruzaram a linha de chegada em terceiro lugar, o que já lhes garantiu o ouro.

Enquanto isso, a prata ficou com as alemãs Susann Beucke e Tina Lutz. Por fim, o bronze foi para as holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

4. Ana Marcela Cunha

 

 

A atleta foi a primeira mulher brasileira a garantir o ouro olímpico na natação. Ela chegou em primeiro lugar na maratona aquática, após liderar a prova quase de ponta a ponta. O trajeto é de 10km em mar aberto.

A baiana de 29 anos sonhava há muito tempo com uma medalha olímpica. Nas Olimpíadas de Pequim 2008, terminou na quinta posição. Contudo, acabou não se classificando para Londres 2012. Chegou nos Jogos do Rio 2016 como favorita, mas ficou apenas com a décima posição.

 

 

 

 

5. Isaquias Queiroz

 

 

O baiano de 27 anos dominou a modalidade C1 1000m da canoagem velocidade nas Olimpíadas 2021. Isso porque o atleta marcou o melhor tempo já nas eliminatórias e na semifinal. Na grande final, garantiu o primeiro lugar com 4m04s408. Com o ouro em Tóquio, Isaquias fez história. Afinal, ele chegou a um total de 4 medalhas em 2 Olimpíadas.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

6. Hebert Conceição

 

 

Sem dúvida, quem assistiu à final do boxe masculino na categoria peso-médio passou nervoso. O ucraniano Oleksandr Khyzhniak dominou quase toda a luta. Contudo, no terceiro round, Hebert deu um cruzado de esquerda que nocateou o adversário. Foi a segunda das 3 medalhas que o Brasil conquistou no boxe, assim como a única de ouro.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

7. Futebol masculino

 

 

Em Tóquio, a seleção de futebol masculino garantiu o bicampeonato olímpico. Com empate no tempo normal, o time bateu a Espanha na prorrogação. O placar final foi de 2 a 1.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ge (@ge.globo)

 

 

No entanto, a subida no pódio foi polêmica. A pedido da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), os jogadores receberam as medalhas com o agasalho da Peak amarrado na cintura e a camiseta da Nike à mostra.

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) repudiou a ação, pois além de quebrar o protocolo, coloca em risco o patrocínio da marca chinesa Peak. Muitos atletas de modalidades menos populares que o futebol podem sofrer se houver perda de financiamento.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

 

 

Medalhas de prata do Brasil nas Olimpíadas 2021

 

 

1. Kelvin Hoefler

 

 

O skate teve sua estreia como esporte olímpico em Tóquio. E o brasileiro Kelvin Hoefler fez história ao ser o primeiro medalhista de prata na modalidade street. Ele somou 36,15 pontos na final. Só ficou atrás do japonês Yuto Horigomi, que levou o ouro com a nota 37,18.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

2. Rayssa Leal

 

 

A skatista foi outra que entrou para a história nas Olimpíadas 2021. Afinal, aos 13 anos, ela é a medalhista brasileira mais jovem de todos os tempos! Ela surpreendeu não só pelas manobras executadas com precisão, mas também pelo bom humor. A fadinha do skate dançava entre uma prova e outra, torcia e abraçava as adversárias.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ge (@ge.globo)

 

 

3. Rebeca Andrade

 

 

Com a prata no individual geral, Rebeca Andrade conquistou a primeira medalha olímpica brasileira na ginástica artística feminina. O feito foi, então, superado por ela mesma dias depois. Na final do salto, ela conquistou o ouro.

Em seguida, você relembra a passagem da atleta pelo salto e pelas barras assimétricas. Por fim, confira um resumo da apresentação que rendeu à ginasta o segundo lugar no pódio.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

Você também pode gostar!

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ge (@ge.globo)

 

 

4. Pedro Barros

 

 

Skatista desde que tinha 1 ano de idade, Pedro Barros quase não foi para Tóquio. Isso porque, em 2018, enfrentou uma suspensão de 2 anos depois que um exame antidoping identificou uma substância derivada da maconha.

O regulamento mudou e o prazo foi diminuído para 6 meses. Assim, em maio, ele participou de um torneio que garantiu sua vaga nos Jogos Olímpicos.

Com uma volta impecável que lhe rendeu a nota 86,14, o brasileiro foi superado apenas pelo australiano Keegan Palmer, que teve uma performance histórica. Ele tirou 95,83. Confira, no vídeo, os 45 segundos que foram dignos da medalha de prata!

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

5. Beatriz Ferreira

 

 

A atleta fez uma linda campanha pela categoria peso leve do boxe. No combate final, contudo, perdeu para a irlandesa Kellie Harrington. A brasileira chegou a vencer o primeiro round. Mas Kellie selou a vitória do segundo e do terceiro rounds, por decisão unânime dos juízes. Logo após a luta, Beatriz pediu desculpas e afirmou que já se prepara para Paris 2024.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

6. Vôlei feminino

 

 

As meninas do vôlei tinham passado por Tóquio invictas – até a grande final. Após perder para os Estados Unidos por 3 sets a 0, o Brasil ficou com a prata na modalidade. Foi o primeiro ouro dos EUA no vôlei feminino.

Em seguida, você confere o momento emocionante da premiação. As jogadoras provaram seu espírito de equipe enquanto colocavam as medalhas umas nas outras.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ge (@ge.globo)

 

 

 

 

Medalhas de bronze do Brasil nas Olimpíadas 2021

 

 

1. Daniel Cargnin

 

 

A luta pelo bronze na categoria até 66kg do judô foi acirrada. O brasileiro só garantiu a medalha com um wazari, ou seja, meio ponto. Logo após, teve que passar por atendimento médico para tratar um corte feito pelo adversário. Com apenas 23 anos, Daniel já começou a voltar seus esforços para as Olimpíadas de Paris 2024.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ge (@ge.globo)

 

 

2. Fernando Scheffer

 

 

A medalha de bronze do nadador brasileiro na prova de 200m livre foi uma surpresa. Afinal, Fernando tinha se classificado apenas com o oitavo melhor tempo. Mas, com a marca de 1min44s66, ele garantiu o terceiro lugar no pódio. Além disso, bateu o recorde sul-americano tanto na eliminatória quanto na final.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

3. Mayra Aguiar

 

 

A conquista da atleta tem gostinho de superação. Isso porque, pouco antes das Olimpíadas 2021, ela teve uma lesão grave, passou por 7 cirurgias e precisou ficar 9 meses sem treinar. Apesar de tudo, em Tóquio, Mayra se consagrou como a maior judoca brasileira de sua geração.

Ela já tinha conseguido outros dois bronzes, nos Jogos de Londres 2012 e do Rio 2016. Assim, se tornou a primeira brasileira a obter três medalhas olímpicas em esportes individuais.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

4. Laura Pigossi e Luisa Stefani

 

 

A história da vaga das tenistas nos Jogos Olímpicos é inusitada. Elas só ficaram sabendo da classificação 8 dias antes da estreia, em 16 de julho. Mas elas superaram as dificuldades e conquistaram uma medalha inédita para o tênis brasileiro. O bronze veio, então, após uma virada incrível na partida contra as russas Elena Vesnina e Veronika Kudermetova.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

5. Bruno Fratus

 

 

Aos 32 anos de idade, Bruno Fratus é um dos nadadores mais regulares do mundo. O bronze em Tóquio marcou a 91ª vez em que o atleta cumpriu os 50m livre dentro dos 21 segundos. Além da conquista de pódio, outro momento de sua participação chamou a atenção. Após a prova, ele quebrou o protocolo e correu para beijar sua esposa e treinadora.

 

 

 

 

6. Alison dos Santos

 

 

Para alguns, o bronze dos 400 metros com barreira pode não parecer uma conquista tão grande assim. No entanto, com 46s72, Alison correu a prova no quarto melhor tempo da história. Dessa forma, quebrou os recordes brasileiro e sul-americano.

O ouro ficou com o norueguês Karsten Warholm, que estabeleceu o nove recorde mundial com 45s94. O americano Rai Benjamin fez 46s17 e garantiu a prata.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ge (@ge.globo)

 

 

7. Abner Teixeira

 

 

O primeiro pódio brasileiro do boxe nas Olimpíadas 2021 foi o bronze da categoria peso pesado (até 91kg). Abner perdeu a semifinal contra o cubano Julio Cesar La Cruz, que acabou ficando com o ouro. Mas garantiu a medalha porque a modalidade não tem disputa pelo terceiro lugar.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

8. Thiago Braz

 

 

Após ser campeão olímpico nos Jogos do Rio 2016, Thiago Braz ficou com o bronze em Tóquio. Nos últimos 5 anos, ele superou lesões, trocas de técnico, resultados insatisfatórios e perda de patrocinadores. Mas provou que merece um lugar entre a elite do salto com vara.

Além disso, seu recorde olímpico continua intacto. O sueco Armand Duplantis, que levou o ouro, saltou 1 centímetro a menos do que ele tinha saltado no Rio.

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SporTV (@sportv)

 

 

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes