Padrões de beleza: modelos que mudaram a visão do que é belo

Padrões de beleza: modelos que mudaram a visão do que é belo

Em um mundo perfeito, o conceito de “padrões de beleza” não é mais relevante. Hoje, as meninas com vitiligo, estrabismo e albinismo chegam ao pódio, e isso não é uma desvantagem, mas uma característica maravilhosa.

A beleza é um conceito subjetivo. É impossível agradar a todos. Isso se aplica não apenas a uma pessoa, mas também à arte , ao trabalho, à música.

E não há ninguém aqui que esteja errado. Não é à toa que dizem que a beleza está nos olhos de quem vê.

Mas se todos acreditassem nisso,  viveríamos em paz e harmonia. Mas não. Todos os anos escolhemos a Miss Mundo e depois discutimos durante meses contra a decisão dos jurados.

 

Ampliação da visão da sociedade sobre a beleza

 

Winnie Harlow. Fonte: Instagram

 

  • Siga o Fashion Bubbles no Google News para poder acompanhar tudo sobre Moda direto no seu smartphone. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

 

Sim, todos nós podemos dizer que uma mulher bonita é aquela com rosto oval, olhos grandes, nariz afilado, lábios carnudos e dentes perfeitos.

Mas, se colocássemos todo mundo sob uma mesma descrição, então na passarela e nas revistas brilhantes haveria apenas clones de uma pessoa. Você concorda?

Os ideais de beleza variam de país para país e de cultura para cultura. Em cada sociedade, organização ou círculo de pessoas, a “pessoa mais bonita” é selecionada de acordo com certos parâmetros e nós o seguimos.

Esses modelos que apresentaremos a seguir, disseram “não aos padrões de beleza” impostos pela sociedade e disseram sim a uma variedade de todos os tipos de aparência.

 

1 – Slick Woods: a cinderela do universo paralelo

 

Slick Woods. Fonte: Instagramn

 

A vida de Slick é como um filme fascinante (embora com uma nota triste). A menina nasceu em uma família disfuncional – ela não viu seu pai, e sua mãe cumpriu pena mais de uma vez por fraude.

Seu nome verdadeiro é Simone Thompson e ela nasceu nos bairros mais pobres de Londres. Roubo, pena de prisão e fraude de cartão de crédito como único meio de ganhar, ela conseguiu tudo isso antes dos 20 anos.

Sua história é mais parecida com a história de Cinderela de um universo paralelo – o sucesso veio a ela quando ela estava torcendo um baseado enquanto estava em um ponto de ônibus e Ash Stymest, a modelo cult dos anos 2000, se aproximou dela.

Em seguida, Slik foi convidada por marcas de luxo como:

  • Calvin Klein;
  • Yeezy;
  • Mercedez-Benz;
  • Moschino.

Claro, hoje ela pode remover facilmente sua característica – a lacuna entre os dentes da frente, mas por quê? Este é o cartão de visita dela.

 

2 – Brunett Moffy: o estrabismo nunca foi um problema para ela

 

Brunett Moffy. Fonte: Instagram

 

O estrabismo não impediu a jovem Brunett de se tornar uma das modelos de maior sucesso da Storm Models – a agência que iniciou Kate Moss, Cindy Crawford e Cara Delevingne.

Um de seus amigos pediu a Moffy para aparecer na revista POP. Brunett teve dúvidas, mas as fotos ficaram tão boas que a garota ganhou a capa.

Além disso, a própria modelo admite que o estrabismo nunca foi um problema para ela, ela se ama e aceita a si mesma no mundo da moda e fora dele,

 

 

3 – Daphne Self: prova com sucesso que idade são apenas números

 

Daphne Self. Fonte: Instagram

 

Daphne é um modelo de idade. Ela tentou iniciar uma carreira de modelo na juventude, mas falhou. Aos 70, a vida deu a Daphne outra chance.

Self foi convidada a participar do desfile durante a London Fashion Week, onde foi notada por um representante de uma das mais prestigiadas agências de modelos, a Models 1.

Desde então, muitas marcas começaram a convidar a mulher, e a própria Daphne abriu caminho para o negócio de modelagem para muitas mulheres de idade.

Self se tornou um exemplo brilhante da luta contra o preconceito de idade e ainda prova com sucesso que idade são apenas números.

 

  • Confira também: Inverno 2022: tendências e vitrines de Milão fall-winter 22-23

 

4 – Diandra Forrest: sua pele de porcelana pode ter uma beleza estonteante

 

Diandra Forrest. Fonte: Instagram

 

A pequena Diandra foi tão assediada por seus colegas devido ao albinismo que seus pais foram forçados a transferir a filha de uma escola pública para uma escola particular.

Forrest admite que não tinha amigos e em qualquer companhia se sentia uma ovelha negra. Quem teria pensado que exatamente o que a faz se afastar de todos os outros seria sua sorte.

Enquanto fazia compras, a garota foi notada pelo fotógrafo Shamir Khan, que abriu seu caminho para o futuro como modelo.

Desde então, Forrest estrelou para várias marcas, colaborando com Beyoncé e Kanye West.

Graças a Diandra, o mundo aprendeu que a pele de porcelana dos albinos pode ter uma beleza estonteante.

 

 

5 – Winnie Harlow

 

Winnie Harlow. Fonte: Instagram

 

Winnie Harlow nasceu em Toronto, em uma família comum. Winnie tem raízes jamaicanas na família, ela deve isso à sua bela cor de pele.

Mas, desde a infância, seus pais começaram a notar que as manchas brancas “se espalharam” pelo corpo da filha: ela foi diagnosticada com vitiligo, uma doença autoimune que perturba a pigmentação da pele.

Apesar de sua doença, Vinnie era uma garota incrivelmente bonita e decidiu tentar ser modelo.

Depois de vários milhares de rejeições, ela decidiu tentar a sorte e foi para o elenco do programa “America’s Next Top Model”. Ela não ganhou, mas Winnie sacou seu bilhete da sorte para uma carreira de modelo.

A página de Vinnie no Facebook foi vista por um jornalista canadense que a convidou para tentar a carreira de modelo.

As fotos foram um sucesso, e Harlow foi convidada a aparecer no America’s Next Top Model de Tyra Banks, onde chegou às finais.

Desde então, o mundo inteiro começou a falar sobre isso e as marcas estão competindo entre si para oferecer contratos multimilionários. Apesar da fama, Vinnie não se esquece do bullying que viveu e ajuda ativamente as pessoas com vitiligo.

 

6 – Melanie Gaidos

 

 

No negócio de modelagem, em geral, eles são muito rígidos quanto aos desvios do “padrão”. Quaisquer manchas, tatuagens, cicatrizes, imperfeições dentais sempre se tornam um motivo de recusa e isso muitas vezes é traumático.

Mas houve uma garota que provavelmente mudou a indústria para sempre. O nome dela é Melanie Gaidos.

Melanie nasceu com uma condição rara: displasia ectodérmica. Assim, com essa doença, os ossos e os dentes não estão totalmente formados em uma pessoa, o cabelo geralmente está ausente e as características faciais são alteradas.

Melanie também tem uma forma incomum de queda de cabelo: seu cabelo cresce na pele. Por causa disso, Melanie perdeu parcialmente a visão de um olho, porque os cílios machucaram a córnea.

Devido à sua aparência incomum, Melanie foi frequentemente maltratada quando criança, mas sua família sempre a apoiou. Isso deu a Melanie a força para buscar trabalho como modelo em fóruns como o Craigslist, popular na América, para projetos criativos. E então Melanie entrou no vídeo do grupo Rammstein:

Depois de filmar o vídeo, várias ofertas choveram para Melanie, ela se mudou para Nova York, onde havia muito mais oportunidades.

Melanie participa de filmagens muito criativas e incomuns. Além disso, ela é bastante popular e procurada e diz que não é mais complexa com sua aparência.

Os amigos falam dela como uma pessoa muito alegre e inteligente que, além disso, possui uma mente extraordinária e um excelente senso de humor.

Melanie também diz que trabalha como modelo não só para si mesma, mas também para ajudar os outros a aceitar suas imperfeições.

 

 

7 – Madeleine Stewart

 

Madeleine Stewart. Fonte: Instagram

 

Pessoas com deficiências visíveis a olho nu são frequentemente discriminadas. Imagine o que acontece em uma indústria tão competitiva e sanguinária como o negócio de modelos. Felizmente apareceu esta princesa que decidiu nos dar um pouco de fé na humanidade.

O nome dela é Madeleine Stewart e ela nasceu na Austrália com síndrome de Down. Mas essa garota tinha uma família amorosa que sustentava seu sonho de longa data: ser modelo.

Apesar do fato de que não existe tal precedente na história da indústria de modelagem, isso não impediu Madeline. Pois após contínuas recusas, a menina finalmente foi convidada. E ela está mostrando que é uma verdadeira profissional.

Ela foi até convidada para a New York Fashion Week.

 

  • Confira também: Azul Serenity: acessórios, vestidos, sapatos e combinações

 

Países e seus padrões de beleza

 

Padrões de beleza no Irã: nariz perfeito

 

De acordo com as indicações estatísticas, o Irã possui o maior percentual de cirurgias plásticas nasais do planeta.

As mulheres locais, em um esforço para atrair a atenção dos homens, muitas vezes recorrem aos serviços de cirurgiões. Isso ocorre porque a tradição não permite que as meninas iranianas mostrem muito.

 

Padrões de beleza na Malásia: pele clara

 

Na Malásia, um dos padrões de beleza é a cor da pele clara. Na verdade, essa tendência existe há muito na maioria dos países asiáticos. O ideal é a pele, cuja tonalidade é semelhante à cor das pérolas brancas.

 

Padrões de beleza no Japão: dentes tortos

 

O Japão pode ser seguramente chamado não apenas de um país com um grande número de tradições e tecnologias, mas eles tem seus próprios padrões de beleza.

Assim, se na maioria dos países ocidentais um sorriso perfeito implica dentes saudáveis ​​e uniformes, para as japonesas essa ideia é exatamente o oposto.

Desde muito jovens, eles vão a clínicas odontológicas, querendo que seus dentes fiquem tortos, incorretamente crescidos.

 

Padrões de beleza na França: naturalidade máxima

 

As mulheres francesas são talvez as mais livres quando se trata de padrões de beleza. E tudo porque elas representam o máximo de naturalidade, e até mesmo naquelas relações que parecem inabaláveis ​​para outras mulheres.

Não só praticamente não usam cosméticos decorativos, raramente usam perfumes, mas também prestam pouca atenção à depilação.

Para elas, o padrão de beleza e saúde não é a maquiagem, mas a pele limpa e radiante, para isso, não economizam em cremes, máscaras e soros especiais.

 

Padrões de beleza do Tajiquistão: monocelha

 

As sobrancelhas em momentos diferentes e em países diferentes podem diferir em forma ou densidade. No entanto, na maioria deles elas estão claramente separadas. Mas no Tajiquistão tudo é exatamente o oposto.

Lá, não apenas considera-se sobrancelhas grossas e volumosas o padrão de beleza feminina – elas também devem tocar a raiz do nariz. E, neste caso, é tudo sobre superstição.

Assim, as mulheres tajiques consideram as sobrancelhas um símbolo de pureza e inocência.

 

Padrões de beleza são um conceito muito condicional e subjetivo

 

Os padrões de beleza são um conceito muito condicional e subjetivo e definitivamente não são permanentes.

Afinal, por mais banal que pareça, Oscar Wilde disse no século 19 que “a beleza está nos olhos de quem vê”. E essa frase ilustra perfeitamente a ausência de certos padrões de beleza no mundo moderno.

 

Brunett MoffyDaphne SelfDiandra ForrestestrabismoLondon Fashion WeekmodeloModelosvitiligo