O esmalte vermelho é o preferido entre as mulheres há mais de 5000 anos – História dos esmaltes

Do Egito às estrelas de Hollywood, o esmalte vermelho sempre esteve nas unhas das mulheres poderosas. conheça um pouco da história dos esmaltes!

502

- Continue depois da Publicidade -

Christian Dior considerava as mãos das mulheres uma autêntica arma de sedução. Dior foi a primeira maison de alta-costura a lançar sua própria linha de esmaltes, em 1962. O esmalte vermelho que sempre foi seu carro chefe e ganhou uma versão especial no aniversário de 50 anos, o Dior Vernis Rouge Altesse nº999.

O esmalte se tornou um grande vício nacional nos últimos anos e a cada lançamento novas cores são lançadas, porém o tradicional vermelho nunca sai de moda ou das unhas.

1a-dior

Esmalte Vermelho: Riqueza e opulência na antiguidade

 A cor já fazia sucesso no Antigo Egito, mais de 3500 anos a.C.! As mulheres passavam henna preta nas unhas, mas apenas a realeza usava os tons de vermelho, sinal de opulência e riqueza. Na mesma época, na China, o vermelho nas unhas também significava um status social mais elevado. Por ser elitizada a cor se torna muito desejada.

Muito tempo se passou, mas o vermelho não perdeu a majestade, 600 anos a.C., na dinastia Chou, as cores das unhas continuavam a separar as mulheres nobres das comuns. Agora as moças mais humildes usavam apenas cores claras, enquanto a realeza aderiu ao preto e continuava firme e forte com o vermelho. A cor era símbolo de ostentação.

Idade média: Recato X Tentações

Com o fortalecimento da igreja católica, o recato passou a ser uma virtude importante até o final do século XLX e qualquer extravagância era mal vista, inclusive cores chamativas. As mulheres devem ser delicadas, indefesas, em tons pastel.

Assim, devido ao contexto religioso, o vermelho que simboliza a cor da carne, do pecado, do diabo e da tentação, caiu em desuso. Foi uma das poucas épocas onde o esmalte vermelho não brilhou, mas teria um volta triunfal e de grande importância alguns anos depois.

Primeira Guerra Mundial: Retorno triunfal

Durante a Primeira Guerra Mundial as mulheres tiveram que assumir papéis que antes eram destinados apenas aos homens, como trabalhar fora de casa. Na Grã-Bretanha, por exemplo, cerca de dois milhões de mulheres ocuparam os postos de seus maridos nas fábricas.

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

As novas trabalhadoras tiveram que aderir aos uniformes, encurtar os cabelos e assumir o trabalho pesado. A feminilidade ficava por conta de pequenos detalhes, como esmalte e batom, que deixaram a fragilidade das cores claras e ganharam a força do vermelho.

3-Bianca Casanova

O esmalte vermelho dá auto confiança, feminilidade e força às mulheres quando elas mais precisam.

A partir da década de 20, glamour total!

A cor foi eternizada nos anos 1920, nas mãos das estrelas de Hollywood, que exibiam unhas bem vermelhas. Assim como as divas da época, o vermelho representa poder, atração, amor, paixão, desejo. A cor vermelha estimula o sistema nervoso, a circulação sanguínea, dá energia ao corpo e eleva a autoestima. Exatamente a força de que as mulheres precisavam naquele momento de pós-guerra.

6-Oh Fashion Blog

A cor, que foi eternizada nas unhas das atrizes dos anos 1920, nunca mais saiu do red carpet! O esmalte vermelho continua sendo o preferido entre as divas de Hollywood.

Atualmente a cor ainda é uma das preferidas pelas mulheres. Talvez por que vivamos numa época onde a mulher precisa ser mais forte do que nunca. Assumimos cargos altos em grandes empresas, cuidamos da casa, criamos nossos filhos (e temos até produção independente!) e abrimos qualquer pote de azeitona! O vermelho traz todo esse poder e auto confiança, sem deixar faltar feminilidade.

Fotos: Bianca Casanova, Oh Fashio Blog  e Elas Mostram as Unhas.

Por Carol Carneiro

Conheça a Store Fashion Bubbles

2013-05-10_204603

 

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

- Continue depois da Publicidade -