Charlie Watts, baterista dos The Rolling Stones, morre aos 80 anos

Charlie Watts faleceu em Londres nesta terça-feira (24). O músico passou por uma cirurgia recente, mas ainda não se sabe a causa da morte

- Continue depois da Publicidade -

“É com imensa tristeza que anunciamos a morte de nosso querido Charlie Watts”, diz o post nas redes sociais da banda The Rolling Stones. De acordo com Bernard Doherty, agente do baterista, ele faleceu de forma pacífica em um hospital de Londres nesta terça-feira (24). Além disso, estava cercado por membros de sua família.

“Charlie foi um estimado marido, pai e avô. Como membro dos The Rolling Stones, foi um dos maiores bateristas de sua geração. Pedimos gentilmente que a privacidade de sua família, colegas de banda e amigos próximos seja respeitada neste momento difícil.”, finaliza a publicação.

A causa da morte ainda não foi confirmada. O músico tinha 80 anos e, recentemente, passou por uma cirurgia. Na época, um porta-voz afirmou que o procedimento tinha sido “bem-sucedido”. Contudo, ele não participaria da turnê da banda, com previsão de início para 26 de setembro. Aliás, o vocalista Mick Jagger disse que a banda não via a hora de receber Charlie de volta assim que ele se recuperasse.

 

  • Veja também: Paulo Rafael, guitarrista de 66 anos, morre vítima de câncer.

 

Quem foi Charlie Watts?

 

O músico nasceu na Inglaterra em 2 de junho de 1941. Amante do jazz, começou a se interessar pela bateria depois que ouviu Chico Hamilton tocar “Walking Shoes”.

Foi em janeiro de 1963 que Charlie Watts se juntou a Mick Jagger, Keith Richards e Brian Jones para formar os The Rolling Stones. Ao lado dos Beatles, a banda foi responsável por popularizar o rock’n’roll no mundo todo.

Afinal, quem nunca ouviu sucessos como “Paint It, Black”, “Gimme Shelter” e “(I Can’t Get No) Satisfaction”? Em seguida, você confere a performance dessa última música durante um show de 2006, que aconteceu na praia de Copacabana.

 

 

 

Por causa de seu estilo único para tocar, Charlie recebeu o apelido de “The Wembley Whammer”. Ou seja, “O Golpeador de Wembley”, em tradução literal.

Mas, ao contrário de seus colegas de banda, nunca foi de performances dramáticas. Seu negócio sempre foram a firmeza, a elegância e a estabilidade. Assim, permaneceu como baterista dos The Rolling Stones por quase 60 anos. “Ele me dá a segurança para voar no palco”, disse, certa vez, Richards.

Além disso, Charlie Watts também tinha outros interesses. É o caso da Moda, por exemplo. Em 2002, fez parte da Lista Internacional de Mais Bem Vestidos da revista Vanity Fair. Por outro lado, em 2012, foi um dos Homens Mais Bem Vestidos do Mundo da revista GQ.

 

Você também pode gostar!
duas fotos do baterista da banda The Rolling Stones
Fonte: Instagram @therollingstones

 

 

As reações dos famosos

 

Com toda a certeza, Charlie Watts foi uma inspiração. Não só para músicos de sua própria época, como também para todas as gerações de bateristas que vieram depois dele. Prova disso é a comoção que sua morte causou nas redes sociais. Confira, em seguida, as homenagens de alguns famosos.

O cantor Elton John disse: “Um dia muito triste. Charlie Watts era o baterista derradeiro. O homem mais estiloso e uma companhia brilhante. Meus pêsames mais profundos para Shirley, Seraphina e Charlotte. E, claro,  para os The Rolling Stones.”

 

Foto de Elton John e Charlie Watts
Elton John e Charlie Watts. Fonte: Twitter @eltonofficial

 

Já Paul McCartney postou um vídeo homenageando o colega músico. De acordo com ele, “Charlie era uma rocha, um baterista fantástico e estável.”

 

 

Outro ex-Beatles que postou foi o também baterista Ringo Starr: “Deus abençoe Charlie Watts. Vamos sentir a sua falta, cara. Paz e amor para a família.”

 

Foto de Ringo Starr e Charlie Watts
Fonte: Twitter @ringostarrmusic

 

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes