A moda é seguir aqueles que são felizes

A moda é seguir aqueles que são felizes

No casamento da Josana e do Alain foi lida a passagem bíblica das Bodas de Canaan, em que Jesus transforma água no melhor vinho para que a festa não se acabe.

Me fez pensar na grande festa que é a vida, em que quando encontramos alguém com quem se pode compartilhar a vida, merece uma celebração como as das Bodas de Canaan.  Nesta festa da vida nós oferecemos o que temos (comida, bebida, música, ambiente, etc.); entretanto em algum ponto da vida pode nos faltar o que oferecer ao outro, pois o dia-a-dia da vida nos desgasta, consome e nos tira a criatividade para lidar com as frustrações e defeitos aparentes (e com aqueles não tão aparente).

Como na vida, e nas festas, alguns exageram na comida e outros na bebida. Muitos se privam de alguns prazeres (docinhos, bolos,…), e outros se projetam em uma cena fantasiástica de como seria a vida se fossem diferentes (se eu fosse mais extrovertido, mais magra, mais alto, etc). Enquanto um grupo de pessoas passaram horas e as vezes dias preparando cada detalhe para o grande dia, alguns se divertem e desfrutam de tudo, outros olham com desdém, encontram defeito em tudo e outros desprezam os convites (presos em algum momento de suas próprias festas (vidas). Há sempre aqueles que estão de corpo e alma para celebrar aquela festa, entretanto há aqueles que pensam no porquê de não conseguirem ter sua própria festa.

O fato é que nossas vidas e nossas festas provocam sentimentos dos mais diversos em todos aqueles que participam delas e as testemunham. Podemos trabalhar muito para garantir a organização da festa, mas nada podemos fazer em relação a tais sentimentos, que são totalmente subjetivos.

Em Bodas de Cannan, é retratado a falta de vinho durante a festa. Na vida, somos tomados por surpresas diante das faltas, principalmente quando tais faltas estão diante do olhos de todos. O que faço então, se me falta o que julgo ser o mais importante na minha vida – saúde, dinheiro, emprego, energia, juventude, bom senso…? É desesperador.

Se comparamos a vida a uma grande festa, é preciso pensar em alguns detalhes. A comida e a bebida não podem ser servida toda ao mesmo tempo, não pode ser desperdiçada, nem guardada até o final da festa, deve haver um balanço. Não dá para dançar um só estilo de música, pois nossa energia se esvai muito rapidamente com umas e precisamos de outros ritmos para nos recuperarmos. A equipe em nossa volta e nossos amigos devem e podem ser escolhidos de acordo com aquilo que queremos fazer de nossa festa. Mas nem na vida e, tampouco, nas festas poderemos garantir o bom tempo, a presença de todos, a qualidade da comida e da bebida, enfim o inesperado pode acontecer, e o que eu faço diante da falta?

Alguém generosa (Maria), presente nas Bodas de Canaan, em um gesto empático ao sofrimento dos noivos, pede ao seu filho uma solução. Jesus transforma água em vinho, que é reconhecido com dos melhores vinhos servidos. Minha interpretação é que sempre há alguém, de quem menos esperamos, que está disposto (a) a nos ajudar e que diante de situações difíceis (falta), o melhor é recorrer aos recursos (psíquicos, emocionais, etc.) que temos de mais simples e abundante dentro de nós (água) e, com a mesma transparência, transformá-los em força (vinho) para fazer seguir a festa – a nossa festa.

E alguns podem me perguntar: E Jesus? Minha resposta é (independente de sua religião, etnia, cultura, condição financeira, física, mental, dentre outros atributos): nesta parábola, Jesus ressalta que os recursos que precisamos para dar conta da falta e saber lidar com as frustrações da vida estão dentro da festa e não fora dela – estão ao nosso alcance, não sendo preciso procurar muito longe.

A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes A moda é seguir aqueles que são felizes

Que comece a festa e sejam muito felizes, Alain e Josana!

Publicação: 17 de fevereiro de 2008

AUTOR

Psicanalista e economista, com pós-graduação em Administração pela USP e Marketing pela ESPM. Tem MBA em Gestão Internacional pela Thunderbird School of Global Management‚ Arizona‚ USA e formação nas áreas de Psicologia e Filosofia.

COMENTÁRIOS

Veja também...

O Fashion Bubbles possui cerca de 10 mil artigos, aqui as matérias geralmente aparecem aleatoriamente, aproveite para relembrar o que foi moda em outros anos, conhecer outros artigos ou ver a evolução do próprio site que começou em 2006 como um Blog.

Leia o post anterior:
tecktonik2
Mais Tecktonik

Saiba mais sobre o Tecktonik e veja o vídeo a seguir.

Fechar