Pinacoteca lança produção com história cantada entre pinturas – PinaCanção

1.897

PinaCanção – história cantada entre pinturas é uma uma belíssima iniciativa, a Pinacoteca, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, está promovendo vídeo levando o museu cheio de magia  à casa das pessoas.

Feito para crianças em uma linguagem musical, a produção visa trazer o universo das pinturas e do pintar de uma forma encantadora. A princípio, desvela conceitos e ensina a contemplar quadros e obras de arte: suas cores, a luz, a técnica. Tudo devagar, como deve ser o contato com a arte.

Entretanto, essa iniciativa tem um alcance muito maior, já que além de estar na casa e no celular das pessoas, é também educativa, pois de uma forma divertida, desenvolve o gosto e o prazer pelas visitas aos museus, valorizando-os e descortinando-os desde cedo este universo.

 

Imagem de pinturas da pinacoteca retratadas no vídeo
Foto das pinturas: Pinacoteca

 

O que é o PinaCanção?

 

O PinaCanção é um projeto criado por Hélio Ziskind do Grupo Rumo (grupo musical paulista formado nos anos 80), é um espetáculo que faz parte do Pinafamília,  projeto desenvolvido pelo Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca destinado a grupos familiares de todas as idades.

Nessa história, dois personagens se encontram na Pinacoteca e, em meio às canções, descobrem juntos tons, texturas e escalas do mundo dos quadros e  pinturas. A apresentação, que reúne música, teatro e artes visuais, tem 40 minutos está disponível aí, logo abaixo!

 

O museu do Futuro

 

Passamos por uma verdadeira revolução de informação e tecnologia. O universo virtual, aliado aos aparelhos eletrônicos, coloca o mundo e seu conhecimento na palma das nossas mãos. E, da mesma forma, também podemos levar nosso conhecimento e legado, por todos os cantos através da Internet.

No Brasil, contudo, os museus e espaços culturais, ainda estão muito presos a sua estrutura física e ao antigo paradigma,  não utilizando todo o potencial da era virtual, para alcançar os lugares mais recônditos do país, quiçá do mundo, atraindo desta forma mais visibilidade.

Podem transformar-se em marcas de referência, desenvolvendo diferentes produtos culturais. Com canais fortes de mídia e divulgação também atrairão mais patrocinadores, o que os tornará mais sustentáveis.

O futuro do museu - A Pinacoteca de São Paulo e sua iniciativas para chegar a casa das pessoas
Acompanhe as iniciativas da pinacoteca pelo Instagram @pinacotecasp
Você também pode gostar!

Se os museus e espaços culturais ganharem sustentabilidade, também vão adquirir maior independência do recurso público. Consequentemente diminuirão as tragédias tão comuns, como os incêndios que repetidamente vemos destruir patrimônios de valor inestimáveis, por motivos como desmazelo e falta de  manutenção causada pela sistemática ausência de recursos.

Desta forma, o museu precisa ter seus canais nas redes sociais, assim como criar memes com suas obras, hashtags. Pode ainda, desenvolver espaços Instagramáveis, para que os próprios visitantes façam sua divulgação, despertando interesse e curiosidade nas redes sociais.

 

O PinaFamília

 

Imagem de pinturas de paisagens: Rio e estrada
Foto das pinturas: Pinacoteca

 

Desde 2014, no segundo domingo de cada mês, acontece na Pinacoteca o PinaFamília no qual as pessoas são conduzidas a uma viagem divertida pelo acervo da Pinacoteca. O objetivo principal do projeto é o estímulo à convivência da família no espaço do museu.

Como o museu está fechado em virtude do necessário isolamento em combate ao Covid-19, o espetáculo PinaCanção veio encontrar as famílias em casa!

O PinaFamília foi organizado pelo Núcleo de Ação Educativa (NAE) destinado a grupos familiares de todas as idades.

Imagem de pintura marinha
Foto: Pinturas Pinacoteca

SERVIÇO

PinaFamília  

Ilha de atividades e distribuição de guia de visita e jogo
Local: Pinacoteca, balcão de entrada do museu, 1° andar e Pátio 1, térreo
Endereço: Praça da Luz, 2
Ingresso: Entrada Gratuita

Espetáculo PinaCanção
Local: Pinacoteca, Auditório, térreo
Endereço: Praça da Luz, 2
Ingresso: Entrada Gratuita.
Duração: 40 minutos
Distribuição gratuita de senhas às 14h30, no auditório, térreo.

A Pinacoteca de São Paulo fica em frente à estação Luz do Metrô e da CPTM. Por conta da exposição dos OSGEMEOS: Segredos, o estacionamento da Pinacoteca estará fechado. pinacoteca.org.br – (11) 3324-1000

View this post on Instagram

Candido Portinari nasceu em Brodósqui, interior de São Paulo, e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de imigrantes italianos que vieram trabalhar na lavoura de café, desde menino passa a ter contato com a realidade do trabalho rural. Ingressa aos 15 anos na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. Nesta obra, destaca a figura de um homem robusto de braços cruzados com ar sério, que nos encara. Note como o personagem teve suas mãos ampliadas em relação ao resto do corpo. Pode-se perceber com isto a importância que o artista atribui à força do trabalho no campo. Na pele, cabelo e na ausência de vestimentas do personagem estão pistas sobre sua identidade étnica e sua condição social. Seu olhar e seu rosto nos transmitem orgulho, sem chegar à arrogância. Um dos resultados da formação social do nosso país, foi a mistura étnica que mesclava indígenas, africanos escravizados e brancos de origem europeia, constituindo um tipo de difícil definição identitária, muitas vezes tendo em comum apenas a prática do trabalho agrário, base econômica do Brasil. A representação do Mestiço pode ser vista como uma tentativa de personificar positivamente uma determinada noção de identidade do brasileiro. #pracegover No centro da tela há a figura de um homem forte de torso nu, que traz em sua face os traços de diferentes etnias, seus lábios carnudos lembram a figura de um negro e os olhos puxados os traços de um índio, seus cabelos são curtos e crespos. Com seus braços cruzados sobre o torso tem as unhas da mão direita sujas de terra, indicando ser ele um trabalhador do campo. Ao fundo vemos um céu azul claro com nuvens e uma paisagem rural, tendo ao lado esquerdo uma montanha e plantações e do lado direito uma casa e pés de bananeira. Candido Portinari (Brodowski, SP, 1903 – Rio de Janeiro, RJ, 1962) Mestiço, 1934 Acervo da Pinacoteca de São Paulo. Compra do Governo do Estado de São Paulo, 1935 Foto: Isabella Matheus #pinadecasa #culturaemcasa #museumfromhome #pinacotecasp

A post shared by Pinacoteca de São Paulo (@pinacotecasp) on

você pode gostar também