Mulher de pele clara e cabelo preto, usando roupão branco e aplicando sérum no rosto com conta-gotas

Ácido salicílico: para que serve e como usar o ativo na rotina de skincare

Você conhece o ácido salicílico? Confira aqui um guia completo sobre esse ativo, muito usado em rotinas de cuidados com a pele!

Compartilhe

O ácido salicílico é um ingrediente amplamente utilizado em produtos de skincare devido às suas propriedades esfoliantes e anti-inflamatórias. Nesse sentido, para incorporá-lo em sua rotina de cuidados com a pele, você pode optar pelo uso em diversas formas, como limpadores faciais, tônicos, séruns e cremes.

Apesar disso, ele é um composto que deve ser usado com bastante cuidado. Quer saber o motivo e mais sobre ácido salicílico? Então, continue lendo para conferir as funções desse ativo, como usá-lo, se pode usar todos os dias, efeitos colaterais e muito mais!

Qual é a função do ácido salicílico?

O ácido salicílico desempenha várias funções importantes em cuidados com a pele devido às suas propriedades esfoliantes e anti-inflamatórias. Nesse sentido, ele é especialmente eficaz no tratamento da acne. Isso porque esse ativo penetra nos poros, desobstruindo-os ao remover células mortas e excesso de oleosidade.

Foto de fundo azul com sérum transparente em embalagem conta-gotas com rótulo escrito "salicylic acid"
Fonte: Canva

Assim, previne a formação de espinhas e cravos e regula a produção de sebo, reduzindo a oleosidade da pele. Além disso, o uso regular desta substância pode trazer inúmeros benefícios tanto a curto quanto a longo prazo.

Entre eles, destacam-se uniformização da textura da pele e redução de linhas finas. Ainda, o ácido salicílico também ajuda a reduzir manchas escuras e marcas de idade, proporcionando um clareamento gradual da pele.

Contudo, segundo Elaine Veríssimo, Diretora da Divisão Derma, do Grupo Oficial Farma, é importante que as pessoas saibam que o composto utilizado nos dermocosméticos é derivado do ácido salicílico natural, encontrado nas cascas das árvores de salgueiro.

Esse composto é um beta-hidroxiácido (BHA) solúvel em água, o que o torna mais seguro para a maioria das pessoas. Ele possui ação anti-inflamatória, promovendo a renovação celular e reduzindo, inclusive, as linhas finas do rosto.

  • Ainda, leia Peeling: o que é, como se faz e benefícios do tratamento facial

Como usar ácido salicílico para pele?

Esse composto está presente em muitos dermocosméticos, como sabonetes, cremes, loções, géis e soluções tópicas. Abaixo, confira algumas dicas da especialista Elaine Veríssimo sobre como usar o ácido salicílico.

Mulher asiática usando regata bege e derramando tônico na mão
Fonte: Canva

Ao entrar em contato com a pele, ele promove uma leve descamação, ajudando a remover impurezas do rosto. No entanto, o uso inadequado pode resultar em pele seca e sensível. Para minimizar o ressecamento, é importante aplicar um hidratante facial na quantidade correta após utilizá-lo.

Além disso, não é recomendado combinar muitos produtos com esse composto ao mesmo tempo, pois isso pode sensibilizar a pele.

Ainda, se o produto é de aplicação direta no rosto e não será removido (como um sérum ou creme), a especialista indica utilizar apenas a quantidade recomendada para evitar irritações. Ademais, Elaine ressalta a importância de não o aplicar em áreas muito sensíveis, como ao redor dos olhos, lábios e nariz.

Mulher de mais idade, de pele clara, aplicando hidratante no rosto
Fonte: Canva

O protetor solar é indispensável para todos, especialmente para quem utiliza ácidos na rotina de skincare. Lembre-se de que cada pessoa tem uma pele diferente e pode reagir de maneira distinta ao ácido salicílico. Portanto, escolha produtos de qualidade e, se sentir algum incômodo, consulte um dermatologista ou esteticista.

O que não pode misturar com ácido salicílico?

Ao usar ácido salicílico, é importante evitar combiná-lo com outros ácidos esfoliantes, produtos de limpeza abrasivos, retinoides, produtos de clareamento da pele ou com alta concentração de álcool.

Foto de fundo laranja com várias mãos de pele clara segurando produtos de skincare
Fonte: Canva

Isso porque essas misturas podem aumentar a sensibilidade da pele e levar a irritações, descamação excessiva ou hiperpigmentação. Nesse sentido, é recomendável verificar os rótulos dos produtos. Se houver dúvidas, consulte um dermatologista para garantir a compatibilidade e segurança dos produtos utilizados na sua rotina de skincare.

Pode usar o ácido salicílico todo dia?

O uso diário de ácido salicílico pode ser benéfico, mas depende da concentração do ativo presente nos produtos de skincare. Assim, cosméticos com baixa concentração desse ativo são geralmente seguros para o uso diário. Por isso, podem ser incorporados na rotina de cuidados com a pele sem causar danos.

Mulher de pele negra em frente a um espelho usando roupão branco e aplicando sérum no rosto
Fonte: Canva

No entanto, se você estiver utilizando produtos com alta concentração desse composto, é importante consultar um dermatologista ou esteticista. Esses profissionais podem orientar sobre a frequência e a forma correta de uso para evitar possíveis irritações ou sensibilizações na pele.

Relacionadas

Pode usar ácido salicílico e sair no sol?

O ácido salicílico pode aumentar a sensibilidade da pele à luz solar, tornando-a mais propensa a queimaduras solares e danos causados pelo sol.

Mulher ruiva de pele clara usando biquini preto e aplicando protetor solar no rosto
Fonte: Canva

Portanto, é importante aplicar protetor solar de amplo espectro e alto fator de proteção (FPS) ao usar produtos contendo ácido salicílico e expor-se ao sol. Isso ajudará a proteger a pele dos efeitos nocivos dos raios ultravioleta (UV) e minimizará o risco de danos à pele.

  • Inclusive, você também pode gostar de Vitamina C para a pele: para que serve, como usar e qual é a melhor

Pode dormir com ácido salicílico?

Sim, você pode dormir com ácido salicílico no rosto sem causar prejuízos à saúde da pele. Este ativo é benéfico para a skincare noturna, pois durante esse período ele age em conjunto com as funções metabólicas do corpo.

No entanto, é essencial lembrar de limpar e hidratar o rosto no dia seguinte, além de garantir a proteção solar para completar a rotina de skincare. Independentemente de utilizar o ácido salicílico durante o dia ou à noite, é crucial associar seu uso com um protetor solar facial para evitar qualquer sensibilização da pele.

  • Ao mesmo tempo, veja Resveratrol: para que serve e como consumir para emagrecer, melhorar a pele e o cabelo

Quanto tempo o ácido salicílico faz efeito?

O tempo que o ácido salicílico leva para fazer efeito pode variar de pessoa para pessoa e depende de vários fatores, incluindo a concentração do ácido no produto, a frequência de uso, e a condição específica da pele.

Mulher asiática com pele sem acnes e poros, sorrindo e passando mão no rosto
Fonte: Canva

Geralmente, você pode começar a notar os efeitos do ácido salicílico após algumas semanas de uso regular. No entanto, em casos de acne leve a moderada, é possível observar melhorias mais rapidamente, às vezes em questão de dias.

Para condições de pele mais graves, como acne grave ou hiperpigmentação, é necessário um uso prolongado para obter resultados significativos. É importante ser consistente e seguir as instruções do fabricante e as recomendações de um dermatologista para maximizar os benefícios e minimizar os efeitos colaterais.

O que o ácido salicílico pode causar?

Quando utilizado corretamente, é geralmente seguro e bem tolerado pela maioria das pessoas. Contudo, pode causar efeitos colaterais como ressecamento e descamação da pele, irritação e sensibilidade, aumento da sensibilidade ao sol e, em casos raros, reações alérgicas.

Mulher loira de pele clara com pele facial ressecada e descamando
Fonte: Canva

Portanto, é importante interromper o uso se ocorrerem sintomas de uma reação alérgica. Além disso, como citado anteriormente, sempre siga as instruções do fabricante e consulte um dermatologista se tiver preocupações sobre o uso do ácido salicílico ou experienciar efeitos colaterais significativos.

Quem não pode usar ácido salicílico?

Existem algumas situações em que não se recomenda o uso desse composto ou que requerem precauções especiais. Por exemplo, pessoas com histórico de alergia ao ácido salicílico ou outros salicilatos, como o ácido acetilsalicílico, devem evitá-lo.

Mulher de pele clara em frente a um espelho, com semblante de assustada e rosto vermelho de alergia
Fonte: Canva

Além disso, grávidas ou lactantes, crianças e indivíduos com diabetes ou doenças vasculares devem evitar o uso de concentrações elevadas, superiores a 6%.

Ainda, é importante destacar que esse ativo não deve ser aplicado nas pálpebras dos olhos, verrugas com pelo, verrugas genitais ou em mucosas do corpo. Isso porque essas áreas podem ser mais sensíveis e o ácido salicílico pode causar irritação ou desconforto.

Sempre é recomendável buscar orientação médica antes de iniciar o tratamento, especialmente se houver preocupações com a saúde da pele ou condições médicas preexistentes.

Conclusão

Enfim, agora que você já sabe tudo sobre ácido salicílico – suas funções, como usar, quando evitar e muito mais – está considerando incluir esse ativo na sua rotina de cuidados com a pele?

Ademais, que tal conferir Como blindar minha maquiagem? Ou então, você pode continuar descobrindo mais sobre o assunto em nossa categoria de beleza.

Compartilhe

Newsletter

Inscreva-se em nosso newsletter e receba diretamente em seu e-mail artigos exclusivos, dicas de beleza imperdíveis e as últimas novidades dos reality shows mais badalados. Não perca a chance de estar sempre à frente, conhecendo as tendências e segredos que só os verdadeiros conhecedores do universo fashion e do glamour dos realitys têm acesso!

Não fazemos spam! Leia mais em nossa política de privacidade.


Últimas notícias