Se você está pensando no projeto de paisagismo da sua casa, com certeza isso deve incluir algum jardim, certo? E, como em todo jardim, a grama é essencial para compor o ambiente e “forrar” o chão. Por isso, é normal que surjam diversas dúvidas acerca desse tema.

Afinal, como escolher entre os diferentes tipos de grama? Quais são os preços? Além disso, é importante ver fotos das opções para avaliar qual melhor combina com a sua área. Para nos ajudar com todas as informações, o arquiteto e paisagista Cezar Scarpato, da Scarpato Arquitetura Paisagística, deu várias dicas.

Continue lendo e confira a resposta para todas essas perguntas. Assim, não se esqueça de salvar suas fotos preferidas!

Tipos de grama

Área de fazer com piscina, grama e pergolado de madeira.
Segundo o arquiteto e paisagista Cezar Scarpato, existem diversos tipos de grama. | Foto: Divulgação

A cobertura do solo com grama permite aos moradores um espaço de contato com a natureza. Além disso, é perfeita para harmonizar com outros tipos de plantas e árvores.

Porém, na hora de comprar a grama, você irá se deparar com diversos tipos que variam em características e necessidades.

“Escolher a espécie correta pode influenciar na beleza e manutenção do jardim ou área externa. Além da estética relacionada ao tom do verde e tamanho das folhas, a quantidade de sol, rega, periodicidade de corte e cuidados que cada uma demanda são fatores que auxiliam nessa decisão”, explica o arquiteto.

Sendo assim, trouxemos as espécies mais conhecidas de grama com uma descrição de suas características que te ajudarão a escolher o tipo perfeito, são três: Esmeralda, Santo Agostinho e São Carlos.

“Elas devem ser escolhidas de acordo com o local onde serão plantadas, se adaptando bem ao solo e clima. Também é valioso entender se o gramado será decorativo ou receberá muitas atividades sobre ele, como a prática de esporte”, alerta Scarpato.

Grama Esmeralda

Grama do tipo esmeralda.
Grama Esmeralda | Fonte: Pinterest

Em primeiro lugar, trouxemos a grama mais usada no Brasil: a Esmeralda. Isso porque ela é resistente a climas secos e quentes. Além disso, é fácil de cuidar e preservá-la.

“Suas folhas são finas e estreitas, no tom de verde que lhe dá o nome”, diz o paisagista.

A resistência desta espécie faz com que ela seja a mais procurada quando no projeto há uma passagem pelo meio do jardim. Como resultado, mesmo que ela seja pisoteada, ela continuará com bom aspecto.

Grama São Carlos

Grama do tipo São Carlos.
Grama São Carlos | Fonte: Pinterest

Por outro lado, a grama São Carlos é perfeita para climas que variam em temperaturas muito baixas ou muito altas. Além disso, o formato e textura são grandes atrativos desta espécie. Afinal, suas folhas são largas e lisas.

Assim como a grama Esmeralda, a São Carlos também pode ser pisoteada e é indicada em espaços onde há uma frequente prática esportiva.

Porém, o profissional alerta que há uma desvantagem que precisa ser levada em consideração:

“Seu crescimento é rápido, então é necessário executar a poda ao menos duas vezes ao mês”.

Grama Santo Agostinho

Grama do tipo Santo Agostinho.
Grama Santo Agostinho | Fonte: Pinterest

Por fim, para quem prefere um verde mais escuro para a decoração, com certeza irá preferir a grama Santo Agostinho.

Conhecida também como grama-inglesa, esta espécie possui folhas lisas em um tom de verde escuro, levemente azulado.

“Ela é simples de manter, pois tem crescimento lento, mas exige regas mais regradas. É perfeita para áreas litorâneas, pois resiste à salinidade do solo”, indica o arquiteto.

Vale destacar que estes dois últimos tipos de grama são tolerantes em áreas que pegam sol em apenas uma parte do dia.

Quanto custa grama?

Jardim com academia.
Nesse jardim projetado por Cezar Scarpato, com uma cabana que faz as vezes de sala de ginástica, a grama se tornou um convite para o exercício ao ar livre| Foto: Divulgação

Em primeiro lugar, é importante salientar que os preços que serão apresentados a seguir podem sofrer alterações dependendo da região do país.

Além disso, antes de sair pesquisando lojas para comprar a grama para seu jardim, é preciso saber exatamente quantos metros quadrados você deseja cobrir. Afinal, é essa medida que eles usam para vender.

Outro ponto importante é que a instalação da grama não é tão simples quanto parece. Portanto, é indispensável a contratação de um profissional experiente. Caso contrário, você poderá perder toda a planta que comprou.

Agora, vamos logo ao que interessa: os preços.

  • Esmeralda: R$ 5,95 a R$ 7,50/m²
  • São Carlos: R$ 8,50 a R$ 10,50/m²
  • Santo Agostinho: R$ 9,00 a R$ 11,50/m²
  • Diária de um profissional para plantar a grama: R$ 200

Os preços foram retirados do site Agro Gramas.

Todos os tipos de grama são facilmente encontrados em lojas especializadas em paisagismo e jardins e também em lojas online.

Qual a mais barata?

Área de lazer com banquetas e cobertura.
Área de lazer com espaço gramado. | Fonte: Pinterest

Como vimos acima, a grama Esmeralda é a mais barata do mercado. Porém, antes de comprá-la, confira se as características e o tipo de manutenção se encaixam com a sua realidade.

Outra dica na hora de comprar a grama para seu jardim é escolher as que possuem certificado de qualidade. Isso significa que elas se enquadram no Termo de conformidade do Ministério da Agricultura.

  • Você também pode gostar Jardim vertical – 30 modelos inspiradores para dentro e fora de casa

Dicas para manter a grama sempre verde

Três tipos de caminho na grama.
Para proteger a grama, incluir caminhos pavimentados pode ser uma solução – como Cezar Scarpato fez em seus projetos

Agora que você já escolheu o tipo certo de grama para sua casa, está na hora de conhecer os cuidados necessários para que ela fique sempre com uma aparência vistosa.

1. Em primeiro lugar, esteja a par de qual a quantidade ideal de rega e sol a espécie escolhida necessita;

2. Um solo drenável faz toda a diferença na hora da instalação. Por isso, adube a terra antes e depois que a grama estiver assentada.

“A cobertura do gramado com terra mista e adubo em pó ajuda a complementar os nutrientes depois de longo período após o plantio. Ele pode ser realizado no final da época de estiagem ou inverno, antecedendo as chuvas e calor”, explica Cezar Scarpato.

3. A poda regular é essencial para evitar o aparecimento de pragas ou buracos;

4. Se puder, evite que o local seja pisoteado. Como resultado, o crescimento será uniforme.

“Em locais de passagem, é possível criar caminhos pavimentados, seja com pisadas soltas, piso concretado, pisos drenantes ou seixo e pedrisco”, finaliza o arquiteto e paisagista.

Sobre a Scarpato Arquitetura

Cezar Scarpato é formato em arquitetura e urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e é associado ao maior conselho internacional de arquitetura sustentável desde 2016 (Leed GA – USGBC).

Ele e sua equipe valorizam ambientes com uma relação harmoniosa com o meio natural e trabalham com projetos de diferentes escalas.

Além disso, o time de profissionais visa construir experiências memoráveis à vida cotidiana por meio de conforto, design singular e simplicidade, sempre com grande admiração e respeito pela natureza e pelas boas relações humanas.

www.scarpato.arq.br

@scarpato_arq