Especial Inverno 2011: Adar apresenta cartela de cores, inspirações, tecidos, estampas e formas

- Continue depois da Publicidade -


Peles e a cor vinho são apostas para o Inverno 2011. Foto: Glamour Paraguaio

A Adar Tecidos já apresentou sua coleção para a mode feminina do Inverno 2011.

Sandra Falci, gerente de marketing de produto da Adar, mostrou quais são as principais tendências em cores e inspirações.

Veja quais são as apostas para a cartela de cores, apresentadas na ordem de preferência no mercado feminino da Europa e dos Estados Unidos.

- Continue depois da Publicidade -

1º – Preto

Vários tipo de preto no mesmo look: malha, couro, transparência e vários tons de preto.

- Continue depois da Publicidade -

2º – Cinza

Alfaiataria e malha mescla. O cinza serve como pano de fundo para as cores mais vibrantes.

- Continue depois da Publicidade -

3º – Camel

Cor requintada, não é para qualquer tipo de público.

4º – Branco

Principalmente em tecidos de alfaiataria e mais pesados, em casacos e mini vestidos.

5º – Camuflado

Looks mais despojados e para a noite; aparece também com o marrom esverdeado.

6º – Berries

“A mulher brasileira já aprendeu a usar os berries, não sai mais da nossa cartela”, disse Sandra Falci. A novidade é o vinho, que aparece na malha e no tecido plano.

7º – Golden

Dourado, ouro velho e oxidado. “O importante é que esse dourado não esteja só no tecido, mas também nas ferragens, nos acessório e nos aviamentos”, explica Sandra.

8º – Vermelho

O vermelho aparece mais aberto, ou então o próprio vinho.

9º – Azuis

Mais vibrantes, azul noite e marinho. Sandra lembra que “o marinho com o preto é uma combinação super chique. Na novela Ti Ti Ti, a personagem da Malu Mader é muito chique e clean, os figurinos dela são nas cores preta, marinho e branco”.

10º – Lipstick

São as cores da maquiagem: tons de pinks, nude e o tom flamboyant, que é um nude mais escuro.

11º – Verdes

Mais escuros, em tecidos acetinados e veludos com verde azulado.

12º – Ensolarados

Amarelos, também com toques mais esverdeados, bastante laranja e também o laranja queimado.

A Adar pontuou cinco macro tendências para o Inverno 2011. “Todas elas acabam se misturando – numa mesma peça, num mesmo look ou numa mesma coleção”, ressalta Sandra Falci.

Clean

Segundo Sandra Falci, o estilo clean vem com a inspiração nos anos 60 e na arquitetura moderna, bastante minimalista. As roupas são confortáveis e estruturadas, com formas simples, puras e tudo muito limpo. “O resultado é limpo, mas na verdade, é um trabalho de modelagem”, explica a gerente de marketing de produto.

O clean valoriza o corpo da mulher com muitos vestidos curtos, braços e ombros de fora. Existe uma brincadeira do opaco com o brilhante e ausência de aviamentos. O que importa é a estrutura da modelagem. Entre os tecidos há muita alfaiataria e malhas estruturadas.

Army

Nesse estilo há todos os tipos de militar – marinha, exército e aeronáutica, desde Napoleão até a Primeira Guerra Mundial. Sandra lembra que já faz uns dois anos que o militar é apontado como influência, “mas é o tempo que demora para uma tendência realmente acontecer”, explica.

Para o Inverno 2011 essa inspiração vem com uma releitura mais urbana e contemporânea. “Não precisa ser um militar óbvio, mas também pode ser um militar com todos os seus botões e coloração”, diz Sandra.

Um destaque é para a matéria imitando o couro, que é aplicada de várias maneiras.

Vintage

No vintage, a principal referência são os anos 50. Tudo é muito feminino e sensual, com volumes e cintura marcada. Existe uma mistura de padronagens, petit pois com animal print e também xadrezes da alfaiataria masculina.

Jet Setter

A inspiração é o final dos anos 70, como a disco music e o Studio 54. Existe a influência folk, mas com todo o glamour das Charlie’s Angels. Sandra destaca a sobreposição de tecidos, como xadrez com estampado, florais, petit pois e mistura de peles com camurça.

Nuit

É o look de festa aplicado em roupas para o dia. Brilhos, pedrarias, transparências, acetinados, renda e o bordado localizado.

Tecidos

Rendas

Transparências

Acetinados

Veludos

Alfaiatarias com aspecto lanoso

Camisarias

Camisarias fio tinto

Mesclas

Superfícies diferenciadas

Brilhos

Couro

Malhas e malhas estruturadas

Camurças

Peles

Você também pode gostar!

Alfaiatarias

Bases estampadas

Estampas e Padrões

Texturas

Art Brut

Geométricos dimensionados

Florais

Rosas

Orgânicos

Étnicas

Peles

Principais Formas para o Inverno 2011

Vestido anos 50: volumes, cinturas marcadas, a evolução do corselet, sempre valorizando o colo, o busto, a cintura e os quadris. Bastante retrô, pode ter volume ou ser mais ajustado.

Brilho: Muito glamour, brilhos não só nos bordados, mas também na malha.

New Body: bem anos 60, marca o corpo, mas é confortável.

Novas Estruturas: Misturar a matéria prima, couro com malha, muito preto, couro, recortes e ausência de aviamentos.

Vestido Longo: bem anos 70, bastante fluido e estampado.

Calça de couro: calça com recortes de alfaiataria, aparece como legging, como skinny, com volume, ou então uma calça de malha estruturada com detalhes em couro.

Calça cargo: proposta bem utilitária, com muitos bolsos e reguladores.

Calça Flare: justa na cintura, cós alto, justa nos quadris, vai abrindo até chegar aos pés.

Calça cigarrete: em vários tipos de matéria prima, como denim ou alfaiataria. Bastante ajustada e na altura do tornozelo.

Calça legging: continua, mas aparece renovada, com detalhes de couro ou zíper, por exemplo.

Capas: são versáteis e têm influência militar.

Camisas clássicas e/ou românticas: cetim, transparência, renda e laços nas camisas românticas.

Camisa xadrez: já virou um básico, principalmente para o segmento jovem.

Camisa jeans: super versátil, aparece de várias maneiras.

Saia ampla: com bastante volume e abaixo do joelho. Entretanto, Sandra lembra que para o Brasil é um pouco difícil por ser mais clássica e contemporânea.

Saia Lápis: pode ser acima ou abaixo do joelho, com misturas de matérias primas e valorização do corpo.

Mini-saia: aparece em vários tecidos diferentes, trabalhadas com sobreposições.

Jaqueta aviador: “Essa é a peça do inverno”, alerta Sandra Falci. “O bacana é misturar essa jaqueta com tecidos de alfaiataria, com a malha, com o moletom bem estruturado”.

Jaqueta Militar: pode ser bastante óbvia, com as martingales, com os botões dourados e brasões.

Jaqueta Cropped: é bem mais curta, pode misturar o punho do moletom, deixar mais ajustada, ótimo para trabalhar com sobreposições.

Coletes: de pele ou alfaiataria, bastante mistura de tecidos para fazer um trabalho diferenciado.

Ternos: com três peças – calça, colete e paletó, pode ser monocromático.

Casacos com influência militar: mais longos, na altura do joelho; ou mais curtos e mais ajustados.

Trench-Coat: aparece também como vestido, com cintos marcando a cintura.

Novos volumes: são casacos diferenciados, com recortes mais anatômicos e confortáveis.

Casacos utilitários: bolsos, recortes e reguladores, com capuz e influência esportiva.

Shorts e bermudas: agora aparecem com tecidos pesados, lanosos, cintura alta e bem largo, parecendo uma saia.

Macacões: all-in-one, super anos 70, pode ter uma influência militar ou disco.

Tops: mais feminino, com volumes diferenciados.

Jeans: lavagens amaciadas, na cor do índigo.

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes