Precious Brazil: novas estratégias e incentivos no setor de joias

375

- Continue depois da Publicidade -

O Precious Brazil, projeto setorial criado através da parceria entre o Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), tem como objetivo posicionar o país como um importante player do mercado de gemas e joias no mundo.

Para isso, incentiva a participação dos associados em feiras e eventos internacionais, que em decorrência do cenário atual estão com o calendário suspenso. Como alternativa, o projeto vem apoiando ações de valorização das empresas de joias e pedras preciosas associadas nas mídias e redes sociais. Além de adotar estratégias para agregar valor no design do produto e incentivar o investimento em cursos de aprimoramento.

Clarissa Maciel, gerente de Relações Internacionais do Precious Brazil, acredita que o momento está sendo de adaptação para todos no setor e que, investir, por exemplo, em cursos e materiais para desenvolvimento de técnicas e gestão de negócios, é uma forma de se preparar para um reposicionamento no mercado quando as atividades voltarem à normalidade.

A Apex-Brasil vem disponibilizando em seu site, estudos, informações e notícias com a finalidade de ajudar a minimizar os efeitos da COVID-19. Além de um panorama global das consequências e futuras tendências que podem atingir o setor brasileiro e mundial de exportação.

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

O mesmo tem sido feito no site do IBGM. Preocupado com os associados e a situação atual, apresenta talks, palestras e cursos online exclusivos de gestão de tempo. Assim como dicas de inovação e mercado, que podem ajudar as marcas fortalecerem suas imagens como marca.

Informações adicionais podem ser obtidas através dos sites do projeto, Apex-Brazil e do IBGM.

Sobre o Precious Brazil

 

O Projeto Setorial visa apoiar e promover as empresas brasileiras dos segmentos de pedras, bijuterias e joias brasileiras que queiram exportar seus produtos, sejam elas iniciantes, exportadoras e internacionalizadas. Conduzido pelo IBGM  em parceria com a Apex-Brasil, o projeto atende, atualmente, cerca de 95 empresas do setor.

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

- Continue depois da Publicidade -