Sem reajustes há 4 anos, funcionários da RedeTV! entram em greve enquanto sócios passam férias na Itália

Funcionários da RedeTV! Decidiram entrar em greve em assembleia na tarde da última segunda-feira, 31. O Sindicato dos Radialistas alega que os empregados estão sem reajustes salarial ou abono há 4 anos

- Continue depois da Publicidade -

É critica a situação da RedeTV! com relação aos seus funcionários. De acordo com informações do UOL, empregados da emissora decidiram entrar em greve durante assembleia realizada na última segunda-feira, 30. Segundo o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, a maioria do quadro de funcionários da empresa é registrado nessa categoria. Contudo, boa parte dos empregados não desempenham funções nessa área.

Dessa forma, os colaboradores da RedeTV! afirmam que estão sem receber reajuste salarial há 4 anos. Além disso, o abono salarial anual, previsto em acordo sindical, também não é pago nesse mesmo tempo.

Ainda segundo informações, a greve teve início às 00:00h dessa terça-feira, 31 e sem previsão de retorno. Enquanto isso, funcionários aguardam a diretoria da RedeTV! tomar uma decisão com relação aos pedidos de seus colaboradores. Vale ressaltar que na última paralisação, telejornais e outros programas da casa foram diretamente afetados.

Vem saber o que dizem a RedeTV! e o Sindicato. E as polêmicas em torno de gastos com coisas supérfluas, enquanto funcionários possuem o menor salário da categoria.

 

  • Mas antes, nos siga no Google News e acompanhe o Ilha Record, Masked Singer Brasil, A Fazenda 13 e tudo sobre os famosos direto do seu smartphone. Basta clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

 

- Continue depois da Publicidade -

Salários defasados

 

Amílcare Dallevo Júnior e Marcelo de Carvalho são sócios da emissora. Fonte: Reprodução
Amílcare Dallevo Júnior e Marcelo de Carvalho são sócios da emissora. Fonte: Reprodução

 

- Continue depois da Publicidade -

A RedeTV! foi fundada em novembro de 1999. Na época, a proposta do canal era apostar em uma programação alternativa com um alto investimento em tecnologia. De fato, a emissora possui uma tecnologia de ponta. Contudo, a relação com seu quadro de funcionários sempre foi marcada por controvérsias.

O Fashion Bubbles conversou com um ex-funcionário que ainda mantém contato com colegas da RedeTV! Esse funcionário disse: “Quando eu trabalhava lá (como editor de vídeo em 2013) a gente ganhava R$ 1.500,00. Faz oito anos que eu sai e meus amigos recebem agora R$ 1.600,00.”

Os salários, entre os menores do mercado, estão corroídos pela alta de preços. A inflação oficial, medida no período de maio de 2017 a abril de 2021, é de 18, 72%. Se contar a forte aceleração do índice nos últimos quatro meses, o aumento no custo de vida é ainda maior – afirma o Sindicado SJSP.

- Continue depois da Publicidade -

No quadro de funcionários da RedeTV! tanto operadores do audiovisual, como secretárias, copeiras, trabalhadores do RH e até professores de Educação Física são registrados como radialistas. Mesmo que muito deles não desempenhem função na área.

 

  • Veja também: Ilha Record – Antonela é abandonada pelo marido e diz de quem foi culpa: “destroem pessoas”

 

O que diz a emissora

 

RedeTV! Foi inaugurada em 1999 em São Paulo. Fonte: Reprodução
RedeTV! Foi inaugurada em 1999 em São Paulo. Fonte: Reprodução

 

Você também pode gostar!

Em nota publicada pela UOL, a RedeTV! lamenta a decisão tomada pela assembleia. O canal também afirma que todos os salários estão em dia e que poucos funcionários estiveram nessa reunião com o sindicato.

A RedeTV! lamenta que o Sindicato tenha realizado assembleia na qual não estava presente a maioria de seus milhares de colaboradores para decretar o estado de greve. Isso prejudica o trabalho dos demais colaboradores que não concordam ou apoiam tal movimento – disse a emissora em nota.

Além disso, o canal dos empresários Amilcare Dallevo Jr. e Marcelo de Carvalho, afirma não ter realizado cortes na folha salarial durante o período da pandemia.

A argumentação apresentada pelo Sindicato é totalmente desvinculada da realidade. Isso porque o setor de comunicação foi um dos mais afetados (gravemente) pela pandemia covid-19. A RedeTV!, ao contrário de outras empresas do meio que notoriamente praticaram grandes cortes de folha de pagamento durante o período, não o fez. Dessa forma, a RedeTV! seguirá desempenhando as suas funções com os colaboradores que refutam tal movimento – afirma a Rede TV.

 

  • Veja também: Caio Castro dispara sobre boatos de traição após rompimento com Grazi Massafera: “falta de respeito”

 

Empresários na Itália

 

Estúdios da RedeTV! é um dos mais modernos do Brasil. Fonte: Reprodução
Estúdios da RedeTV! é um dos mais modernos do Brasil. Fonte: Reprodução

 

Em outubro de 2020, a coluna do jornalista Ricardo Feltrin do UOL publicou uma matéria polêmica. De acordo com o jornalista, enquanto a RedeTV! prolongava uma redução salarial, a diretoria do canal gastava mais R$ 10 mil em vinhos europeus. Ainda, segundo Feltrin uma foto da nota fiscal circulava entre os funcionários da emissora.

Agora, enquanto discutiam sobre a greve, funcionários da RedeTV! também questionavam as férias de Amilcare Dallevo Jr. e Marcelo de Carvalho. Isso porque os sócios foram descansar na Itália. Essa informação é apontada pelo site Catraca Livre.

Além disso, a RedeTV! também tem investido em promoções e sorteios que despertam o interesse do público, diz o sindicado. Os sócios da emissora são declaradamente apoiadores do Governo Bolsonaro.

De acordo com o UOL, nos últimos meses a RedeTV! fechou contratos publicitários milionários com Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Petrobras, Ministério da Saúde, Ministério da Educação, governo do estado de São Paulo e outras importantes instituições públicas.

Além disso, empresas como Bradesco, Itaú, Facebook, Ultrafarma, Vivo, Casas Bahia, Sky Pré-Pago, Bigtrail e Cartão de Todos também investiram no canal.

Por fim, a proposta que já foi aprovada por várias outras empresas de radiodifusão, é a seguinte:

  • Reajuste Salarial de 18,72%, aplicado sobre o salário e demais cláusulas econômicas vigentes em maio de 2.017;
  • Abono salarial retroativo equivalente a 353,89% de uma remuneração;
  • Manutenção de todas as cláusulas sociais constantes da última Convenção Coletiva assinada – 2.016/2018

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes