Será que você tem a Síndrome da Mulher Maravilha?

177

Casa, carreira, marido, filhos, funcionários, plantas, animais de estimação, terapia, salão de beleza, amigos, parentes, contas, dieta, academia, estudo, viagens, vida espiritual, projetos sociais, etc.

Qual a mulher que hoje em dia não se sente sobrecarregada?

Você também se sente assim??? Como se tivesse de dar de conta de 18 coisas por minuto?? E o pior é que essas 18 coisas têm que ser perfeitas!!! Só sendo mesmo uma mulher maravilhaaaaaa.

A hipermodernidade na qual vivemos atualmente, além da nossa capacidade física, exige também muito esforço cognitivo e intelectual. Somos cobradas por nós mesmas, pela família, pela sociedade e por qualquer pessoa que faça parte do nosso círculo de relações.

E o que está acontecendo conosco?

Estamos cada vez mais dispersas, emocionalmente esgotadas, com uma forte tendência à ansiedade, síndrome do pensamento acelerado, pânico, stress e até depressão. Tudo isso sabe por quê? Porque por mais mulher maravilha que estejamos tentando ser, o nosso cérebro não consegue se focar em duas atividades ao mesmo tempo.

Segundo a neurociência, o máximo que ele vai fazer é alternar o foco, mas nunca fazer as duas ao mesmo tempo. Mas, nós mulheres insistimos nisso, não é mesmo?

O que acontece é que cada vez que mudamos de tarefa, precisamos de mais energia e mais esforço para voltamos à tarefa anterior. E como se não bastasse, ficamos cansadas, mais dispersas e com um tremendo sentimento de frustração porque não damos conta de tudo.

A grande questão é: VOCÊ NÃO PRECISA DAR CONTA DE TUDO AO MESMO TEMPO!!! AQUILO QUE CONSEGUIR FAZER NÃO PRECISA SER PERFEITO! ASSUMA ISSO COMO UMA VERDADE NA SUA VIDA.

Aqui, vale a pena ressaltar dois pontos:

Você também pode gostar!
  1. Tentar fazer tudo ao mesmo tempo rouba de nós a alegria e o prazer de experimentar o agora, de viver o momento presente. Pois, sempre que tentamos fazer várias coisas ao mesmo tempo, estamos mais ligadas no futuro do que no agora. Resultado: ANSIEDADE GENERALIZADA;
  2. O que eu consigo fazer não precisa ser perfeito. Nenhum dos meus papéis precisa mostrar perfeição. O perfeccionismo carrega duas facetas escondidas e muito perigosas que são: uma baixa autoestima e uma enorme necessidade de aprovação de terceiros.

 

Para tentar nos educar e ter uma vida mais feliz e equilibrada, experimente:

  • A meditação, como forma de você saborear o momento presente e controlar sua ansiedade através da respiração.
  • O exercício do “não” como forma de balancear os seus objetivos com os dos outros. Você não precisa viver para agradar 100% das pessoas com quem convive, portanto, saiba dizer “não” como uma forma de dizer que você não é perfeita em tudo e que a sua vida também tem um enorme valor para você. Não aceite fazer sempre tudo para todos, deixando-se em último lugar.

Equilíbrio é a chave de uma vida feliz!

Um abraço,

Por Valeria Didier

***

Valéria Didier é Coaching de Imagem Pessoal, formada pela FIT,NY e pela Academia Brasileira de Coaching e Desenvolvimento. Desde 2010, atua nessa área ajudando homens e mulheres a terem uma imagem pessoal de sucesso tanto na área da aparência propriamente dita, como da comunicação verbal e não-verbal como no seu comportamento no âmbito pessoal e corporativo.

A imagem pessoal, ao contrário do que muitos pensam, é um fator decisivo no alcance de muitos dos nossos objetivos e sonhos. Se a sua imagem pessoal interna ou externa tem sido um empecilho para isso, Valéria pode lhe ajudar a construir uma imagem pessoal de credibilidade e confiança.

Valéria Didier também é Palestrante e  autora do E-Book “Por que eu nunca tenho o que vestir”? Proprietária do site www.valeriadidier.com.br)

“Uma imagem vale mais que mil palavras” (Confúcio).

#ImagemPessoalFazDiferença

você pode gostar também