Rosa do deserto: como cuidar da planta exótica em casa

Planta exótica é uma das mais interessantes para cultivar em casa. Descubra os motivos!

  • 2
    Shares

- Continue depois da Publicidade -

A rosa do deserto é uma das plantas ornamentais mais conhecidas e utilizadas nos dias de hoje, sobretudo pela sua beleza e aparência exótica.

Ela é linda e pode ser usada na decoração de qualquer ambiente, deixando o local mais bonito e atrativo.

No entanto, para ter êxito no cultivo, você precisa conhecer as características da espécie e saber como cuidar dela de maneira adequada.

Vamos te ajudar com isso. Então leia esse texto até o final para saber mais sobre a rosa do deserto e como fazer o cultivo dela adequadamente.

 

 

Conheça a rosa do deserto

 

 

- Continue depois da Publicidade -

A rosa do deserto é uma espécie vegetal, descrita cientificamente como Adenium obesum, que pertence à família Apocynaceae.

Originalmente ela cresce no Sahel, uma área um pouco ao sul do deserto do Sahara, na África, em países como Senegal e Sudão. Mas é possível encontrar a espécie também em outras regiões da África e no Sudão.

- Continue depois da Publicidade -

Em ambiente natural essa é uma planta de porte grande, que chega a até cinco metros de altura. A largura também chama a atenção e pode chegar a um metro e meio.

 

 

rosa do deserto em um jardim
Fonte: Bunnings

 

 

Por isso, ela dispõe de locais grandes. No entanto, para fins ornamentais existem técnicas de cultivo da espécie em espaços menores.

- Continue depois da Publicidade -

Assim é possível ter uma rosa do deserto em vasos, para que você admire a sua beleza a qualquer momento.

 

 

Principais características

 

 

Basicamente, a rosa do deserto é um arbusto suculento de caule muito grosso na sua base. Isso acontece porque a planta é proveniente de regiões secas e acumula água.

As folhas grandes com disposição em espiral também caracterizam essa planta. Essas possuem aparência bem semelhante ao couro. Quando expostas a estações do ano mais frias, as folhas podem cair.

A espécie conta também com flores tubulares com cinco pétalas, podendo ser de várias cores diferentes, como:

  • Branco;
  • Rosa;
  • Lilás;
  • Vermelho;
  • Vinho;
  •  Preto, que pode ou não ter detalhes em branco.

Devido às condições naturais de origem da planta, a rosa do deserto se dá bem em locais muito quentes, com solo seco, muito drenado.

Sendo assim, se você morar em um local frio, é bem provável que as suas plantas não sobrevivam.

 

 

 

 

Não confunda as espécies

 

 

Se você quer ter uma rosa do deserto, precisa aprender a reconhecer essa planta. É importante saber que ela se assemelha muito à Adenium multiforme.

É importante saber diferenciar as duas para que não haja confusão. A primeira questão é que a rosa do deserto possui tronco mais estreito, além de passar por dormência durante o inverno. Sendo assim, ela floresce entre os meses de maio a agosto.

As pétalas também são diferentes, de tamanho variado, com aparência afiada, como se fosse uma estrela. A cor é avermelhada, mas há delimitação por bordas brancas.

 

 

rosa do deserto na sala
Fonte: mydomaine

 

 

Há também a Adenium somalensetem, que cresce na Somália, Quênia e Tanzânia. Essa espécie é muito grande podendo chegar a até 15 metros de altura. O tronco largo também chama a atenção.

Existe ainda o Adenium socotranum, que é mais raro, sendo resultado de cruzamentos entre outras espécies. É também uma espécie grande, que chega a 10 metros de altura e 8 de diâmetro.

Adenium arabicum também possui características semelhantes à rosa do deserto, enquanto que o Adenium oleifolium é menor e chega a no máximo um metro de diâmetro e tem crescimento lento.

Por fim, você deve saber que existe ainda Adenium boehmianum, que cresce na Namíbia e sul da Angola, que é uma espécie venenosa de crescimento lento, que leva anos para florescer.

 

 

 

 

Informações essenciais para o cultivo da rosa do deserto

 

 

O cultivo da rosa do deserto exige conhecimentos prévios para que dê certo. Somente conhecendo as necessidades da planta é possível cuidar bem dela e garantir a sua vitalidade e durabilidade.

 

 

Onde plantar

 

 

rosa do deserto vaso
Fonte: mydomaine

 

 

As espécies ornamentais podem ser colocadas em vaso, mas é preciso ter cuidado com a escolha do recipiente.

Por ser uma planta de clima seco, a rosa do deserto não gosta de terra muito encharcada. Por isso, é necessário que o vaso tenha vários furos para a drenagem.

 

 

Dicas essenciais para o preparo do vaso

 

 

Preparar o vaso corretamente é essencial para garantir o bom crescimento da planta. O primeiro ponto é ter em mente que o caule dela é forte e grosso, assim como as suas raízes.

Então, forre o fundo com pedras e TNT para evitar que as raízes saiam pelos furos de drenagem. Isso evita problemas conforme a planta for crescendo.

Você vai precisar também de um substrato que simule as condições do solo seco. Para isso, é ideal misturar terra, areia grossa e húmus de minhoca, materiais bem fáceis de se encontrar.

Mas se a sua ideia for ser específico, é possível conseguir materiais ainda mais adequados em lojas de jardinagem. A mistura ideal para a rosa do deserto é a seguinte:

  • 65% de vermiculita;
  • 10% de fibra de coco;
  • 10% de areia;
  • 15% de material orgânico
Você também pode gostar!

O solo adequado é fundamental para garantir o bom escoamento da água e, assim evitar que as raízes apodreçam.

Além disso, é importante deixar o vaso em um local com incidência solar direta, onde a temperatura seja sempre bem alta. Essa espécie não sobrevive em temperaturas inferiores a 14ºC.

 

 

  • Veja também: Decoração com Plantas – Selva urbana é tendência. Saiba como escolher e cuidar das plantas em casa

 

 

Irrigação

 

 

rosa do deserto
Fonte: thespruce

 

 

Como você já viu, a rosa do deserto é uma planta de clima seco e quente. Por isso, o excesso de umidade pode leva-la à morte.

É claro que a planta precisa de água, mas se a terra ficar constantemente úmida, as raízes apodrecem.

Por isso, afunde o dedo na terra do vaso todos os dias. Quando sentir que o solo está realmente seco, então é a hora certa de irrigar a planta.

E atenção ao período de inverno, pois a planta deve ser mantida inativa. Para isso, basta regar o vasinho apenas uma vez ao mês. Não se preocupe porque a espécie é adaptada à secura.

 

 

  • Siga o Fashion Bubbles no Google News para poder acompanhar tudo sobre decoração e jardinagem direto no seu smartphone. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

 

 

Poda e cuidados necessários

 

 

A rosa do deserto pode ser muito bonita, mas a sua seiva é tóxica, com potencial para provocar mal estar, náusea, tontura e vômito.

Por isso, além de deixa-la fora do alcance das crianças e animais, é preciso ter muito cuidado ao cortar folhas e flores.

Evite ao máximo o contato com a pele e, sobretudo com olhos e boca.

 

  • Veja também: Jardim vertical – 30 modelos inspiradores para dentro e fora de casa

 

 

Floração

 

 

É mais comum que a rosa do deserto floresça na primavera, mas dependendo da temperatura e incidência solar isso pode acontecer também no verão e outono.

 

 

Como transplantar

 

 

É recomendado que se faça o replantio da rosa do deserto a cada dois ou três anos pelo menos. Ao fazer isso,  recomenda-se que você deixe a base do caule um pouco mais acima, deixando as raízes aparentes.

 

 

Cuidado com as sementes falsas de rosa do deserto

 

 

A rosa do deserto é uma planta muito bonita, que vem sendo muito usada na decoração e ornamentação.

Por isso, existe um mercado que gira em torno dela e, há também pessoa mal intencionadas que querem ganhar dinheiro com isso.

Há muitas pessoas que comercializam sementes de outras espécies. Então, compre apenas de fornecedores confiáveis, sobretudo se você estiver buscando por uma cor específica de flor.

Como já foi dito, a rosa do deserto pode ter várias cores de flores, inclusive preta, que é mais rara.

A forma de cultivo também é muito importante no caso de quem vai adquirir a planta já em um vaso.

É importante que o cultivo tenha sido feito de maneira adequada para que se possa garantir a cor exata da planta que você procura.

Atualmente, é comum que o cultivo seja realizado em estufas controladas. É essencial garantir que não haja possibilidade de cruzamentos diferentes para que você tenha a certeza da coloração da planta que adquiriu.

 

  • Confira também: Jardim residencial: 85 fotos com tipos, tamanhos e ideias para caprichar no seu

 

Para a rosa do deserto ficar pequena, utiliza-se a mesma técnica do bonsai

 

 

rosa do deserto no vaso
Fonte: Bunnings

 

A rosa do deserto é originalmente uma espécie de grande porte, que foi adaptada para o plantio em vasos.

No entanto, se você quer ter um exemplar como aqueles das revistas e internet, precisa trabalhar bem para que ela adquira o caule grosso característico.

Assim, o tratamento é o mesmo feito para o bonsai, o que inclui replantes, cortes de raízes e dos brotamentos superiores, além de evitar pragas e fungos.

Uma vez a cada dois anos, é essencial remover as raízes cuidadosamente do vaso e adicionar mais substrato.

É importante fazer o levantamento das raízes nesse processo. Essa é uma técnica interessante utilizada por bonsaístas e que deixa a planta mais bonita e chamativa.

Mas lembre-se de que essa é uma planta que possui seiva tóxica, sendo perigosa para animais e humanos. Por isso, manuseie com cuidado e sempre usando luvas.

 

 

 

Conclusão

 

 

A rosa do deserto é uma espécie muito bonita, que vem sendo muito usada na ornamentação e, que possui fácil manutenção.

Ela é de ambiente árido e consegue sobreviver em condições extremas de secura e calor. Mas não vive bem em temperatura baixa.

Se você gostou de conhecer a rosa do deserto é quer ter alguns vasinhos na sua casa, use todas as dicas desse texto para cultivar a sua.

  • 2
    Shares

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes