Mulheres nas Olimpíadas 2021: 12 vezes em que elas foram protagonistas dos Jogos

Medalhas inéditas, maior representação em comissões técnicas e na arbitragem. A participação das mulheres nas Olimpíadas de Tóquio vai ficar para a história

- Continue depois da Publicidade -

Neste ano, o Comitê Olímpico Internacional (COI) tomou medidas para garantir um maior equilíbrio de gênero. Assim, a participação feminina atingiu um recorde de 48,8% nos Jogos de Tóquio 2020. E as mulheres nas Olimpíadas são um show à parte.

Afinal, elas estão fazendo história não só nos esportes, como também nas comissões técnicas, na arbitragem e até mesmo nas transmissões pela TV. Veja, em seguida, 12 momentos em que as mulheres mostraram que foram ao Japão para serem protagonistas!

 

 

As conquistas das atletas brasileiras

 

 

1. Rayssa Leal

 

 

Das 10 medalhas brasileiras até agora nos Jogos Olímpicos, 5 são de mulheres. A primeira delas foi a prata de Rayssa Leal. Com apenas 13 anos de idade, a fadinha do skate é a brasileira mais jovem de todos os tempos a garantir uma medalha olímpica.

 

 

- Continue depois da Publicidade -

Montagem com duas fotos da skatista Rayssa Leal nas Olimpíadas de Tóquio
Fonte: Reprodução/Instagram @rayssalealsk8

 

 

2. Rebeca Andrade

 

 

- Continue depois da Publicidade -

Rebeca Andrade também foi protagonista de alguns dos momentos mais expressivos do evento. Ela ficou com o segundo lugar no individual geral. Desse modo, a atleta conseguiu uma medalha inédita para a ginástica artística feminina nacional.

A ex-ginasta Daiane dos Santos comentou a importância da conquista. Isso enquanto comentava o evento para o SporTV. “Durante muito tempo, disseram que as pessoas negras não poderiam fazer alguns esportes. E aí a gente vê hoje a primeira medalha, de uma menina negra”, disse.

Além disso, dias depois, Rebeca ganhou ainda o ouro no salto. Assim, tornou-se a 1ª brasileira com duas medalhas em uma só Olimpíada.

 

 

- Continue depois da Publicidade -

Montagem com duas fotos da ginasta Rebeca Andrade nas Olimpíadas de Tóquio
Fonte: Reprodução/Instagram @rebecarandrade

 

 

3. Mayra Aguiar

 

 

Outra brasileira que já marcou a passagem das mulheres nas Olimpíadas foi Mayra Aguiar. Isso porque a judoca ganhou o bronze na categoria para até 78 kg. Ela já tinha levado essa medalha nas edições de Londres 2012 e Rio 2016. Assim, tornou-se a primeira brasileira da história a subir três vezes no pódio olímpico em modalidades individuais.

 

 

Montagem com duas fotos da judoca Mayra Aguiar nas Olimpíadas de Tóquio
Fonte: Reprodução/Instagram @mayraaguiarjudo

 

 

4. Ana Sátila Vargas

 

 

Ao mesmo tempo, precisamos exaltar a participação de Ana Sátila Vargas nas Olimpíadas de Tóquio 2021. A atleta acabou ficando sem medalha. Ainda assim, fez história como a primeira brasileira finalista na canoagem slalom.

 

 

Montagem com duas fotos da atleta Ana Sátila nas Olimpíadas de Tóquio
Fonte: Reprodução/Instagram @anasatila_vargas

 

 

5. Laura Pigossi e Luisa Stefani

 

 

Por fim, a dupla Laura Pigossi e Luisa Stefani levou um bronze inédito. Antes delas, nenhum brasileiro tinha conquistado uma medalha olímpica no tênis.

 

 

Montagem com duas fotos de Laura Pigossi e Luisa Stefani nas Olimpíadas 2021
Fonte: Reprodução/Instagram @luisastefani

 

 

 

 

Participação das mulheres nas Olimpíadas em comissão técnica

 

 

Apesar de a quantidade de atletas homens e mulheres estar próxima do equilíbrio, essa igualdade ainda não faz parte das comissões técnicas. Você sabia que apenas 10% dos treinadores que vão às Olimpíadas são do sexo feminino? Esses números precisam mudar e o ótimo desempenho das poucas técnicas prova isso. Saiba mais!

 

 

6. Yuko Fujii

 

 

A japonesa Yuko Fujii, por exemplo, é treinadora da seleção brasileira de judô masculino desde 2018. A modalidade já garantiu medalha de bronze para Daniel Cargnin na categoria até 66kg do judô.

 

 

Foto do atleta Daniel Cargnin e sua treinadora Yuko Fujii
Fonte: Wikimedia Commons

 

 

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

7. Ana Paula Negrão

 

 

Kelvin Hoefler, medalhista de prata no skate street masculino, é treinado pela esposa Ana Paula Negrão. O atleta recebeu dicas da técnica após cada manobra e afirmou que deve o resultado a ela. “Eu estava falando com ela o tempo todo, porque ela é a minha técnica, minha coach, meu braço direito, esquerdo, perna, tudo. Ela que me ajuda sempre que me fala: ‘Kelvin, você é o melhor’”, contou.

 

 

Montagem com duas fotos de Kelvin Hoefler nos Jogos Olímpicos de Tóquio
Fonte: Reprodução/Instagram @kelvinhoefler

 

 

8. Pia Sundhage

 

 

Pia Sundhage é outra treinadora que chamou atenção durante as competições. No comando da seleção brasileira de futebol feminino desde 2019, a sueca mostra como é importante ter mulheres apoiando mulheres. Pia, aliás, fez sucesso nas redes sociais com suas comemorações cheias de empolgação.

 

 

Montagem com duas fotos de Pia Sundhage
Fonte: Reprodução/Instagram @selecaofemininadefutebol

 

 

9. Michelle Lenhardt

 

 

O nadador Bruno Fratus foi bronze na prova de 50 metros livre. Logo após conquistar a medalha, comemorou com sua esposa e treinadora, Michelle Lenhardt.

 

 

Montagem com duas fotos do nadador Bruno Fratus ao lado da esposa e treinadora Michelle Lenhardt
Fonte: Reprodução/Instagram @michellelenhardt

 

 

 

 

Um marco na arbitragem

 

 

Enfim, a participação das mulheres nas Olimpíadas também teve avanços na arbitragem. Você já deve ter reparado que, enquanto é comum ver homens apitando jogos femininos, a situação inversa é mais rara. A esperança, contudo, é que essa realidade mude em breve.

 

 

10. Andreia Regina Silva

 

 

Em Tóquio 2020, pudemos presenciar, pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos, uma mulher apitando um jogo de basquete masculino. A brasileira Andreia Regina Silva foi árbitra na disputa entre Estados Unidos e Irã. Antes dela, só duas juízas já tinham apitado partidas de basquete. Mas ambas na categoria feminina.

 

 

Montagem com duas fotos da árbitra brasileira Andreia Regina Silva
Fonte: Reprodução/Instagram @andreiasilvafibablack

 

 

 

 

Outras mulheres nas Olimpíadas 2021

 

 

11. Karen Jonz

 

 

Mas não é só nas competições que as mulheres estão mostrando protagonismo durante os Jogos Olímpicos. A skatista Karen Jonz foi elogiada por seus comentários didáticos na transmissão do SporTV. No entanto, passou por uma situação machista durante uma entrevista ao UOL News Olimpíadas.

Depois que o apresentador disse que ela era conhecida por ser esposa do cantor Lucas da banda Fresno, a comentarista deu uma invertida certeira. “Eu não sou conhecida porque eu sou casada com o Lucas. Eu sou conhecida porque eu sou tetracampeã mundial e primeira mulher a vencer o X Games”, afirmou Karen.

 

 

 

 

12. Yasmin Brunet

 

 

Yasmin Brunet foi outra mulher que viralizou nas Olimpíadas. A modelo é esposa do surfista Gabriel Medina. Assim, ganhou destaque com suas lives no Instagram durante as competições do marido.

Ela, aliás, estava ao vivo na plataforma durante a eliminação do brasileiro. Gabriel acabou ficando sem medalha. De acordo com Yasmin, foi uma “roubada na cara dura”.

 

 

Foto de Yasmin Brunet e Gabriel Medina, mulheres nas Olimpíadas
Fonte: Reprodução/Instagram @yasminbrunet1

 

 

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes