Qual a origem dos trajes típicos de Festa Junina? A história das comemorações de São João

A origem dos trajes típicos de Festa Junina é um exemplo da riqueza multicultural do nosso país. Veja mais sobre essa história!

- Continue depois da Publicidade -

Sendo uma das festas mais populares no Brasil, vamos analisar um pouco a origem dos trajes típicos de Festa Junina e a rica história que envolve essa data.

Afinal, a festa é celebrada do norte ao sul do país, ainda que com diferenças. Veja mais sobre esse marco da nossa cultura!

 

Qual a origem dos trajes típicos de Festa Junina?

 

Traje típico de Festa Junina.
Traje típico de Festa Junina. Crédito: Lívia Kizli. Fonte: Liraby.

 

A origem dos trajes típicos de Festa Junina é um exemplo claro da riqueza multicultural do Brasil. Entretanto, apesar da Festa de São João ser uma comemoração tão tipicamente brasileira que parece mesmo coisa da nossa terra, ela é original da Europa.

- Continue depois da Publicidade -

Além disso, a origem da festa pode ser rastreada até vários séculos antes do catolicismo. Dessa forma, tanto a celebração como a vestimenta nela usada também evoluíram muito até chegar por aqui.

Em seguida, acompanhe com detalhes essa trajetória e as inconfundíveis roupas tradicionais da festa no país.

 

- Continue depois da Publicidade -

  • Em seguida, aproveite e nos siga no Google News para para saber tudo sobre Moda, Beleza, Famosos, Décor e muito mais. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

 

Qual a história da Festa Junina?

 

A Festa de São João de Jules Breton, 1875.
A Festa de São João de Jules Breton, 1875. Crédito: Museu de Arte da Filadélfia. Fonte: Wikimedia commons.

 

- Continue depois da Publicidade -

Doces diversos, o milho, o quentão, as quadrilhas e a fogueira são os elementos indispensáveis para uma boa festa de São João no Brasil. Acima de tudo, a fogueira é o ponto que melhor conecta a nossa festa atual com à origem da celebração.

Antes de Cristo, as civilizações da antiguidade já tinham como costume acender o fogo como maneira de celebrar o solstício de verão na Europa – o  dia mais longo do ano. Antes de mais nada, a data era celebrada para marcar tanto o fim dos dias de frio como as primeiras colheitas. Ou seja, era uma data para festejar a fertilidade e a fartura da vida.

Posteriormente, no século VI, a Igreja Católica passou a incorporar essa celebração pagã, para o que definiu o dia 24 de junho, aniversário de São João Batista.

Dois séculos depois, os portugueses passaram a aproveitar todo o mês de junho para outras comemorações. Assim, além de São João, entre as festas dos santos celebradas nessa época estão as de São Pedro e Santo Antônio.

 

Ilustrações de trajes típicos de Festa Junina de Alceu Penna.
Ilustrações de trajes típicos de Festa Junina de Alceu Penna. Fonte: Facebook Alceu Penna.

 

Desde quando se comemora o São João no Brasil?

 

As festas de São João foram transportadas para o Brasil no período colonial, sendo por aqui populares desde o final do século XVII.

A esse respeito veja, por exemplo, o que o jesuíta Fernão Cardim escreveu no ano de 1583, no seu famoso “Tratado da Terra e da Gente do Brasil”:

“A mais alegre é a das fogueiras de São João, porque suas aldeias ardem em fogo e, para saltarem as fogueiras, não os estorva a roupa, ainda que algumas vezes chamusquem o couro”.

 

Traje típico de Festa Junina.
Traje típico de Festa Junina. Crédito: Fernanda Tresinari. Fonte: Instagram @fertresinari.

 

Desse modo, já naquele período se fazia grandes fogueiras e celebrações com alimentos típicos para celebrar o dia de São João no território brasileiro. Como junho é a época da safra do milho na América do Sul, boa parte das comidas passou a levar o cereal, que todavia não era, e segue sem ser, comum na Europa.

Alguns séculos depois, em 1808, a família real portuguesa chegou ao Brasil. Fugindo da invasão francesa a Portugal, vinham acompanhados de nada menos que 15 mil aristocratas.

Desde então, novos elementos culturais foram acrescentados à festa, que já era tão multicultural.

 

 

A origem europeia dos trajes típicos de Festa Junina

 

Festa Junina no Clube Espéria, em 1933 em São Paulo.
Festa Junina no Clube Espéria, em 1933 em São Paulo. Fonte: Revista Esperia, edição de Junho de 1933 / VEJA SP.

 

De acordo com os antropólogos Renato da Silva Queiroz, da USP, e Maria Amália Giffoni, a origem dos trajes típicos de Festa Junina deve muito à corte portuguesa do período colonial. Afinal, de modo geral, foram os aristocratas que trouxeram as quadrilhas para o Brasil.

Originada em Paris no século XVIII, esse tipo de dança era conhecido como “quadrille“. O estilo tinha origem na contradança que, por sua vez, surgiu com os ingleses.

Esse baile era muito dançado entre os camponeses da Normandia e da Inglaterra. Já em solo tupiniquim, os casais dançavam trocando de pares nos salões da nobreza. Para a festa, então usavam anáguas, roupas exageradas, perucas e tudo mais que a moda francesa mandava.

 

Uma "quadrille française". Ilustração de "La Trénis", publicada no "Le Bon Genre" em 1805.
Uma “quadrille française”. Ilustração de “La Trénis”, publicada no “Le Bon Genre” em 1805. Fonte: Wikimedia.

 

 

Uma Festa Popular

 

Festas de São João, de Anita Malfatti.
Festas de São João, de Anita Malfatti. Fonte: Obvious.

 

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

Quando a contradança saiu dos salões dos palácios para invadir as festas populares, os trajes típicos adotados pela população se inspiravam nas roupas da nobreza. Desse modo, o costume era que mesmo os camponeses mais simples vestissem as suas melhores roupas para o festejo.

Nesse sentido, com anáguas volumosas ideais para dançar quadrilha, os vestidos femininos então ganhavam mais movimento, estrutura e volume. Do mesmo modo, o traje masculino composto por camisa, calça e colete se inspirava naquele da nobreza.

 

Festa Junina em Art Naif de Lourdes de Deus.
Festa Junina em Art Naif de Lourdes de Deus. Fonte: Jornal Gnn.

 

Com o passo do tempo, foram surgindo diversas reinterpretações dos trajes típicos de Festa Junina.

Ao final do século XIX, por exemplo, as damas dançavam quadrilha com vestidos pouco rodados e muito compridos, com gola alta e cintura bem marcada. Ele era então complementado com botinas de salto.

Por sua vez, os cavalheiros vestiam colete, paletó alongados até o joelho com três botões, calças ajustadas e camisa de colarinho duro. Além disso, como acessórios, gravata de laço e botinas. Bem diferente do que vemos hoje em dia, não é?

 

Traje Típico Infantil de Festa Junina.
Traje Típico Infantil de Festa Junina. Crédito: Loja Cor e Sonho. Fonte: Elo7.

 

Por que os trajes típicos de Festa Junina são chamados de caipiras?

 

Quadrilha junina do estado de Sergipe, Brasil. 2010.
Quadrilha junina do estado de Sergipe, Brasil. 2010. Crédito: E-Sergipe. Fonte: Wikimedia commons.

 

Depois que as quadrilhas chegaram ao Brasil, a contradança foi estilizada. Além da capoeira dos escravos, o baile também recebeu influência e se misturou com elementos da polca e, posteriormente, do forró – afinal, a festa se tornou a queridinha do Nordeste.

Assim, com o tempo, a Festa Junina se tornou mais do que nada uma grande festa popular. O termo caipira, que também passou a designar quem participava do baile, significa pessoa do interior ou da roça. Muito difundido em São Paulo, ele pode ser usado para se referir aos trajes típidos de Festa Junina, também chamados de trajes caipira.

 

Menina com traje típico de Festa Junina.
Menina com traje típico de Festa Junina. Crédito Carla Savedra. Fonte: Instagram @carlasavedra.

 

Como a celebração se popularizou muito entre os camponeses, logo os sapatos de salto foram substituídos por sandálias simples de couro. Do mesmo modo, as pessoas então trocaram os tecidos caros pelas chitas. Além disso, o chapéu de palha se somou ao traje, sendo um item muito usado pelos trabalhadores do campo como proteção ao sol.

As mulheres então encurtaram os vestidos por conta do calor e da praticidade. Por sua vez, as calças masculinas eram remendadas por necessidade, ganhando, assim, uma cara nova. Afinal, a maior parte dos camponeses possuía poucas peças, tendo também que usá-las para trabalhar nas lavouras.

Como resultado, foi esse mix de criatividade e necessidade que deu origem aos trajes típicos de Festa Junina que vemos hoje em dia.

Acima de tudo, eles são cheios de cor e vida, como a própria comemoração!

 

 

Traje infantil típico de Festa Junina.
Traje infantil típico de Festa Junina. Crédito: Loja Brasil que Encanta. Fonte: Elo7

 

Em seguida, leia mais sobre estilo e trajes típicos:

 

Fontes: Super Interessante, Criartes, Jornal da Paraíba, Elevados, Wikipedia.

 

 

Lingeries para mulheres maduras: Helena Schargel lança linha 60+

Festa Junina, Anita Malfati.
Festa Junina, Anita Malfati.

Festa junina em Votorantim, 1925
Anos 60, em Blumenau -SC. Imagem: Werner Reimer
Senhor do Bonfim, em 1982 (Foto: Arquivo CORREIO)

Década de 1940

Confira uma Festa de São João no Grand Mercure Ibirapuera:

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes