Salvatore Ferragamo – A autobiografia do Sapateiro dos Sonhos é lançada em podcast

A autobiografia do famoso Sapateiro dos Sonhos, que foi ditada por ele no final dos anos 50 e depois transcrita em um livro, é agora recontada em um podcast disponível no Spotify, SoundCloud e Apple iTunes.

228

- Continue depois da Publicidade -

 

A Salvatore Ferragamo, uma das principais grifes de sapatos do mundo, acaba de lançar uma série de podcasts, que contam toda a trajetória de sucesso do fundador da grife. O lançamento em todas as principais plataformas digitais e antecede a estreia do filme, Salvatore, O sapateiro dos sonhos, no 77° festival de Veneza.

Agora, os fãs do famoso estilista poderão ouvir, assistir e ler a história de vida de Salvatore Ferragamo. Além da estreia do filme e dos podcasts, a editora Electa também irá republicar a autobiografia do sapateiro com uma nova capa para o livro.

- Continue depois da Publicidade -

Salvatore Ferragamo e molde de sapatos em madeira
Foto: Reprodução Pinterest

“A todos aqueles que devem caminhar” foi a dedicatória que Salvatore fez nas primeiras páginas de seu livro, e nós gostaríamos de fazer a mesma dedicatória a todos os ouvintes do podcast.”

- Continue depois da Publicidade -

Amigos da Ferragamo, atores e estrelas italianas de Hollywood, influenciadores, escritores e jornalistas de renome internacional, aceitaram o convite para ler um dos vinte e dois capítulos do livro.

Assim, alguns meses após o lançamento do TRIVIA nas mídias sociais,  um novo podcast chega para explorar cada momento menos conhecido de sua história e cada passo importante da sua carreira. Confira:

- Continue depois da Publicidade -

 

Biografia de Salvatore Ferragamo, conheça sua trajetória

- Continue depois da Publicidade -

 

Salvatore Ferragamo
Foto: Lilian Pacce

 

Salvatore Ferragamo foi  um designer italiano que trabalhou com muitas estrelas de Hollywood na década de 1920, antes de retornar à Itália para fundar a empresa, de mesmo nome, que fabricava calçados feitos à mão.

Assim, o italiano  com toda a sua criatividade gerou muitas inovações, como o salto em cunha e o salto gaiola, por exemplo.

Ainda hoje, estrelas de cinema e celebridades continuam a patrocinar sua empresa, que se transformou em um império de produtos de luxo em todo o mundo.

  • Apaixonada por sapatos? Veja nosso especial de Sapateira, com modelos e dicas de decoração para inspirar.

 

Nasce um sonhador

 

Foto; Reprodução

 

Ferragamo nasceu em 5 de Junho de 1898, em Bonito, uma vila rural em Florença, na Itália.

Salvatore fez o seu primeiro sapato aos 9 anos de idade. O futuro gênio da moda, se comoveu quando viu uma de suas irmãs chorar porque não tinha sapatos para ir a missa.  Assim, foi nesta ocasião que ele descobriu sua  paixão pelos sapatos e, desde então decidiu não parar mais.

Foi então que Ferragamo decidiu partir para Nápoles  a fim de estudar mais a fundo a arte da sapataria.  Assim, apenas com 11  anos de idade, ele se tornou aprendiz de sapateiro.

Ele estudou durante um ano e após este tempo,  voltou para a sua cidade natal e abriu uma pequena loja na casa dos seus pais.

Em 1914, mudou-se para Boston e convenceu seu irmão, que trabalhava em uma fábrica de botas, a se mudar para Santa Bárbara e depois para Hollywood, na Califórnia.

E assim, foi em Holywood que Ferragamo encontrou seu sucesso e se tornou popular entre as principais estrelas da época.

Em 1923, ele criou uma loja a, Hollywood Boot Shop, e calçou estrelas como  Marilyn Monroe, Sophia LorenCarmen Miranda e outras.

Em 1927, Salvatore Ferragamo voltou à sua terra natal. Durante este tempo, ele começou a confeccionar calçados para mulheres ricas e poderosas, como Eva Peron, Rainha de Cooch Behar (Bengala Ocidental), e muitas outras.

No mesmo ano, ele abriu uma oficina na Via Mannelli e começou a fazer experiências com design.

 

Década de 30 e 40: As maiores criações do talentoso sapateiro

 

No final da década de 30 e início da de 40 , Ferragamo começou uma de suas fases mais criativas. Assim, foi nesta época, no ano de 1938, que ele criou o salto em cunho de cortiça.

Neste mesmo ano, ele também  comprou um novo prédio, o Palazzo Spini Feroni,  e foi onde ele abriu sua loja  em Florença. Em seguida,  ele inaugurou outras lojas também em Londres e Roma, ainda no mesmo ano.

Em 1947, Salvatore Ferragamo ganhou o ‘Prêmio Neiman Marcus‘ por sua ‘Sandália Invisível’, que na época foi um fracasso, mas que hoje em dia mulheres do mundo todo usam.

 

Salvatore Ferragamo
Salto Cunha e sandália invisível
Sandália Arabesca 1944-1945 com salto em forma de F

 

Década de 50:  A marca expande seus negócios

 

Na década de 1950, o designer expandiu seu negócio empregando 700 artesãos profissionais que fabricavam mais de 340 pares de calçados por dia, todos feitos a mão.

Em 1951, durante seu primeiro desfile de moda italiana em Florença; A Ferragamo lançou a ‘Kimo’, uma sandália com meia intercambiável.

Três anos depois, Ferragamo projetou um de seus estilos mais icônicos; o sapato bailarina de camurça com alça, para a então,  famosa atriz de Hollywood, Audrey Hepburn. O sapato fez muito sucesso na época e acabou se tornando um clássico do guarda roupa feminino.

 

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

Salvatore Ferragamo
Salvatore e Audrey
Foto/ reprodução: Pinterest

 

Foto: Carroussel

 

Assim, em 1955, Ferragamo começou a desenhar lenços de seda, inspirados nos símbolos italianos. Dez anos depois, teve início a produção de bolsas e também a primeira coleção de roupas prontas, desenhadas por Giovanna Gentile Ferragamo.

A invenção mais conhecida de Ferragamo é a Cage Heel e suas criações inspiraram sua filha a seguir o mesmo caminho.  Em 1978, ela desenhou os scarpins Vara, famosos até hoje pelo seu look feminino, formal e elegante.

Mas, a filha de Ferragamo  não viveu para ver o sucesso da marca de seu pai e morreu em 1998. Antes da morte de sua filha mais velha, em 1995, um museu foi dedicado a seu trabalho e vida no Palazzo Spini Feroni, que foi comprado na década de 1930 pelo próprio Ferragamo.

Década de 60 e 70: Morre um gênio do designer

 

Em 1960, Salvatore Ferragamo morreu com 62 anos.  Assim, foi sua esposa, Wanda Ferragamo Miletti,  quem assumiu a empresa.

O sonho de Salvatore Ferragamo era produzir os sapatos perfeitos, mas ele só  se deu conta disso  em seu leito de morte. Então, foi sua família quem ficou responsável por cumprir essa visão. Desse modo, eles  transformaram a empresa na casa de moda ideal assim como era o sonho de Salvatore.

Em resumo,  o seu desejo incluía duas coisas:  em primeiro lugar ele queria que seus filhos fizessem parte de seus negócios.  Em segundo lugar, seu maior desejo era fabricar outros produtos além de sapatos.

Por isso, sua esposa, filhos, netos e outros parentes dirigem a empresa até hoje, e se esforçam para manter a qualidade que Ferragamo um dia sonhou alcançar.

Desse modo, foi assim que sua família conseguiu realizar o seu sonho. A partir da década de 60, a marca se expandiu ainda mais e começou a produzir outros produtos além de sapatos. Além disso, a empresa começou a ser conhecida no mundo todo, mas dessa vez não só pelos sapatos.

Agora, além de calçados a marca italiana também começou a produzir design de óculos, acessórios, bolsas, perfumes, relógios e roupas.

Década de 70

Seis anos após a sua morte, a já então famosa marca, desenhou uma bota de veludo para uma das principais estrelas da década; a francesa Brigitte Bardot.

 

Salvatore Ferragamo
Bota desenhada por Salvatore para Brigite Bardot
Foto: Classe C se diverte

 

No ano seguinte, em 1967, o filho de Ferragamo, Fiammi Di Dan Guiliano, recebeu o ‘Prêmio Neiman Marcus’, assim como seu pai, vinte anos antes.

Até então, a empresa só produzia roupas femininas. Mas, em 1970,  a marca resolveu inovar e então, começou a produzir roupas masculinas.

Em 1978, Fiamma Di San Giuliano Ferragamo desenhou o icônico sapato vara.

 

Década de 90 em diante

 

Em 1995, foi inaugurado o museu Salvatore Ferragamo, dedicado ao calçado e à história da empresa.

No ano seguinte, a empresa desenhou sapatos para Madonna no filme de Alan Parker, Evita Peron.

Madonna no filme Evita Peron
Foto/ Reprodução: Pinterest

 

Em 1998, a empresa iniciou uma linha de óculos e três anos depois, em 2001,  quando o primeiro perfume foi lançado.

Em 2004, foi lançado um serviço sob medida para calçados masculinos. Dois anos depois, em 2006, a empresa recebeu o ‘Prêmio Rodeo Drive Walk of Style’.

 

 O legado de Salvatore Ferragamo

 

Salvatore Ferragamo, sem dúvida, foi um grande sucesso. Sua lista de clientes incluía  Audrey Hepburn ,  Sophia Loren , a Duquesa de Windsor e Eva Peron. Conhecido por trabalhar com materiais inusitados, seu uso de ráfia, renda, celofane e pele de peixe criou calçados revolucionários.  Ele instigou novas formas e materiais, incluindo o sapato plataforma em 1938 e a cunha de cortiça em 1942.

Embora tenham se passado quase 60 anos desde sua morte, a empresa que ele fundou conseguiu manter muito de seu brilho.

A filha de Salvatore, Fiamma, supervisionou a empresa por quase quarenta anos, e ganhou o Prêmio Neiman Marcus junto com elogios por seus designs como o Vara.

O gênio de Salvatore vive de maneiras mais relevantes do que muitas vezes podemos perceber. Basta olhar para as botas pontudas que Rei Kawakubo projetou para sua coleção SS15 Comme de Garçons.

Estas botas foram inspiradas nos calçados DIY de dançarinas guarachero mexicanas, e se  parecem muito com às que Ferragamo criou há quase cem anos para o filme de Raoul Walsh de 1924, O Ladrão de Bagdá .

 

Cópia de 1985 de 1924 Thief of Baghdad Boot
Salvatore Ferragamo
1938 Rainbow Wedge Sandal, Foto: The Met

 

Mais do que um gênio, Salvatore Ferragamo acreditava em seus sonhos

Historiadores da moda e fãs costumam contextualizar a carreira brilhante e inovadora de Salvatore Ferragamo com o mito da Cinderela. Mas, o impacto de Ferragamo na indústria de calçados tem menos a ver com um conto de fadas e mais com a obsessão que caracteriza  grandes artistas.

Mas sua vida não pode ser explicada apenas em termos de seu talento e sua criatividade”, assim a esposa de Ferragamo, Wanda, escreve em Walking Dreams: Salvatore Ferragamo, 1898-1960 : “… muitas foram as forças que o estimularam: o perfeccionismo do artesão, que se recusa a aceitar menos do que um trabalho bem feito; a paixão pelo seu ofício, uma dedicação que transformava um ofício em arte, por mais humilde que fosse o trabalho; e sua previsão. ”

 

Frase famosas de Ferragamo

“Elegância e conforto não são incompatíveis, e quem afirma o contrário simplesmente não sabe do que está falando”

( Salvatore Ferragamo, Victoria and Albert Museum (1987). “Salvatore Ferragamo, a arte do calçado, 1927-1960”)

“Não há limite para a beleza, nem ponto de saturação no design, nem fim para o material.”

“Sou abençoado ou amaldiçoado, dependendo de como você encara as coisas, com um espírito incuravelmente inquieto e a capacidade de trabalhar duro.”

“A Índia será amanhã o que a China é hoje.”

“Graças a um início precoce, estamos em boa posição – e temos que garantir que a mantemos, … No topo do mercado, eles apreciam especialmente coisas que não são feitas na China. E somos 100% fabricados na Itália.”

 

Por fim, leia também sobre Coco Chanel, outra estilista famosa que também revolucionou a moda. Além de História e Cultura de Moda, porque estudar?

Fontes: Heroine e Carroussel

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também