Richarlyson, Globo, Globo Esporte

Aos 39 anos, apresentador da Globo se assume bissexual: “Tenho desejos e vontades”

Um dos mais recentes contratados da Globo deu uma entrevista onde falou abertamente sobre sua condição sexual e o preconceito

Como já diz a letra da música de Caetano Veloso, “Luz de Tieta”: “Todo mundo quer saber com quem você se deita/Nada pode prosperar”. Todavia é preciso falar sempre sobre , discriminação e preconceito. E pensando nisso, o ex-jogador de , Richarlyson Barbosa voltou a comentar sobre sua condição sexual.

Caso você não saiba, desde janeiro desse ano, Richarlyson faz parte do quadro de contratados da . O ex-jogador de futebol, participa do comando do “Globo São Paulo”, ao lado de Felipe Andreoli. Além disso, Richarlyson também comenta algumas partidas de futebol na emissora.

Aliás, foi dentro da edição do “Globo Esporte” (SP), dessa sexta-feira, 24 que o apresentador divulgou a que deu ao podcast “Nos Armários do Vestiários”. O projeto foi desenvolvido a fim de contribuir ao combate do machismo no futebol.

Vem saber o que o ex-jogador falou sobre sua sexualidade.

Richarlyson abre o jogo sobre sua sexualidade

Richarlyson, Globo, Globo Esporte
Richarlyson faz parte do time da Globo, desde janeiro desse ano. Na imagem ele está ao lado de Karine Alves. Fonte: Reprodução/Globo

De fato, Richarlyson Barbosa tem uma carreira de sucesso no mundo do futebol. Como jogador, ele atuou em clubes como São Paulo, Atlético Mineiro e Vitória, além de disputar algumas partidas pela Seleção Brasileira, em 2008.

Contudo, em 2007, um dos dirigentes do Palmeiras começou a especular a sexualidade do jogador. Na época o jogador registrou uma queixa-crime contra o homem. No entanto, o juiz responsável pelo caso alegou que: “não seria razoável aceitar homossexuais no futebol brasileiro porque prejudicaria o pensamento da equipe”.

Ainda em reflexos a esse caso do passado, Richarlyson fala abertamente sobre sua sexualidade.

“A vida inteira me perguntaram se sou gay. Eu já me relacionei com homem e já me relacionei com mulher também. Cara, eu sou normal, eu tenho vontades e desejos. Vai fazer o quê? Nada. O mais importante não vai mudar, que é a questão da homofobia. Infelizmente, o mundo não está preparado para ter essa discussão e lidar com naturalidade com isso”.

Apesar dessa sua exposição, Richarlyson afirma que deseja que as pessoas o reconheça por sua carreira no esporte.

Combate ao preconceito

Richarlyson, Globo, Globo Esporte
Richarlyson e Felipe Andreoli comentaram a entrevista ao podcast do ex-jogador. Fonte: Reprodução/Globo

Ainda durante sua participação no podcast, o contratado da Globo acredita que o preconceito com o público LGBTQI+ dentro do futebol está longe de terminar.

De acordo com as falas de Richarlyson, o que pode ajudar na luta contra a homofobia no futebol e ter a participação de jogadores mais atuantes na causa.

“Os próprios jogadores têm que se posicionar melhor sobre a situação, especialmente os héteros. Não é questão de vestir a camisa com um arco-íris. É, quando acontecer essa situação de homofobia, sair de campo. ‘Espera aí, a torcida não está respeitando o meu companheiro ou meu adversário como ser humano? Então eu não vou voltar a jogar'”- afirma o apresentador da Globo.

Contudo, Richarlyson lembra que existe “uma força” muito grande dentro do futebol que “alimenta” todo esse tipo de preconceito dentro do esporte.

“Eu tenho amigos e ex-companheiros de profissão que realmente tiveram momentos difíceis na sua carreira por querer ser aquela pessoa que ele queria ser, mas era reprimido pelos seus clubes e até pela sua torcida. […] Nunca coloquei a minha sexualidade à frente do meu trabalho, nunca faria isso”– lembrou o ex-jogador.

Antes de integrar o time da Globo, Richarlyson, participou de dois programas na Record TV, o “Dancing Brasil”, em 2017 e o “Made In Japão” em 2020.

“Vamos naturalizar”

Por fim, na edição dessa sexta-feira, 24 dentro do Globo Esporte SP, Richarlyson, falou sobre sua participação no pdcast.

“De fato, o podcast tá muito legal, e a pauta é muito importante, homofobia no futebol. Vamos naturalizar isso [a presença de pessoas de diferentes orientações sexuais no esporte]. Eu tô aqui muito mais pra falar sobre esporte, que é uma coisa inclusiva”.

Veja como o tema foi debatido no EsporTV


Stories

Matérias Similares