Sander Mecca, ex-Twister, fala da abuso sexual e banheira do Gugu

Sander Mecca, ex-Twister, fala da abuso sexual e banheira do Gugu: “não podia, né?”

Assim como diz a jornalista Fabíola Reipert, da Record TV, “o mundo dos famosos é um pântano”. Então, o cantor Sander Mecca falou sobre sua experiência traumática no auge da adolescência e do sucesso, integrando o grupo Twister.

O cantor afirmou que foi preciso ter relações sexu@is a fim de assinar o contrato com o grupo, quando ele tinha apenas 17 anos. Além disso, quando tinha apenas 13 anos, Sander teve que entrar na Banheira do Gugu e pegar sabonetes com Luiza Ambiel.

Como resultado  de toda essa pressão do sucesso e abusos, o cantor se viciou em drogas. Sander Mecca já foi internado diversas vezes em clínicas de reabilitação nesses últimos 20 anos de tratamento.

Na entrevista com Rafinha Bastos, Sander revela que “está limpo há 70 dias” e que, da última vez que se internou, ficou na clínica por 45 dias. Em seguida, você sabe mais sobre essa história.

 

 

“Fui preso como traficante”

 

Sander Mecca teve problemas com drogas logo após o fim do grupo e chegou a ser preso. Fonte: YouTube

 

No início dos anos 2000, Sander Mecca foi preso após ser pego em um bar com uma quantidade de êxtase, LDS e cocaína. “Fui condenado como traficante, com quatro anos e meio de prisão”. Na entrevista com Rafinha Bastos, Sander revela que se viciou em cocaína na cadeia.

Todos esse anos usando drogas trouxeram sequelas ao cantor.

 

“A minha saúde está melhor, porém, eu descobri uma leucoplasia na voz. Meu otorrino [médico] falou que se eu não parasse de usar drogas eu ia ficar com câncer na laringe. Meu estômago é um queijo suíço, meu pulmão, um pouquinho… Tenho lesões cerebrais, que eu não estou precisando mais de remédios para evitar convulsões. Virei convulsivo”, afirmou Sander.

 

Ainda sobre a recuperação, Sander tem consciência de que sua doença não tem cura.

 

“Estou limpo há 70 dias e muito feliz em estar sóbrio. A última internação que eu tive, agora recente, me internei por 45 dias. O que mais tem me ajudando a me manter limpo é que eu vou todos os dias em reuniões de dependentes químicos. Minha doença não tem cura, eu tenho que aceitar. Então, evito lugares e situações de risco”, afirmou o ex-integrante do Twister.

 

 

“Um velho de 60 anos”

 

Sander contou a Rafinha Bastos que sofreu assédio de uma das pessoas que cuidava da banda. Fonte: YouTube

 

Ao mesmo tempo, Sander Mecca contou que nos anos 2000, uma pessoa próxima da banda o assediou em troca de renovar o seu contrato e obter mais destaque no grupo.

 

“Só faltava cada um assinar. Aí o cara pega, chega com os cinco contratos, todos assinados, menos o meu. Bateu na minha porta e falou ‘chegou a hora de pagar o preço. Você quer ser o líder da banda ou quer assistir o sucesso dela pela televisão?

Eu falei ‘é isso mesmo? Eu estou aqui desde o começo e é isso? Está bom, beleza, quero camisinha, whisky, cocaín@, filme porn0 e vou plantar o nabo aí’. Aí foi isso. Eu não tinha transado ainda. No dia seguinte eu falei que queria ir num puteir0. Um velho de 60 anos”, contou Sander Mecca a Rafinha Bastos.

 

 

 

Banheira do Gugu

 

Por fim, ainda sobre abuso, o cantor disse para Rafinha que aos treze anos foi convidado a participar da Banheira do Gugu, no SBT: “Foi, infelizmente não tem registro disso. Acho que não podia, né? Acho que hoje pegaria um pouco mal”.

 

 

Perda do filho

 

Sander Mecca e a namorada Adriana perderam o filho. Fonte: Instagram

 

Nessa sexta-feira, 15, Sander e sua namorada, Adriana Rodrigues, revelaram aos seguidores nas redes sociais que perderam o bebê que estavam esperando. Adriana sofreu um aborto espontâneo.

A namorada de Sander divulgou uma carta para exprimir a dor que estava sentido: “Infelizmente, logo depois de ajeitar tudinho, você preferiu partir. Seu coraçãozinho que batia tão forte parou… Um silêncio ensurdecedor tomou conta da minha alma.”

Rafinha BastosSander Meca abuso sexualSander MeccaSander Mecca prisãoSander Mecca TwisterTwister