Ouvimos falar de assassinos em série, estupradores em série e até ladrões em série. Mas o termo clandestinos em série não parecia muito familiar para nós… até agora. A culpa é de Marilyn Hartman, uma americana de 69 anos que entra e sai da prisão há anos por uma característica peculiar: ela voa (ou pelo menos tenta) sem passagem.

Embora Marilyn Hartman tenha se tornado uma heroína para os fãs de viagens, a verdade é que a Justiça americana pensa o contrário.

Essa mulher de 69 anos foi presa depois que se descobriu que ela havia viajado 30 vezes ao redor do mundo sem nunca pagar pela passagem.


Tudo começou em 2014…


Marilyn Hartman


Esta mulher apareceu pela primeira vez na mídia depois de ser pega voando sem passagem entre Los Angeles e San Jose em agosto de 2014.

Ela foi presa e sentenciada à liberdade condicional naquele mesmo dia em um julgamento rápido, mas foi presa no dia seguinte. Novamente no aeroporto de Los Angeles quando pretendia voar de graça novamente.

Hartman foi presa no Aeroporto Internacional O’Hare de Chicago na última terça-feira depois que a pulseira eletrônica que havia sido fixada nela “alertou” onde ela estava.


Você também pode gostar!

Marilyn Hartman em 2021


O coronavírus fez com que Marilyn Hartman fosse transferida para um centro de saúde mental em 2020, onde ela estava internada até agora.

No entanto, esta semana os alarmes dispararam depois que o dispositivo eletrônico que ela usa colocado em seu tornozelo detectou que ela havia saído daquele centro e estava voltando para o aeroporto de Chicago, onde foi parada ao entrar no Terminal 1.



Após esta situação, a mulher foi presa novamente e será levada para a prisão do Condado de Cook.

Ela tem um longo histórico de chamar atenção de diferentes aeroportos do mundo por não possuir passagem ou passaporte. Entre elas estão as cidades de Los Angeles, Phoenix, Flórida, Londres e Paris.