Globo soma prejuízo de R$ 144 milhões em primeiro semestre de 2021

Globo soma prejuízo de R$ 144 milhões em primeiro semestre de 2021: “paciência e cuidados”

Em agosto de 2019, a Globo inaugurou um de seus maiores investimentos dos últimos anos: o MG4. Trata-se de um conjunto de 13 novos estúdios totalmente projetados para gravarem conteúdos nos formatos 4K e 4K HDR.

Mas, com a pandemia, poucas produções usaram esse complexo ultramoderno até agora. Ou seja, a emissora ainda não viu esse investimento se converter em lucro para seu caixa. No entanto, as metas e os projetos de uso para essa estrutura ainda estão em curso.

Enquanto isso, os relatórios do fluxo do caixa da Globo ainda não mostram o esperado pelos executivos do canal. De acordo com uma matéria publicada no jornal “Valor Econômico” e pelo colunista Guilherme Ravache, do UOL, o prejuízo ainda é grande para a família Marinho.

Isso porque as interrupções das gravações de vários projetos, bem como o encarecimento para suas retomadas, demandaram mais retirada do caixa. Além disso, para não ficar para trás, a Globo teve que investir na compra se séries internacionais. Ao mesmo tempo, precisou adquirir direitos de campeonatos esportivos, como o futebol.

Vem saber mais detalhes sobre esse balanço do primeiro semestre de 2021 da maior emissora do Brasil.

 

 

Sem tantas estrelas

 

Globo abriu mão de grandes artistas devido a nova realidade do mercado audiovisual. Fonte: Instagram

 

Nos anos 90, o “Padrão Globo de Qualidade” era um selo que a emissora da família Marinho carregava com orgulho. Tudo de melhor estava concentrado no canal. Os melhores atores, filmes, jogos de futebol, apresentadores, novelas, séries e transmissões especiais, como o Carnaval.

De fato, a qualidade técnica da Globo, quanto imagem e som, ainda continua impecável. No entanto, o jeito de “vender televisão” já não é mais o mesmo. Afinal, com a chegada das operadoras de streaming, tudo mudou de figura.

A fim de entrar na disputa, a Globo criou sua própria marca de streaming, Globoplay. E, de alguns anos para cá, vem buscando maneiras de converter seus assinantes de TV a Cabo para a nova modalidade de conteúdo audiovisual.

Dessa forma, o grupo teve que investir pesado em séries e compras de campeonatos exclusivos para revender aos seus clientes. Assim, a Globo teve que desembolsar R$ 503 milhões só na área esportiva.

 

“Custos e despesas foram 36% superiores ao primeiro semestre de 2020, impactados pelo retorno de eventos esportivos ao vivo e pela amortização de direitos esportivos, devido ao grande reescalonamento de jogos que afetou todas as competições do futebol brasileiro no ano de 2021”, aponta o relatório.

 

 

Salários das estrelas

 

Em agosto de 2019, a Globo inaugurou o MG4. No entanto, ainda não está usando o investimento em sua total capacidade. Fonte: Divulgação/Globo

 

Desde meados de 2019, a Globo vem enxugando seu departamento artístico. O novo modelo de contratação da casa não mantém suas estrelas reféns de contratos longos e salários estelares. Assim sendo, a nova política da empresa é: trabalhou, recebeu.

Dessa forma, a Globo teve que abrir mão de grandes nomes casa. Isso inclui, aliás, seus medalhões como Renato Aragão, Antônio Fagundes, Vera Fisher e Glória Menezes. Recentemente, Faustão, Tiago Leifert, Lázaro Ramos e Ingrid Guimarães também se despediram da empresa.

Com todo esse corte, a Globo eliminou da sua folha de pagamento mais de R$ 281 milhões em salários. No entanto, romper contratos também gera custos. Então, o relatório aponta um “aumento de 48 milhões nas despesas pessoais explicado principalmente por indenizações e também por reajustes salariais anuais do sindicato trabalhista em acordos coletivos de trabalho.”

 

  • E mais: Grazi Massafera, prestes a deixar a Globo, entra na mira da Netflix: “nova Dona Beija”

 

Crescimento de receita

 

Globo fecha primeiro semestre de 2021 com prejuízo milionário. Fonte: Reprodução/ Globo

 

De acordo com a matéria do UOL, “no primeiro semestre de 2021, a Receita Líquida da Globo cresceu 17% (ou R$ 948 milhões) em relação ao mesmo período de 2020, totalizando R$ 6,451 bilhões.”

Mas os executivos da casa avaliam que o custo de produção ainda deve pesar um pouco. Afinal, há gastos gerados pelas novas regras da empresa, devido à pandemia.

Contudo, a diretoria da casa avalia que os custos fazem parte da restauração da empresa. Então, os investimentos caminham lado a lado com a modernização do negócio audiovisual.

 

“Temos uma estratégia de negócios clara, sólida situação econômico-financeira, competência, qualidade, comprometimento e dedicação de todos os colaboradores.

Mesmo diante de bons resultados, sabemos que a pandemia deve nos acompanhar por mais um tempo, o que deve demandar ainda paciência e cuidados especiais para a retomada do ritmo normal de produções.

Enquanto isso, continuaremos mantendo o foco na saúde e segurança dos colaboradores com total prioridade”, afirma Manuel Belmar, diretor-geral de Finanças da Globo.

 

Por fim, para os próximos meses, a Globo tem a expectativa de aumentar seu caixa com a chegada do BBB 22, bem como a grande aposta do canal, o remake de Pantanal.

 

  • Enfim, confira: Globo comete gafe, esquece de Huck e coloca “Domingão do Faustão” no ar: “foi um protesto”
balanço Globo 2021FaustãogloboGloboplay