maquiagem

História da maquiagem: como surgiu e a evolução do Egito Antigo aos dias atuais

A maquiagem é um elemento que faz parte da história e da cultura humana desde as civilizações mais antigas, veja mais

Compartilhe

Desde o começo, a maquiagem é uma forma que a sociedade achou para se expressar e se diferenciar, assim, surgiu há milhares de anos e se modificou ao longo do tempo. Então, veja a evolução dos produtos e entenda quais são as atuais tendências de make.

A origem da maquiagem

O ato de pintar o rosto é bem antigo e as primeiras provas disso são os desenhos egípcios onde os olhos sempre estavam delineados. Dessa forma, esse é o registro número um que se tem na história.

Antigo Egito

Muitos povos reivindicam essa invenção, mas o que se pode provar até hoje veio por meio dos papiros. Por isso, até o momento, a população egípcia é considerada a grande inventora dessa arte.

Os indícios mais antigos são de cerca de 3000 anos antes de Cristo e o produto que se usava na época era o Kohl. Assim, nessa época a grande moda era ressaltar os olhos com desenhos e contornos.

Homens e mulheres usavam o item e cada forma representava algo único para a sua cultura. Então, passou a ser uma forma de comunicação, onde dava para identificar cargos políticos, por exemplo. Portanto, misturavam pigmentos em várias cores como:

  • Branco;
  • Vermelho;
  • Preto;
  • Azul;
  • Verde;
  • Amarelo.

Eles eram manipulados e tinham em sua composição muitas substâncias que são usadas até hoje. Mas, também possuíam outras que foram consideradas nocivas à saúde ao longo do tempo, como o chumbo, por exemplo. 

pós de cores rosa e roxo espalhados em cima de uma base preta
Legenda: A maquiagem sempre foi uma forma de se expressar. Imagem de Racool_studio no Freepik.

Kohl foi o precursor da maquiagem?

O Kohl ou kajal foi a primeira maquiagem, na cor preta e ainda hoje está presente em itens como sombra e lápis. Isso porque, é ideal para sublinhar e contornar os olhos, além de conseguir escurecer cílios e sobrancelhas. Assim, é usado em regiões como:

  • África – quase todas as partes do continente;
  • Oriente Médio;
  • Islã.

Ele serve para fabricar produtos de beleza de vários tipos, isso porque, consegue uma cor escura e tem um baixo custo, além de ser fácil de fazer. Por isso, o produto pode ser preparado de diferentes modos de acordo com a tradição do país e da cultura de cada região.

Para mudar o tom e melhorar a sua eficácia, muitas vezes usa-se óleos que ajudam a tonalizar e dar mais durabilidade. Mas, há uma discussão sobre se o produto contém ou não substâncias tóxicas como chumbo. 

Maquiagens eram usadas com frequência na Antiga Grécia e Roma?

Na Europa, tanto a Grécia como a Roma Antiga foram as precursoras da prática. No entanto, elas tinham objetivos diferentes dos egípcios, já que na Grécia por exemplo, a maquiagem era uma ciência similar à medicina e deviam preservar o físico.

Para essa finalidade usava-se muito gesso e cal para manter a brancura da pele. Mas, as bochechas eram rosadas, os olhos maquiados com cinzas ou açafrão para realçar a sua cor e os cílios reforçados.

Homens e mulheres faziam uso da make

O culto à beleza era algo comum a toda a sociedade, por isso, tanto homens quanto mulheres buscavam atingir um nível de excelência. Dessa forma, o grande intuito de todos era se manter belo e ressaltar o corpo. Por isso, não havia diferença de sexo na hora de usar os produtos.

A Roma também tinha um pensamento similar ao da Grécia Antiga e achava que ressaltar os pontos positivos era importante. No entanto, o conceito mudou anos depois com a chegada da religião e de suas novas imposições.

Vídeo falando sobre as makes femininas ao longo da história

Uso da maquiagem após a queda do Império Romano

Após a queda do Império Romano, no século V D.C., o uso de produtos de beleza foi abandonado por boa parte da Europa. Então, eles tiveram uma pausa em sua evolução já que sua utilização era muito criticada.

Domínio religioso

Na Idade Média, a maquiagem começou a sofrer preconceito por conta do novo pensamento religioso. Isso porque, a ideia de vaidade passou a ser condenada como um pecado e o uso de qualquer item para se embelezar como algo negativo.

Esse pensamento se espalhou junto com o cristianismo e conseguiu inibir boa parte da população. Por isso, foi um período onde conseguir produtos de beleza ou utilizá-los passou a ser ofensivo, já que quem o fazia eram tidas como pessoas de má índole.

O século XV deu uma guinada no uso de maquiagens?

Este século chegou com algumas revoluções, porque as populações cresciam cada vez mais e as monarquias gostavam de exaltar a beleza. Dessa forma, o uso desses produtos se tornou cada vez mais popular.

O que mais se usava era de arroz, para manter a pele pálida e pomadas coloridas que serviam para pintar lábios e também rosar bochechas. Portanto, o resultado era um rosto bem branco, com alguns detalhes rosados.

Nessa época era um símbolo de masculinidade se arrumar para fotos e aparições públicas. Isso porque, tudo custava muito caro, por causa de sua produção escassa, então, só quem tinha muito dinheiro podia comprar e usar.

Países Europeus fabricantes de produtos de beleza

A maquiagem começou a tomar força no século XV porque a Itália e a França passaram a fabricar. Assim, suas capitais se tornaram polos de venda de produtos e passaram a distribuí-las por toda a Europa.

Nessa mesma época, a África e a Ásia também tinham pigmentos interessantes, que eram mais baratos e evoluíram com as suas culturas. No entanto, a sua distribuição para o outro continente era difícil e mal vista para a economia local.

A maquiagem foi um símbolo de privilégio?

No início do século XV apenas o alto escalão da sociedade tinha dinheiro e condição de se maquiar. Dessa forma, quem tinha acesso e direito a esse uso no geral eram quem tinha mais poder e dinheiro como:

  • Reis;
  • Cortesãos;
  • Príncipes;
  • Aristocratas.

É comum ver hoje as pinturas feitas em museus de pessoas importantes dessa época com o rosto bem branco e os lábios rosados. Isso porque, quanto mais maquiados eles se mostravam, maior a quantidade de produto usado e mais rico seriam.

O intuito era ressaltar a beleza da época, por isso a palidez era crucial, porque mostrava que não tomava sol com trabalho braçal. Além disso, a boca e as bochechas precisavam estar vermelhos como símbolo de que comiam bem.

Muitas pessoas também usavam a maquiagem para fazer pintas ou outros detalhes que os tornavam únicos. Portanto, quando eram vistos pelos outros era possível identificar em pouco tempo a pessoa.

Principais produtos usados na antiga Europa

Nessa época de fato o grande produto era o de arroz, que era usado em excesso no rosto. Mas, ao longo do tempo outros elementos foram ganhando destaque e deixando a pintura ainda mais exagerada.

imagem de um pó translúcido meio craquelado
Legenda: O pó era o elemento de maquiagem mais usado na Europa. Imagem de Freepik.

O uso da maquiagem no século XVIII

No século XVIII enfim os itens começaram a se tornar mais baratos e o preconceito que a religião tinha imposto começou a diminuir. Dessa forma, a make passou a se tornar popular entre as pessoas de vários reinos.

O forte comércio com o Mar Mediterrâneo ajudou a ter mais opções de pigmentos por um bom preço. Assim, pequenas fábricas começaram a surgir por grande parte da Europa. No entanto, não foram todos os locais que aceitaram bem a nova moda. 

Preconceito americano e inglês

Na Inglaterra o uso dos produtos era bem condenado porque as mulheres eram mais conservadoras. Por isso, quem utilizava era mal vista pela sociedade que julgava ainda como errada essa atitude.

Esse preconceito foi levado para os Estados Unidos onde o uso de maquiagem também era considerado ruim. Então, o uso só se tornou mais comum depois da década de 1920 e ficou bem popular entre as pessoas, por causa do cinema e dos artistas.

O pensamento conservador sobre o uso de make

A Inglaterra não é o país mais religioso da Europa, mas, devido à monarquia ao longo de gerações, se manteve conservadora nas suas regras. Dessa forma, o uso de ou batom ainda era algo restrito ao poder e a ideia da burguesia utilizar não foi aceita no início.

Principais produtos de maquiagem usados na antiguidade

Os produtos usados antes do século XX eram bem limitados e não tinham tantas opções de cores e estilos. Além disso, costumam se diferenciar pela tonalidade, mas era comum se aplicar o mesmo item para várias partes, veja os principais a seguir.

1- Sombra

A sombra surgiu já com os egípcios muito antes de Cristo e se manteve ao longo do tempo, com uso menor na Idade Média. Assim, era um escuro que servia para destacar os olhos. Por isso, na época era feita com uma mistura de mineral com carvão e cinza.

2- Batom

Os primeiros batons eram uma maquiagem bem diferente da que existe hoje em dia. Isso porque, parecia uma pasta, que nem sempre ficava homogêneo e era feito com ingredientes comuns da época como:

  • Chifre de veado moído;
  • Salitre;
  • Mel;
  • Papa de cevada.

Ele não nasceu para embelezar, mas sim como uma forma para hidratar os lábios. Dessa forma, ficavam protegidos quando estava muito calor ou muito frio nessas mesmas regiões.

3- Rouge

Essa era uma tintura obtida a partir de raízes que formavam uma tinta rosa ou vermelha. Assim, ela existe pelo menos desde a Grécia Antiga e é um dos itens mais populares.

Tons usados na maquiagem primitiva

Mesmo que os registros mais comuns sejam branco e rosa, muitas civilizações já lidavam com cores bem diferentes das comuns. Então, no geral, eram tons usados em ocasiões específicas ou de civilizações mais distantes da moda como a África e a Ásia.

Verde

O verde era um tom muito ousado para a maioria da sociedade. No entanto, era bem comum em regiões fora da Europa. Portanto, para conseguir o tom era por meio de um minério de cobre com a mesma cor.

Vermelho

O vermelho era uma das cores mais proibidas e até hoje é um grande tabu em alguns lugares. Isso porque, dá um grande destaque e já foi definida de forma pejorativa por muito tempo. Mas, para se obter, era a partir de rochas que tinham óxido de ferro moídas.

Amarelo

O amarelo na maquiagem vinha da argila e era uma mais uma fase para chegar ao branco ou ao rosa. No entanto, na África era uma das cores mais desejadas e era muito usada em várias regiões.

Preto

A cor é a primeira que surgiu e sempre teve muita força para realizar contornos. Mas, ao longo da Idade Média tornou- se pouco comum, já que o principal era ter um rosto mais pálido. Então, era obtida a partir de carvão e cinzas, por exemplo.

Uso de produtos tóxicos

Boa parte dos produtos dessa época usavam em sua fórmula componentes tóxicos e que faziam mal para a pele. Dessa forma, contaminou muitas pessoas no início de sua história.

A maquiagem se popularizou em 1920?

Nos anos de 1920 a maquiagem voltou a se tornar algo positivo e comum. Isso porque, todo o contexto histórico fez com que ela se ligasse à ideia de glamour e os pontos tidos como femininos da época. 

Ela servia para deixar as mulheres parecidas com bonecas de porcelana, com bocas pequenas e olhos marcantes. Dessa forma, as sobrancelhas eram bem finas e o de arroz ainda era um grande aliado para deixar o rosto pálido.

Seus pontos coloridos do rosto vinham com o rouge bem avermelhado nas maçãs do rosto e do batom. Além disso, sombras escuras para destacar o seu olhar também eram bem vindas no look. 

O poder do cinema nesse processo

Um grande aliado da beleza nesse período foi o cinema, que popularizou o uso de produtos por conta de suas estrelas. Por isso, quem as assistia queria reproduzir o mesmo visual e começou a usar os itens.

Com o passar do tempo essa tendência se firmou com várias atrizes como inspiração de estilo. Assim, alguns grandes ícones surgiram como Marilyn Monroe, Bette Davis e Audrey Hepburn e até hoje as estrelas influenciam os estilos.

Vídeo falando sobre a evolução da maquiagem

Quais as tendências de maquiagem na década de 1930?

Nos anos de 1930 as cores passaram a figurar entre os principais destaques para quem passava maquiagem. Então, novos tons começaram a surgir em cada um dos produtos do mercado, como:

  • Bases faciais;
  • Pós;
  • Cílios postiços;
  • Sombras.

As sobrancelhas arqueadas, com um tom sensual, se tornaram um marco. Mas, os traços gerais ficaram mais suaves e delicados, mais parecidos com a realidade. Além disso, ela começou a ser mais pontual.

Como as telas ainda eram em preto e branco, era bom destacar os rosto em pontos que se evidenciam. Dessa forma, os principais locais eram os olhos e a boca, com o intuito de uma forma natural.

Principais ícones da época

Nessa década, as atrizes que mais se destacavam eram Bette Davis, Ann Dvorak e Joan Crawford. No entanto, vários outros nomes se destacaram e trouxeram a sua beleza para as telas de cinema.

Elas eram grandes artistas e ainda se mostravam como influentes na moda e na posição das mulheres na sociedade. Assim, os produtos  se tornaram uma ferramenta muito forte para as pessoas se expressarem.

Uso da maquiagem nos anos 40

Na década de 40 a Segunda Guerra Mundial começou e mudou todo o mundo. Por isso, em meio a tanta tristeza e luta, o visual se tornou mais natural, com poucos tons ao longo do seu rosto.

O visual era marcado por cílios compridos, com batons claros e os olhos marcados de modo bem delicado. Dessa forma, se aplicava o lápis na cor marrom apenas na parte de cima dos olhos. 

Um outro ponto é que o blush ganha nova forma de aplicação nesse período e deixa de ser circular. Então, os pincéis de maquiagem  são usados para arrastá-la pela têmpora e deixar uma região mais específica marcada no rosto.

O impacto da Segunda Guerra Mundial

A Guerra Mundial prejudicou muito a indústria de cosméticos. Isso porque, os produtos para maquiagem ficaram escassos e em alguns países as fábricas chegaram a fechar. Por isso, o preço dos produtos aumentou muito. 

Nessa época as mulheres começaram também a ocupar o mercado de trabalho e queriam se sentir femininas. Assim, um dos principais itens que se destacaram eram os batons vermelhos que eram símbolos de patriotismo e do feminismo.

mulher com cabelo preso, usando vestido azul de bolinha, batom vermelho, sorrindo e segurando um pincel de make nas mãos
Legenda: A maquiagem foi muito importante no empoderamento feminino. Imagem de cookie_studio no Freepik.

As principais tendências de make nos anos 50

Na década de 50 a Guerra tinha acabado e o clima no mundo era de novidades e esperança. Por isso, muitas marcas famosas começaram a trabalhar, com o intuito de elevar a auto-estima das mulheres.

Ela popularizou as Pin-Ups que se tornaram ícones de beleza do período. Isso porque, eram delicadas e fortes ao mesmo tempo, com estilo e muita beleza em sua produção. Por fim, os novos foram:

  • Lápis de contorno labial;
  • Técnicas de contorno;
  • Corretivos;
  • Batons de longa duração.

Os contornos eram feitos com blush e serviam para diminuir o tamanho da testa e marcar o maxilar. Além disso, as bocas e olhos fortes eram os grandes destaques. Mas, o ponto que marcou foram os delineados de gatinho, sensuais e fofos ao mesmo tempo.

As sombras em tons pastéis também surgiram nesse contexto histórico e os olhos tinham um traço mais fino, com detalhes únicos. Enquanto isso, os batons eram fortes, com cores como vermelho cereja. 

Marilyn Monroe

Nessa época o principal nome do cinema e da cultura era a atriz Marilyn Monroe. Isso porque, ela encenou diversos filmes e encantou o mundo com o seu estilo único. Assim, seu estilo de maquiagem foi copiado por todas. 

O que caracterizava a make dos anos 60?

Nos anos 60 as pessoas decidiram ousar em suas produções e ir além do básico que se tornou comum nas últimas décadas. Por isso, a primeira opção foi usar cílios marcados e bem desenhados na parte inferior da pálpebra, o que deixa o look bem marcante.

As cores também saíram do óbvio e foram além da paleta de vermelho, laranja e rosa. Isso porque, opções bem mais ousadas em vários produtos entrarão no comércio, alguns exemplos são:

  • Azul;
  • Roxo;
  • Verde;
  • Rosa. 

Essas novas opções combinaram com o perfil da época que buscava fugir do óbvio. Dessa forma, existiam influências bem opostas como Elizabeth Taylor, que ainda tinha o visual princesinha, e Twiggy, que gostava de quebrar padrões.

O período foi muito influenciado por música e pelo movimento hippie também. Então, os seus produtos surgiram de uma junção de oportunidades que só foi possível em uma época de muita liberdade.

Maquiagem dos anos 70

Esta década foi o auge da era disco no mundo e o movimento Black Power mostrava toda a sua força. Assim, ela fez uma mistura com os anos anteriores que eram super marcados pelas cores e as combinou melhor.

A maquiagem que mais se destacou nesse tempo foram os batons cintilantes, o famoso gloss. Isso porque, eles realçavam os lábios, já que os deixavam brilhantes e hidratados por mais tempo do que os produtos comuns.

O dourado também foi uma marca do período e era muito usado para destacar os olhos. Além disso, a ideia de deixar o rosto iluminado começou nessa época, com a intenção de se fazer notar, mesmo em uma balada.

As sobrancelhas bem marcadas e desenhadas com lápis para seguir um bom padrão são um exemplo. Por isso, nesta década muitos cosméticos se popularizaram e baixaram os seus preços para valores mais reais.

Cantora Diana Ross, um ícone da época

Um dos principais ícones de beleza da época foi Diana Ross com os seus cílios bem avantajados e a boca volumosa. Então, a maioria das mulheres queriam replicar o que ela conseguia fazer para chegar ao seu nível de beleza.

Make dos anos 80 e seus principais destaques

Os anos 80 trouxeram muito exagero com as sombras, maquiagem colorida e os estilos inovadores de suas principais artistas. Além disso, eles também inauguraram conceitos como o néon e os produtos cintilantes.

A ideia era se destacar e quebrar os padrões já estabelecidos pela sociedade. Por isso, tudo que era novo e chamativo parecia um bom conceito para as produções visuais e cosméticos no geral. Então, se investiu muito em itens de cores bem distintas das que já se produziam.

Os ícones da moda e da música na época eram Madonna, Boy George e Whitney Houston, pessoas com muita atitude em tudo que faziam. Dessa forma, as pessoas queriam ter também esse estilo tão único e diferente, com cores ousadas em todas as partes.

A era da extravagância

Nesse período, um dos grandes objetivos era testar e se divertir com a maquiagem. Então, combinações de tons fortes não eram vistas como piada, mas sim como uma nova tendência. 

A ideia principal nos anos 80 foi ressaltar o rosto inteiro e para isso combinava sombras vibrantes, com um delineado único, cílios grandes, bochechas bem rosadas e um batom forte. 

Como era a maquiagem nos anos 90?

A década de 1990 chegou para trocar tudo que existia antes dela e com isso propôs uma mudança radical. Isso porque, depois de um período onde a cor reinou começou um tempo, onde o básico era a melhor pedida.

Muitas das referências desses anos se pareciam com as dos anos 20 e 30. Dessa forma, as sobrancelhas ficaram bem finas e a parte do rosto em destaque eram os olhos e a boca. Por isso, os grandes destaques da cultura pop foram:

  • Jennifer Aniston;
  • Cameron Diaz;
  • Mariah Carey;
  • Jennifer Lopez;
  • Tina Turner.

O grande intuito era parecer natural mesmo com cosméticos na pele. Assim, as bases começaram a se adequar melhor aos tons de pele e os rouges deixaram de ter uma cor tão vibrante. Além disso, os batons mais escuros e neutros eram uma opção prática.

paleta de sombras com tons diversos que vão desde o marrom até o roxo
Legenda: A tendência da maquiagem é que ela se torne cada vez mais democrática. Imagem de Suzy Hazelwood no Pexels.

As tendências de maquiagem nos anos 2000

O novo milênio trouxe uma nova perspectiva de produtos e os conceitos de beleza mudaram nesse tempo. Isso porque, a moda se tornou ter um visual mais saudável, com tons bronzeados.

Essa busca fez com que salas de bronzeamento artificial abrissem no mundo todo. Assim, na maquiagem anos 2000, os tons das bases e dos corretivos tiveram que se adaptar mais uma vez e oferecer paletas com mais opções.

Outros produtos cruciais para a maquiagem foram o delineado preto bem rente ao olho e o gloss. Dessa forma, ela ainda era mais natural do que nos anos 80, mas já possuía um pouco mais de vida do que nos 90.

2010, a era das Kardashians

Em 2010 as influencers americanas se tornaram o maior padrão de beleza do mundo. Por isso, todas as pessoas buscavam repetir o contorno marcado e o uso intenso de iluminador. Além disso, os cílios grandes e as sobrancelhas desenhadas também agradavam.

Um estilo minimalista toma conta de 2020

A década de 20 promete voltar um pouco ao conceito de beleza natural, com cosméticos que além de embelezar ajudam a cuidar da pele. Mas, a criatividade está em alta, com delineados diferentes e coloridos que vão além da pálpebra.

Mudanças no estilo de make para os próximos anos

A moda muda a todo o momento e a maquiagem tende a seguir por esse mesmo rumo. Então, é difícil prever o futuro, no entanto, o que se sabe é que os cuidados pessoais são uma nova tendência. 

Outro conceito importante é a inclusão e isso está cada vez mais presente com paletas de cores que realmente combinam com qualquer tipo de pele. Por isso, as expectativas são de que se combine a criatividade e a consciência da beleza natural para os próximos anos.

Compartilhe

Notícias em Alta

Últimas Notícias