Foto de céu com nuvens e sombra de pessoa manipulando fios de marionete

Gaslighting: o que é, sinais e como lidar com a manipulação psicológica em relacionamentos

Você já ouviu falar em gaslighting? Saiba o que é, de onde surgiu essa expressão, exemplos dessa manipulação, consequências e mais

Compartilhe

Quem ouve frequentemente frases como “Você está ficando louca?” ou “Você está exagerando” durante uma discussão com o(a) parceiro(a) pode estar enfrentando um tipo de manipulação psicológica conhecida como gaslighting. Inclusive, foi eleita a palavra do ano de 2022 pelo dicionário Merriam-Webster.

Atualmente, esse termo ainda é muito discutido e até usado erroneamente. Pensando nisso, o Fashion Bubbles reuniu tudo o que você precisa saber sobre gaslighting: o que é, como surgiu a expressão, sinais desse tipo de abuso, consequências, razões e muito mais. Então, continue lendo para conferir.

O que é gaslighting?

O gaslighting é uma forma de abuso emocional e manipulação psicológica que visa minar a autoconfiança e a percepção da vítima. Ele pode ocorrer em diversos tipos de relacionamentos, como em relacionamentos íntimos, no ambiente de trabalho, entre amigos ou até mesmo em relações familiares.

Foto de fósforos apagados com papel vermelho rasgado escrito "gaslighting"
Fonte: Canva
  • Em seguida, veja Mansplaining: exemplos e o que fazer quando um homem tenta explicar a uma mulher o que ela já sabe

As táticas de gaslighting geralmente envolvem negar ou distorcer a realidade, fazendo a vítima duvidar de sua própria memória, percepção ou sanidade mental.

Por exemplo, o manipulador pode negar ter dito algo que disse anteriormente, mesmo que a vítima se lembre claramente da conversa. Ou podem ocorrer mudanças sutis no ambiente, como mover objetos de lugar, e então, o manipulador nega que algo tenha sido alterado, levando a vítima a questionar sua própria memória.

Desse modo, o manipulador busca exercer controle sobre a vítima, enfraquecendo sua autoconfiança e tornando-a mais suscetível à manipulação. Assim, o abusador faz uso de táticas sutis que incluem minimizar os sentimentos da vítima e suas preocupações.

Além disso, ele também culpa a vítima por atos que não são sua responsabilidade e desvia o foco do problema real para a vítima. Ainda, faz comentários sarcásticos ou depreciativos para minar a autoestima, e até mesmo isola a vítima de amigos e familiares, criando uma dependência emocional.

Por isso, reconhecer o gaslighting pode ser difícil, já que o manipulador implementa suas táticas ao longo do tempo. Porém, identificar esse padrão é crucial para interromper o abuso emocional e buscar ajuda e apoio.

Como surgiu a expressão gaslighting?

A expressão “gaslighting” tem origem no filme “Gaslight”, lançado em 1944 e dirigido por George Cukor. O filme é uma adaptação da peça teatral “Gas Light”, de Patrick Hamilton.

Na trama, o protagonista tenta fazer sua esposa acreditar que ela está ficando louca ao manipular o ambiente ao redor deles, incluindo diminuir a intensidade da luz das lâmpadas de gás (daí o título “Gaslight”). Porém, negando que algo estivesse errado quando a esposa questionava as mudanças percebidas.

Foto de lâmpada a gás acesa
Fonte: Canva

Essa história popularizou o termo como uma referência à manipulação psicológica em que uma pessoa faz outra duvidar de sua própria sanidade ao negar ou distorcer a realidade.

Contudo, embora tenha sido cunhado a partir do filme, o conceito de manipulação psicológica associada ao gaslighting existe há muito tempo e é reconhecido como uma forma séria de abuso.

Exemplos de gaslighting

Como citado anteriormente, o gaslighting é uma forma de manipulação psicológica em que uma pessoa tenta fazer outra duvidar de sua própria percepção, memória ou sanidade. Dessa forma, frases como “você tem problemas de memória”, “sempre distorce o que eu digo” e “está imaginando coisas” são habituais.

Mulher de pele clara usando blusa branca, camisa azul e calça jeans olhando indignada para homem de pele clara mexendo no celular, usando calça escura, blusa verde e camisa vermelha
Fonte: Canva

Por exemplo, é muito comum que o manipulador use frases como “você está agindo como um(a) louco(a)”. Isso porque essas pessoas buscam manipular a vítima a ponto de fazê-la questionar sua sanidade ou lucidez. Para isso, fazem comentários diretos que põem em dúvida sua racionalidade.

Além disso, “você está exagerando” também é uma expressão frequente. Assim, ao acusar a outra pessoa de ser dramática, o manipulador tenta desqualificar suas queixas e preocupações, tratando-as como irracionais e infundadas.

Ainda, frases como “eu estava brincando” também podem ser recorrentes. Isso porque os agressores tendem a minimizar o impacto de seus comentários dolorosos ou críticas, fazendo a vítima questionar se está sendo sensível demais.

“Você me obrigou a fazer isso” também é um exemplo de gaslighting. Quando algo não sai como planejado, os manipuladores tentam evitar assumir a responsabilidade, colocando a culpa e as críticas na outra pessoa.

Como saber se estou sendo vítima de gaslighting?

Os sinais de gaslighting são muito sutis, tornando difícil para a vítima perceber o que está acontecendo. Isso ocorre porque a vítima está emocionalmente envolvida com o abusador, nutrindo afeto e sentimentos pela pessoa. No entanto, é crucial prestar atenção a algumas situações recorrentes.

Foto de pessoa de pele clara manipulando marionete em direção a coração vermelho
Fonte: Canva

Se você frequentemente duvida de suas próprias percepções e memórias, sente-se confuso(a) sobre eventos que antes pareciam claros, ou começa a questionar sua própria sanidade e racionalidade, isso pode ser um sinal.

Além disso, se você está constantemente pedindo desculpas, mesmo quando não fez nada de errado, ou se sente inseguro sem uma razão aparente, é possível que esteja sendo manipulado.

O manipulador pode tentar isolar você de amigos e familiares, fazendo você sentir que não pode confiar em ninguém além dele. Ainda, você pode também sentir a necessidade de justificar o comportamento do manipulador para outras pessoas e começar a acreditar nas justificativas dele para suas ações negativas.

Se o abusador nega ter dito ou feito algo que você tem certeza que aconteceu, reescrevendo eventos do passado e fazendo você duvidar da sua memória, isso é um forte indicativo de gaslighting.

Ademais, o manipulador pode criar narrativas falsas ou distorcidas dos eventos e insistir em versões da história que não correspondem à realidade, aumentando sua dependência dele para validar suas percepções e sentimentos.

Relacionadas

Quais as consequências do gaslighting?

Geralmente, a vítima se torna dependente da validação do outro em relação a situações cotidianas, começando a questionar sua própria realidade e ponto de vista. Isso cria uma sensação de incerteza constante e mina sua confiança em si.

Mulher sentada no chão com mãos no rosto
Fonte: Canva

Como resultado, o gaslighting frequentemente desencadeia uma série de problemas emocionais, incluindo ansiedade, depressão, dependência emocional, baixa autoestima, transtorno do pânico e estresse pós-traumático.

Assim, esses efeitos são devastadores, impactando não apenas o bem-estar emocional, mas também os relacionamentos da vítima.

Por que homens fazem gaslighting?

O gaslighting pode ser praticado por pessoas de qualquer gênero, embora seja mais comumente associado a homens que exercem poder e controle sobre seus parceiros.

Desenho de sombra de homem azul silenciando mulher
Fonte: Freepik

Alguns homens recorrem a essa manipulação como uma forma de controlar e dominar a vítima, muitas vezes devido a inseguranças pessoais ou uma baixa autoestima.

Em relacionamentos em que há uma desigualdade de poder, seja devido a diferenças de gênero, econômicas ou sociais, o abusador usa o gaslighting para manter essa desigualdade e exercer controle sobre a outra pessoa.

Além disso, padrões culturais e sociais que perpetuam a ideia de que os homens têm o direito de controlar suas parceiras e a falta de empatia pelos sentimentos e experiências do próximo também são algumas razões.

  • Confira também Dia do Solteiro: será que ainda é impossível ser feliz sozinho?

Como desarmar uma pessoa manipuladora?

Lidar com uma pessoa manipuladora que pratica o gaslighting requer uma abordagem delicada e estratégica. Nesse sentido, é crucial confiar em sua própria realidade e memória, resistindo à tentativa da pessoa de fazer você duvidar delas.

Foto de pessoa de pele clara se livrando de algemas
Fonte: Canva

Assim, documentar os eventos pode ser útil para validar suas experiências. Além disso, estabeleça limites claros sobre como você espera ser tratado e mantenha-se firme neles, evitando se envolver em discussões sem sentido. Ainda, busque apoio de amigos, familiares ou um terapeuta para obter perspectiva externa e validação.

Às vezes, afastar-se temporariamente da pessoa manipuladora pode proporcionar clareza. Então, mantenha-se forte e confiante em sua autoestima, lembrando-se de que você merece ser tratado(a) com respeito.

Inclusive, se informe sobre o gaslighting para entender melhor as táticas manipulativas utilizadas. Priorize seu bem-estar emocional e considere buscar ajuda profissional se necessário para lidar com a situação de forma saudável.

Conclusão

Enfim, agora você já sabe o que é gaslighting, como essa expressão surgiu, exemplos e sinais desse tipo de manipulação. Então, é importante prestar atenção a algumas situações recorrentes e, caso ache que está sendo vítima desse abuso, busque ajuda profissional.

Nesse sentido, se deseja saber mais sobre reflexões e comportamento, não deixe de conferir nossa categoria. Lá você encontra matérias sobre relacionamentos, frases para refletir e muito mais!

Compartilhe

Newsletter

Inscreva-se em nosso newsletter e receba diretamente em seu e-mail artigos exclusivos, dicas de beleza imperdíveis e as últimas novidades dos reality shows mais badalados. Não perca a chance de estar sempre à frente, conhecendo as tendências e segredos que só os verdadeiros conhecedores do universo fashion e do glamour dos realitys têm acesso!

Não fazemos spam! Leia mais em nossa política de privacidade.


Últimas notícias