Momento de discurso da Galisteu em A Fazenda 2022

Discurso da Galisteu em A Fazenda 2022: histórico de todas as eliminações da temporada

Confira o histórico de discurso da Galisteu desde a primeira eliminação de A Fazenda 2022. Qual foi o seu favorito?

Compartilhe

Que tal relembrar o discurso da Galisteu em 2022? Toda quinta-feira, um peão ou peoa foi eliminada e, com isso, a apresentadora Adriane Galisteu sempre deixa um discurso que relembra a trajetória dos roceiros, fazendo os mesmos refletirem sobre o por quê de estarem ali para que, caso fiquem, possam repensar suas estratégias.

Sem dúvidas, você que gosta de ficar de olho em tudo o que acontece em A Fazenda vai gostar de relembrar quais foram os discursos dados às quintas. Por isso, trouxemos um histórico completo desde a primeira eliminação até a última, a que resultou no top 5 da Fazenda antes da final!

Então, vamos ver como foi cada discurso?

Discurso da Galisteu em A Fazenda 2022: histórico de todas as eliminações da temporada

12ª Eliminação – Ellen Cardoso

André, Bia e Moranguinho. Força, resistência e determinação parecem ser princípios básicos para chegar onde vocês chegaram. Dificilmente se chega tão longe na competição sem esses atributos. Mas existe outro princípio tão básico e tão fundamental quanto e que muitas vezes passa despercebido: a capacidade de lidar com a realidade.

A Fazenda é um jogo que te coloca com os dois pés fincados no chão e te obriga a enxergar as coisas como elas realmente são. Aqui, ao longo do tempo, as grandes certezas são colocadas à prova e velhas convicções são transformadas em novas dúvidas. Opiniões formadas se tornam rapidamente opiniões passadas. É muito comum, por exemplo, as pessoas chegarem aqui dizendo “eu não me importo com o que os outros pensam”. E, em pouco tempo, percebem o incrível auto-engano que mora nessas palavras. Aí, essa doce ilusão não resiste à convivência, muito menos ao confinamento, tampouco ao jogo assistido por milhões de pessoas.

Um dos pilares dessa disputa é justamente se importar com o que os outros pensam. Ninguém vence esse jogo sem aceitar essa realidade. Ai, roceiros… A Fazenda é um grande filtro que derruba escudos, arranca máscaras, remove armaduras e desmonta personagens. É um processo longo e às vezes doloroso que, no final, expõe quem vocês são de verdade. E se vocês três chegaram até aqui, é porque passaram por esse filtro; porque se tornaram livres para revelar o seu eu; aquele eu verdadeiro que o público esperava ver. 

Roça Falsa

Não é a primeira vez que vocês encaram esses banquinhos. Então, hoje, em vez de falar para cada uma, eu resolvi falar para todas ao mesmo tempo, tá? Então, atenção.

Babi, Deolane e Pétala. Três competidoras que, apesar das diferenças, demonstram força, coragem, resiliência e determinação. Por mais que o calor do jogo leve a acreditar que não, todas têm, sim, coisas importantes em comum.

Vocês compartilham, por exemplo, do empenho ao se defender. Da disposição para lutar. E da vontade de vencer aqui, onde um dos maiores desafios é a convivência. No confinamento, existe uma chave-mestra para chegar à vitória: a habilidade de conseguir enxergar as divergências e as semelhanças. De verdade, lembrem-se que a vitória aqui, além do prêmio final, também pode significar algo muito importante: o que vocês aprenderam e o que vocês ensinaram como jogadoras, como mulheres, como seres humanos.

Meninas, muito mais do que assistir peões e peoas se movimentando no tabuleiro de xadrez, vivendo e sobrevivendo todos os obstáculos, certamente em vários momentos muita gente se identifica com vocês. Choram, ficam zangados com suas escolhas, felizes com as suas conquistas e o mais importante: tem muita gente torcendo por vocês. Para que vocês sejam felizes tanto no jogo, quanto na vida. Eu sou uma delas. 

11ª Eliminação – Kerline Cardoso

Pois é, uma das três vai deixar o jogo a poucos metros da reta final. Tão perto e tão longe ao mesmo tempo, né…

Babi, vamos lá. Da última vez que você esteve aqui, eu disse que você era uma grande argumentadora e isso não mudou. Você usa muito bem as palavras para se expressar. Naquela ocasião, eu também questionei se você teria agido com mais força e determinação caso pudesse voltar para o começo do jogo. Sua resposta não veio com palavras, não, mas veio com atitudes. Você contestou, confrontou e reagiu por um tempo. Em algum momento, no meio dessa campanha, parece que você cansou. E tudo bem. Ninguém é obrigado a resistir para sempre. Mas lembre-se de duas coisas: a primeira é que esse jogo não dura tanto assim. A segunda é que o público admira as belas palavras, mas valoriza ainda mais as ações. 

Kerline, essa é a sua primeira vez aqui na Roça. A primeira vez que você sente o drama de uma eliminação. Isso aconteceu bem depois do início da temporada, num jogo onde os competidores precisam enfrentar provas duras, atividades intensas e trabalhar de verdade. Todo dia você mostrou que consegue muito além e, ainda que isso não represente a vitória, mostra que você é capaz, viu? Que você consegue superar os próprios limites e lutar pelos seus sonhos de igual para igual, seja lá quem for. Hoje o público vai decidir se você segue adiante. Mas saiba que, na história da Fazenda, você já foi além de uma grande irmã: você foi uma das melhores irmãs. 

Moranguinho, você não mudou muito desde a última vez que você esteve aqui. Você segue imprevisível, intensa e inabalável. Você está sempre pronta para defender com unhas e dentes quem você gosta e quem você admira, mesmo que isso signifique enfrentar o antigo aliado. Você é leal ao que acredita, mas quando nos empenhamos tanto para dar o melhor de nós, para os outros, é também importante sempre guardar um questionamento, Morango. Será que os outros estão dispostos a fazer o mesmo por nós? É importante dar forças a quem precisa, mas sem esquecer que, às vezes, quem precisa de força é a gente. 

A Fazenda é um jogo onde não basta apenas saber falar, é preciso ser ouvida. Não basta somente se defender, tem que estar pronta para se impor e não dá para esperar por ninguém; tem que buscar a vitória em si mesma.

10ª Eliminação – Ruivinha de Marte

Para dois de vocês, a história desse jogo continua sendo escrita. Mas, para um, esse conto rural recebeu o seu ponto final.

André, num reality, é comum que alguns jogadores leiam o jogo melhor do que outros. Mas, na Fazenda, não basta apenas ler o jogo. Aqui é fundamental entender as entrelinhas de uma trama complexa. É preciso enxergar as letras mais miudinhas e saber interpretar cada palavra do enredo. Talvez você tenha passado tanto tempo debruçado sobre as páginas do manual da boa vizinhança que você acabou esquecendo a importância de não ser só o leitor, mas também o protagonista da própria história. Por isso, nunca se esqueça, André: para uma boa leitura, é preciso mergulhar na história. E um bom par de óculos também pode ajudar.

Bia, a 21ª peoa da Fazenda 14. Você entrou no jogo um pouquinho depois dos outros, mas logo encontrou quem te acolhesse. Isso te deu forças para jogar para valer. Apesar de jovem, você mostrou que consegue se defender e que pode se tornar uma verdadeira fera quando se sente enquadrada. Para proteger quem você gosta, você não mede esforços, nem consequências, colocando em prática aquele ditado: a melhor defesa é o ataque. Mas é preciso estar sempre vigilante para que esses momentos de impulsos furiosos não atrapalhem a sua leitura do todo. Às vezes, o que distingue uma boa história de uma história mal contada é a nossa capacidade de interpretar o que foi lido.

Ruivinha, sabe na escola quando a gente se dedica ao máximo, estuda tudo o que pode, faz todas as pesquisas possíveis e, quando chega na chamada oral, a gente simplesmente trava? Às vezes, a sensação de quem tá aqui fora é de que você tem todas as respostas, aprendeu como se faz, mas, quando se depara com a prova ali na sua frente, a caneta falha, o lápis quebra e dá aquele branco. Na Fazenda, todo dia é dia de exame final, Ruivinha. Aqui, para passar de ano, a banca examinadora da grande escola é o público. O público precisa ter certeza do merecimento, precisa ouvir o que a aluna tem para falar, o que essa aluna tem para contar… Não basta apenas pensar, ler e escrever. Tem que falar em voz alta, defender suas teses, agir e também dançar porque a gente gosta! 

8ª e 9ª Eliminações: Alex Galette e Deborah Albuquerque

Que semana inesperada é essa, né gente? E ela ainda nem chegou ao fim, hein. Mas esse jogo é assim: é cheio de surpresas. E são essas surpresas que deixam tudo tão emocionante, tão diferente. 

Alex, a sua transformação foi surpreendente no início diante dos ataques. Na urgência de se defender, você se mostrou tão combativo quanto reativo; mas, com o tempo, você ganhou força e mostrou que tinha muito a dizer. Disse inclusive que cada um carrega a sua dor, mas que é preciso lidar com as próprias feridas sem diminuir a dos outros. Nesse momento, você falou tudo. 

Quem esperava ver aqui aqui na Fazenda a mesma Deborah de outros realities, surpresa: se enganou, né? Sem perder a essência que nasceu na fênix e se confirmou aí com o Pavão, você mostrou que as pessoas podem mudar e que sempre há tempo para mudar. E vale a pena acreditar nessas mudanças. Agora, pra gente resta saber o que o público acha delas. 

Moranguinho, mil palavras podem ser usadas para te definir. Mas nenhuma delas será previsível. O seu silêncio vira estrondo em frações de segundos, como se fosse um relâmpago e essa altura deixou claro que onde mora a calmaria, também vive uma tempestade. Você foi intensa. Agora, chegou a hora de saber o que o Brasil achou de toda essa intensidade. 

Ruivinha, na Fazenda você se mostrou um tanto diferente daquela menina das redes sociais. Parece que a pressão do jogo que desmonta personagens não te ajudou a acertar o passo aqui dentro. A Ruivinha de Marte acabou dando mais espaço pa Anny, a menina de verdade do Planeta Terra, do mundo real. Apesar de alegre e para cima, ela também chora, também sente saudades e às vezes até sai do compasso. Mas quem disse que isso é ruim? Cada um tem o seu ritmo, não é?

7ª Eliminação – Lucas Santos

“De agora em diante, só permanece na competição quem até aqui soube jogar com aquilo que tem de melhor. Deolane, não deixa para amanhã o que você pode falar agora, na hora, sem filtro, sem freios, doa quem doer. Essa forma audaciosa de se expressar intimida e muitos pensam duas vezes antes de entrar em conflito com você. Seja qual for o argumento, você investe contra os seus adversários de maneira rápida, contundente e explosiva. Essa é a sua “idiossincracia”, não é doutora? Seu jogo é feito de atitudes firmes e palavras fortes, mas é bom ter cuidado. Nem sempre é força; às vezes é jeito.

Iran, até aqui você jogou com serenidade e, mesmo que nem sempre tenha conseguido, procurou ser ponderado com as palavras. Em alguns momentos, falou que quis e como quis, sem se preocupar como é que seria interpretado. Mas, no geral, você é um mar de tranquilidade. Aos poucos, com calma, você buscou suas alianças. Até porque no confinamento tentar equilibrar todas as variantes pode ser essencial para uma boa convivência. Mas não esqueça,  não esqueça de jeito nenhum tá?  Isso aqui é um jogo. Um jogo que é decidido por quem está do lado de fora. Olhando de lá, muitas vezes toda essa sobriedade e moderação pode ser vista como apatia. É preciso saber dosar.

Lucas, você escolhe com cuidado onde pisa, prefere seguir trilhas que já foram bem traçadas a se aventurar em caminhos duvidosos. Você prefere a segurança do coletivo do que a incerteza de uma jornada solitária. Você recarrega suas forças nas amizades e também dá força aos seus amigos. Isso é bom, qualquer viagem é mais agradável quando estamos acompanhados né. Ter com quem contar, quem nos dá confiança, assim chegamos mais longe. Mas é preciso sempre lembrar Lucas: aqui, alguns trechos da estrada rumo a vitória só podem ser percorridos por você. 

Meus roceiros, para um de vocês essa trajetória cheia de lutas, conquistas e sonhos chegou ao fim. Mas, lá fora, continuem lutando, conquistando e sonhando que é para isso que a gente acorda todos os dias com saúde.”

6ª Eliminação – Vini Buttel

“Hoje, um de vocês sai daqui pensando assim: se eu tivesse feito assim, se eu tivesse feito assado, talvez eu não teria sido eliminado. Será? Sempre fica esse talvez na cabça, não é? Mas se vocês pudessem voltar no tempo, será que vocês fariam diferente? Aliás, será que fariam melhor?

Babi, você sempre soube argumentar de maneira muito clara. Sempre soube defender com firmeza o que acredita, usando mais palavras do que gestos. Você parece preferir quem sussurra suas dúvidas do que quem grita a sua certeza. Mas isso não quer dizer que você nunca sobe o tom. Não, de alguma forma você talvez sabe falar alto quando sente que pode ser silenciada. Mas será que se você pudesse voltar lá atrás, você não falaria mais alto? Não agiria com mais força, com mais determinação? Será que você não quebraria muito mais esse silêncio? Quem sabe?

Pétala, você defende os seus valores e mostra que está disposta a ir até o fim por eles. Enquanto não te provam o contrário, você segue afirmando a sua opinião sem se bater pelas dúvidas. Sustenta o que pensa, não hesita em tentar fazer com que os outros pensem da mesma forma. A capacidade de abraçar uma convicção e influenciar pessoas é fundamental quando se quer ir longe, mas é importante estar sempre atento a uma coisa: chegar longe não significa necessariamente alcançar a vitória. 

Vini, a razão é sem dúvida sua grande motivação. Mais do que R$ 1,5 milhão, você quer mesmo é estar certo. Sabe, tem essa sensação e está tudo bem! Errado seria querer estar errado, né? Armado com as suas certezas e com a ironia cortante, você defende seus aliados e ainda afasta aqueles que tentam se contrapor. Talvez essa seja uma das estratégias mais assertivas de todas, mas não se esqueça: a ironia pode ser traiçoeira e vir acompanhada de um irônico desfecho. Afinal, nesse jogo quem define os culpados e os inocentes na questão dos ursos polares são eles: o público de cada. E ele sim tem toda a razão. Ai, roceiros do meu coração. Planos, estratégias, máscaras e personagens podem funcionar do lado de dentro do cercado, mas não resistem ao julgamento de quem tá vendo tudo do lado de cá, tudo do lado de fora.” 

5ª eliminação de A Fazenda 2022 – Thomaz Costa

“Para um de vocês, essa é a última barreira. A última parede a cair antes do jogo acabar. As escolhas que vocês fizeram até aqui vão determinar o que ainda pode se reconstruir. Deolane, você tem uma grande capacidade de liderar tanto situações, quanto aqueles que são próximos a você. Com essa habilidade de conduzir e não ser conduzida, e talvez na tentativa de sempre se manter bem protegida, você parece disposta a levantar os muros mais altos e usar todas as armas ao seu alcance para afastar qualquer coisa que ameaça a sua fortaleza. Apesar de parecer uma estratégia virtuosa, quando se quer construir uma barreira tão grande é bom ficar bem atento também. Algo muito importante: uma simples rachadura nessa estrutura, um tijolo fora do lugar, pode fazer absolutamente tudo desabar. Se de um lado muro são erguidos com estratégia, de outro existe uma muralha que se autoconstrói. Você segue em pé apesar de ventos fortes. Como pode até mesmo quando o chão parece faltar, sustenta e defende o que acredita até o fim, firme e forte. É claro que firme e forte não significa inabalável e indestrutível.

Quando recebe um golpe muito, duro esse paredão chamado Shayan Haghbin estremece. É nesse estremecer que a gente percebe que mesmo as grandes muralhas também podem quebrar e até derramar algumas lágrimas. 

Aliás, falando em lágrimas, Thomaz… Elas têm visitado muito você nesses dias, né. Logo você, que chegou aqui sorrindo tanto. De repente, se viu sem forças, armado apenas com a paixao e com a saudade. Tudo bem. É preciso ter coragem para questionar seus próprios limites. Eu entendo, mas ainda vale aquilo que eu disse para Tati na semana passada: nunca, jamais na história da Fazenda, alguém que pediu para cair na Roça voltou dela. Você disse para o Brasil o que você quer e hoje a gente vai saber o que o Brasil quer de você.

Como eu já disse, estar aqui é apenas a consequência das escolhas que vocês fizeram dentro desse jogo e só tem uma coisa que não dá para evitar na noite de hoje: a saída de um dos três.” 

4ª Eliminação – Tati Zaqui

“A revelação dessa noite é um punhado de pequenas reflexões. Aliás, sempre é bom refletir um pouco antes de tomar atitudes, de formar opiniões e de expressá-las. Antes das grandes decisões, é importante pensar. Babi, você é uma competidora ponderada, sabe colocar as palavras, sabe se posicionar nas horas certas. Eu diria que você é uma pessoa bem reflexiva. Claro que é uma virtude, tá. Mas não dá para esquecer que em um reality como A Fazenda, por exemplo, o tempo entre ação e reação é curto. Se a pessoa demora muito refletindo, pode não ter tempo de reagir. Então, é preciso pensar bem e pensar rápido. Agir firme e agir na hora. Aqui, se a resposta demora para vir, o adversário acaba respondendo na frente.

Tati, não sei que tipo de reflexão leva alguém a tomar uma das atitudes mais arriscadas desse jogo: se colocar na Roça. Olha, eu vou dizer que o sofrimento na prova de ontem, a frustração da derrota, o risco de deixar o jogo, tudo isso podia ter sido evitado. Claro que isso mostra também que você teve muita coragem, né, e que não te faltou ousadia. Mas a verdade é que bravura não tem serventia nenhuma da porteira para fora. E eu preciso te falar: ninguém, absolutamente ninguém na história desse programa voltou de uma Roça depois de ter se colocado nela. Boa sorte.

Vini, você também não tem medo do embate. Mostra convicção, fala o que pensa com a naturalidade de quem tem certeza do que diz. Autoconfiança é importante. Mas uma coisa, Vini, é autoconfiança e outra é excesso de confiança. Esse aí é traiçoeiro porque dificulta a reflexão. Claro, se a gente não souber diferenciar uma coisa da outra, nossas certezas podem se revelar grandes enganos. Você refletir não é somente pensar sobre o assunto não. É se debruçar sobre ele até que se esgotam todas as possibilidades de interpretação. Refletir é ver, é se ver outro lugar, muitas vezes no lugar do outro. Inclusive, onde talvez tenhamos a chance de enxergar um pouco de nós mesmos.”

Discurso da Galisteu na 3ª Eliminação – Rosiane Pinheiro

“A partir de agora, um de vocês já é carta fora do baralho. Mas lembrem-se: uma carta fora do baralho não perde seu valor. Ela não deixa de existir, muito menos de ter feito parte do jogo. Ela continua influenciando jogadas mesmo depois de descartada. Viu, Deborah: parece que a carta do pavão que você escolheu para jogar tem sido uma aposta bem arriscada. Apesar de desfilar imponente, cantar alto… Quando o pavão expõe suas lideranças, ele também expõe suas fragilidades. Não tem como escolher o que se mostra. Tanto seus adversários dentro do jogo, quanto o público aqui fora conseguem ver tudo. A visão deles pode mudar em um piscar de olhos. Aqui, o grande desafio é viver sob esse constante patrulhamento e ainda assim continuar a voar.

Rose, para que você sempre tem uma carta escondida na manga. Você fica segurando e só bora ela na mesa na hora H. Por acaso ou por estratégia, o seu jogo dificulta os movimentos do oponente que nunca sabe o que esperar. Você é imprevisível e não deixa que adivinhem o seu próximo passo. Talvez essa seja sua grande jogada, mas pode ser sua cartada final. Quem vai julgar isso é o público. São eles que decidem se vão botar fé nas malucas, como você mesma diz.

Tiago, você joga na base do puro impulso e instinto. Você não tem medo de usar todos os números, cores e naipes em uma sequência alucinada de ataques, defesas e contra-ataques. Quase sempre bate na mesa e joga todas as cartas sem se preocupar com a próxima rodada. Tem horas que até fica difícil saber se é você que leva o jogo ou se é o jogo que te leva. De vez em quando, a melhor coisa é deixar rolar mesmo. Mas, nessa levada, um jogador pode acabar sem cartas muito rápido. 

Meus amores, todas as jogadas de vocês já foram feitas. Agora, só resta saber o que foi que o pessoal de casa decidiu. Até porque é bom que todos lembrem disso: no final das contas, é o público. É ele o único que dá as cartas por aqui.”

2ª Eliminação – Ingrid Ohara

“O terreno da Fazenda quase nunca é lisinho e uniforme. Constantemente, vocês vão encontrar buracos e pedras no caminho. Deborah, você tem pisado firme desde que chegou e não se deixou intimidar diante dos conflitos. A prova disso é que mesmo na sua segunda Roça consecutiva, você não abaixou a cabeça não e a gente entende que quem consegue voltar daqui sempre volta um pouco mais forte. Afinal, esse é o único termômetro que vocês podem ter da opinião do público, né. Mas também atenção: é aqui que acontece a queda. É onde alguém tropeça, cai e não levanta mais. 

Ingrid, às vezes dá impressão que você quer andar rápido demais e outras vezes muito devagar. Você segue um ritmo que é só seu e que muda de repente, em um piscar de olhos. Esse aperta e desaperta o passo pode ser a estratégia que você escolheu para jogar hoje e a gente vai descobrir se é uma estratégia certeira ou arriscada. Porque quem se apressa pode deixar alguma coisa para trás, certo? E quem anda sem pressa às vezes pode chegar tarde demais. 

Rose, querida, cada um faz a própria jornada aqui dentro e é muito importante manter a velocidade para poder observar o que acontece ao redor. Você segue no seu tempo e já disse que repara em tudo que acontece à sua volta. Essa habilidade pode ser muito útil no lugar onde o maior desafio é a convivência, mas lembre-se: na Fazenda, quem quer ir longe não pode se dar o luxo de parar para apreciar a paisagem, viu? Perder o foco pode ser fatal gente. Nesse jogo, tem hora certa para tudo, viu? Tem hora para apertar o passo e só olhar para a frente para diminuir o ritmo. Preparar uma arrancada para recalcular a rota e mudar de direção. Para pegar os atalhos. Aqui, só não dá para fazer uma coisa: parar de jogar. Aqui, ou você joga o jogo, ou o jogo te joga para fora.”

Discurso da Galisteu na 1ª eliminação – Bruno Tálamo 

Um de vocês está prestes a ir embora. Roceiros, dizem que prego que aparece toma martelada. Se tem uma coisa que vocês não fizeram, não fizeram mesmo com o medo de acabar na primeira Roça, foi fugir do jogo. Olha, se foi impulso ou coragem, o tempo e o público dirão. Mas vocês deram um show até aqui. 

Bruno, desde o primeiro dia você deixou claro que veio disposto a expor suas opiniões e mostrar quem você é. De lá pra cá, você já enfrentou atritos, fez amigos, criou desafetos e já encontrou até a decepção. E repetiu algumas vezes: eu chorei a dor do cara! Chorar a dor do outro é, sem dúvida, uma virtude muito importante e que deve ser exercitada por nós todos. Mas, nesse jogo aqui, não dá pra esquecer uma coisa: lá no final, apenas um vai sorrir.

Deborah, apesar da sua experiência em reality, eu acho que já deu para perceber que A Fazenda é diferente, né. Tudo é mais intenso. Os dias são mais puxados, os desafios são mais difíceis e, dessa vez, é você por você mesmo. Suas estratégias, suas conquistas, dores e alegrias que só você vai viver. Deborah por Deborah, sem casal Fênix aqui. Se o público assim decidir, é o pavão que vai ter que mostrar que pode voar alto. 

Você se viu associado ao passado e travou um conflito interno por isso E é claro que nós devemos sempre buscar reconhecimento pelo que mostramos hoje e não apenas pelo que fizemos ontem. Até porque a Fazenda é um jogo de constante transformação e não dá para mudar o que nós fomos. Mas dá sim para mudar o que nós somos e pode acreditar toda mudança e todo o crescimento que a gente deseja só depende de nós mesmos. Gente, infelizmente um de vocês vai embora. Sempre tem um primeiro eliminado. Mas, aconteça o que acontecer, vocês podem ter certeza de uma coisa: vocês serão lembrados na história desse reality. 

Quem são os participantes da Fazenda?

Já votou na enquete A Fazenda 2022? Então, abaixo, confira quem são os peões e peoas que têm chances de vencer o prêmio de R$ 1,5 milhão de A Fazenda 2022:

  1. Alex Gallette;
  2. André Marinho;
  3. Bárbara Borges;
  4. Bia Miranda;
  5. Bruno Tálamo;
  6. Deborah Albuquerque;
  7. Deolane Bezerra;
  8. Ellen Cardoso;
  9. Ingrid Ohara;
  10. Iran Malfitano;
  11. Kerline Cardoso;
  12. Lucas Santos;
  13. Pelé Milflows;
  14. Pétala Barreiros;
  15. Rosiane Pinheiro;
  16. Ruivinha de Marte;
  17. Shayan Haghbin;
  18. Tati Zaqui;
  19. Thomaz Costa;
  20. Tiago Ramos;
  21. Vini Buttel.

foto dos participantes de A Fazenda 2022 na pré-estreia do programa
Fonte: Record TV

Como assistir A Fazenda ao vivo?

O reality show rural vai ao ar todos os dias, na faixa das 23h, na Record TV. Do mesmo modo, é possível se cadastrar gratuitamente no PlayPlus e ver online o programa ao vivo.

Outra maneira é assinar o plano completo do PlayPlus, que te dá direito a câmeras exclusivas 24 horas por dia. Depois que o período gratuito de 14 dias acabar, a assinatura custa R$ 15,90 por mês.

Um ótimo lugar para acompanhar A Fazenda 2022 de perto é o Fashion Bubbles. Aqui você encontra os spoilers de Rodrigo Carelli, os looks de Adriane Galisteu, as tretas dos participantes, como está a votação da Enquete A Fazenda, quem está na Roça, quem vota em Lula ou Bolsonaro, quem saiu e muito mais. Fique ligado em nosso canal de A Fazenda!

Enquete A Fazenda 2022

O Fashion Bubbles está sempre de olho em tudo o que acontece nos realities. Por isso, gostamos de ouvir o público! Por meio das enquetes, sabemos quem são os peões e peoas favoritos, como está a votação R7 oficial da Fazenda 14, quem deve vencer o reality show e principalmente quem será o eliminado na Roça! Então, fique de olho nas seguintes votações:

Sobre A Fazenda 2022

Sob o comando de Adriane Galisteu, 21 peões e peoas vão competir pelo grande prêmio de R$ 1,5 milhão. O reality show rural da Record reúne celebridades confinadas na Baía e na Sede, enfrentando atividades típicas das fazendas para conquistar o chapéu do Fazendeiro e evitar a Roça.

Toda quinta-feira, um jogador é eliminado até que restem apenas os finalistas. O programa estreou em 13 de setembro e a final deve acontecer em dezembro. Por isso, fique de olho no canal de A Fazenda aqui no Fashion Bubbles para não perder nenhum detalhe do jogo!

Compartilhe

Notícias em Alta

Últimas Notícias